Auditores fiscais decidem retomar paralisação

Geral


  • A paralisação do Fisco começa hoje

 

Na tarde desta segunda-feira (20), em assembleia extraordinária na modalidade presencial e virtual, a categoria deliberou realizar greve de quatros dias consecutivos, a começar à zero hora desta terça-feira (21) e terminará meia-noite desta sexta-feira (24/09). A decisão contou com mais de 90% dos votos no auditório e na sala virtual. Também ficou aprovada uma nova assembleia para a próxima segunda-feira (27/09).
De acordo com o presidente do Sindicato dos Fisco de Sergipe (SINDIFISCO/SE), Zé Antônio, não prosperaram as conversas da entidade sindical com o secretário da Fazenda de Sergipe, Marco Queiroz, relativa ao futuro do cargo dos AFTs. "Estamos apresentando como alternativa ao problema a implementação do Concurso Público, para o cargo de Auditor Fiscal Tributário (anunciado pela administração estadual), dentro dos dispositivos que regem a Lei Complementar nº 283 de 21 de dezembro de 2016", afirmou Zé Antônio. "Marco Queiroz está promovendo insegurança e revolta na categoria. Não se propõe sequer analisar a situação. Está intransigente na decisão de colocar o cargo dos auditores fiscais tributários, que representam 408 servidores (as), em processo de extinção tácita. E nós não vamos aceitar.", afirma Zé Antônio.
Na semana passada, durante a greve de 48h, o SINDIFISCO realizou ato na porta do Palácio dos Despachos e protocolou simbolicamente novo ofício solicitando ao chefe do executivo estadual audiência.

Na tarde desta segunda-feira (20), em assembleia extraordinária na modalidade presencial e virtual, a categoria deliberou realizar greve de quatros dias consecutivos, a começar à zero hora desta terça-feira (21) e terminará meia-noite desta sexta-feira (24/09). A decisão contou com mais de 90% dos votos no auditório e na sala virtual. Também ficou aprovada uma nova assembleia para a próxima segunda-feira (27/09).
De acordo com o presidente do Sindicato dos Fisco de Sergipe (SINDIFISCO/SE), Zé Antônio, não prosperaram as conversas da entidade sindical com o secretário da Fazenda de Sergipe, Marco Queiroz, relativa ao futuro do cargo dos AFTs. "Estamos apresentando como alternativa ao problema a implementação do Concurso Público, para o cargo de Auditor Fiscal Tributário (anunciado pela administração estadual), dentro dos dispositivos que regem a Lei Complementar nº 283 de 21 de dezembro de 2016", afirmou Zé Antônio. "Marco Queiroz está promovendo insegurança e revolta na categoria. Não se propõe sequer analisar a situação. Está intransigente na decisão de colocar o cargo dos auditores fiscais tributários, que representam 408 servidores (as), em processo de extinção tácita. E nós não vamos aceitar.", afirma Zé Antônio.
Na semana passada, durante a greve de 48h, o SINDIFISCO realizou ato na porta do Palácio dos Despachos e protocolou simbolicamente novo ofício solicitando ao chefe do executivo estadual audiência.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS