Elias Andreato assume amor por Maria Bethania em conversa com Naná

Variedades


 

Nascido em Rolândia (PR), o ator e diretor Elias Andreato é o convidado especial do programa Hora de Naná, nesta sexta-feira (17), às 21h, grátis, no site do Teatro Unimed (www.teatrounimed.com.br). O programa, comandado por Naná Karabachian e dirigido por Monique Gardenberg e Guilherme Leme Garcia, reúne um time de estrelas formado também por Ana Carolina, Reynaldo Gianecchini, Mart'nália, Seu Jorge e Claudia Raia.
 
Naná conheceu Elias ao produzir a peça de teatro Senhor das Flores, de Vinicius Márquez, dirigida por Marco Ricca e estrelada por Elias e Caco Ciocler. Ao longo da divertida conversa, Elias conta como resolveu se dedicar ao teatro, quando tinha apenas 17 anos, ao ver um show de Maria Bethania (Rosa dos Ventos), dirigido por seu mestre Fauzi Arap. Começou limpando ("Meu forte mesmo é fazer faxina.") e, aos poucos, abraçou outras funções, como técnico, contrarregra, camareiro, maquiador... O importante mesmo era estar ali, no ambiente de teatro ("Eu não tenho vida útil, só vida no teatro."). Ao refletir sobre o poder da arte, afirma: "A arte é o espelho do que é mais belo". O que a arte provoca de melhor é "o encontro com a gente mesmo... se ela não transforma o mundo, ela transforma o indivíduo. E é isso que conta". O bate-papo segue por temas como religião, profissão, saudade, sedução, com uma reveladora declaração de amor: "Maria Bethania sempre foi o grande amor da minha vida. Tive longas noites de prazer com ela. E ela nem sabe disso...". E Elias brinda o espectador ao interpretar uma junção de textos de Clarice Lispector e Fauzi Arap, quem, segundo Elias, foi seu "mestre do encantamento, ele que me apresentou o palco dessa forma mais poética, mais lúdica e mais definitiva".

Nascido em Rolândia (PR), o ator e diretor Elias Andreato é o convidado especial do programa Hora de Naná, nesta sexta-feira (17), às 21h, grátis, no site do Teatro Unimed (www.teatrounimed.com.br). O programa, comandado por Naná Karabachian e dirigido por Monique Gardenberg e Guilherme Leme Garcia, reúne um time de estrelas formado também por Ana Carolina, Reynaldo Gianecchini, Mart'nália, Seu Jorge e Claudia Raia. Naná conheceu Elias ao produzir a peça de teatro Senhor das Flores, de Vinicius Márquez, dirigida por Marco Ricca e estrelada por Elias e Caco Ciocler. Ao longo da divertida conversa, Elias conta como resolveu se dedicar ao teatro, quando tinha apenas 17 anos, ao ver um show de Maria Bethania (Rosa dos Ventos), dirigido por seu mestre Fauzi Arap. Começou limpando ("Meu forte mesmo é fazer faxina.") e, aos poucos, abraçou outras funções, como técnico, contrarregra, camareiro, maquiador... O importante mesmo era estar ali, no ambiente de teatro ("Eu não tenho vida útil, só vida no teatro."). Ao refletir sobre o poder da arte, afirma: "A arte é o espelho do que é mais belo". O que a arte provoca de melhor é "o encontro com a gente mesmo... se ela não transforma o mundo, ela transforma o indivíduo. E é isso que conta". O bate-papo segue por temas como religião, profissão, saudade, sedução, com uma reveladora declaração de amor: "Maria Bethania sempre foi o grande amor da minha vida. Tive longas noites de prazer com ela. E ela nem sabe disso...". E Elias brinda o espectador ao interpretar uma junção de textos de Clarice Lispector e Fauzi Arap, quem, segundo Elias, foi seu "mestre do encantamento, ele que me apresentou o palco dessa forma mais poética, mais lúdica e mais definitiva".

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS