No dia D, Edvaldo é o favorito

Gilvan Manoel


  • Escultura em argila de Judite Melo
Na última pesquisa Ibope divul
gada pela Tv Sergipe antes da 
eleição de 15 de novembro, no dia 12, o prefeito de Aracaju Edvaldo Nogueira (PDT) aparecia com 36% das intenções de votos contra 21% da delegada Danielle Garcia (Cidadania). Como se sabe, após a apuração, Edvaldo alcançou 45,57% dos votos válidos, o correspondente a 119.681 votos, enquanto Danielle ficou com 21,31%, ou 55.973 votos. O instituto cravou o número preciso da votação da delegada, mas avaliou muito pra baixo a situação do prefeito.
Na noite de quinta-feira (26), o instituto, também pela Tv Sergipe, divulgou o resultado da segunda pesquisa de intenções de voto no segundo turno. O levantamento apontou uma leve diminuição da vantagem entre os candidatos Edvaldo e Danielle. Apesar dessa mudança, a vantagem para o atual prefeito está mantida. Edvaldo, que tinha 55% das intenções de voto na primeira pesquisa, caiu para 53% neste levantamento, enquanto Danielle subiu de 31% para 32%. Se considerada a margem de erro, Edvaldo passou a ter uma variação entre 57% e 49% das intenções de voto, enquanto Danielle variou entre 36% e 28%. A surpresa ficou para o crescimento das intenções nos votos brancos e nulos, que aumentaram de 9% para 13. Os entrevistados que não souberam ou não responderam à pesquisa caíram de 5% para 3%.
A pesquisa do Ibope também simulou um resultado considerando os votos válidos, isto é, excluindo os votos brancos e nulos. É o mesmo critério usado pela Justiça Eleitoral para considerar oficialmente o resultado de uma eleição. A diminuição da vantagem também se repetiu. Edvaldo que tinha 64% na primeira pesquisa, caiu para 62%, enquanto Danielle, antes com teria 36%, subiu para 38%. Se considerada a margem de erro, Edvaldo passou a variar entre 66% e 62% das intenções de voto, enquanto Danielle passou a ficar entre ficar entre 42% e 34%.
A consolidação na liderança e a queda abrupta na rejeição de Edvaldo comprovam o acerto da propaganda eleitoral conduzida pelo marqueteiro Carlos Cauê no rádio, na tv e nas redes sociais. Edvaldo simplesmente desconheceu os adversários e durante toda a campanha apresentou propostas e as obras realizadas pela sua administração. Quando precisou responder adversários por ataques grosseiros e inverdades recorreu à justiça eleitoral e sempre ganhou espaço nos programas dos acusadores para se defender e/ou esclarecer polêmicas.
Da mesma forma que ocorreu no primeiro turno quando a maioria dos candidatos, inclusive Márcio Macêdo (PT), Edvaldo foi metralhado pela adversária neste segundo turno. Na semana passada, precisou fazer um apelo aos aracajuanos no sentido de combater a disseminação de fake news. Em vídeo publicado nas redes sociais, ele lamentou estar sendo alvo de uma campanha movido pelo ódio. "Aquilo que já vinha ocorrendo desde o primeiro turno se intensificou nos primeiros dias do segundo turno da campanha eleitoral. Estamos sendo alvo de uma avalanche de fake news e agressões", afirmou Edvaldo ao citar a tentativa da oposição de criar "a falsa ideia de que haverá lockdown", utilizando vídeos antigos, e de tentar incluí-lo como alvo de investigações policiais, "o que também não é verdade".
Edvaldo alertou que, ao compartilhar notícias falsas, retira-se da sociedade "o direito de saber a verdade". "Aracaju sabe quem tem usado descaradamente da mentira para enganar o eleitor. Sabe quem tem agido, por baixo dos panos, para promover o ódio e a desinformação em prol do seu projeto de poder. Aracaju sabe de onde partem as fake news", enfatizou.
Neste domingo, somente as urnas podem confirmar se as pesquisas estão mesmo corretas, ou se haverá variação bem acima da margem de erro, como ocorreu no primeiro turno. Tudo vai depender do humor do eleitorado e a disposição para comparecer às urnas. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), este ano, 303.399 (74,93%) eleitores aracajuanos votaram e 101.502 (25,07%) se abstiveram. Para prefeito foram 12.853 (4,23%) votos brancos e 27.904 (9,2%) nulos.
A partir das 18 horas, um dos dois estará comemorando a vitória. Os números são muito favoráveis a Edvaldo.

Na última pesquisa Ibope divul gada pela Tv Sergipe antes da  eleição de 15 de novembro, no dia 12, o prefeito de Aracaju Edvaldo Nogueira (PDT) aparecia com 36% das intenções de votos contra 21% da delegada Danielle Garcia (Cidadania). Como se sabe, após a apuração, Edvaldo alcançou 45,57% dos votos válidos, o correspondente a 119.681 votos, enquanto Danielle ficou com 21,31%, ou 55.973 votos. O instituto cravou o número preciso da votação da delegada, mas avaliou muito pra baixo a situação do prefeito.
Na noite de quinta-feira (26), o instituto, também pela Tv Sergipe, divulgou o resultado da segunda pesquisa de intenções de voto no segundo turno. O levantamento apontou uma leve diminuição da vantagem entre os candidatos Edvaldo e Danielle. Apesar dessa mudança, a vantagem para o atual prefeito está mantida. Edvaldo, que tinha 55% das intenções de voto na primeira pesquisa, caiu para 53% neste levantamento, enquanto Danielle subiu de 31% para 32%. Se considerada a margem de erro, Edvaldo passou a ter uma variação entre 57% e 49% das intenções de voto, enquanto Danielle variou entre 36% e 28%. A surpresa ficou para o crescimento das intenções nos votos brancos e nulos, que aumentaram de 9% para 13. Os entrevistados que não souberam ou não responderam à pesquisa caíram de 5% para 3%.
A pesquisa do Ibope também simulou um resultado considerando os votos válidos, isto é, excluindo os votos brancos e nulos. É o mesmo critério usado pela Justiça Eleitoral para considerar oficialmente o resultado de uma eleição. A diminuição da vantagem também se repetiu. Edvaldo que tinha 64% na primeira pesquisa, caiu para 62%, enquanto Danielle, antes com teria 36%, subiu para 38%. Se considerada a margem de erro, Edvaldo passou a variar entre 66% e 62% das intenções de voto, enquanto Danielle passou a ficar entre ficar entre 42% e 34%.
A consolidação na liderança e a queda abrupta na rejeição de Edvaldo comprovam o acerto da propaganda eleitoral conduzida pelo marqueteiro Carlos Cauê no rádio, na tv e nas redes sociais. Edvaldo simplesmente desconheceu os adversários e durante toda a campanha apresentou propostas e as obras realizadas pela sua administração. Quando precisou responder adversários por ataques grosseiros e inverdades recorreu à justiça eleitoral e sempre ganhou espaço nos programas dos acusadores para se defender e/ou esclarecer polêmicas.
Da mesma forma que ocorreu no primeiro turno quando a maioria dos candidatos, inclusive Márcio Macêdo (PT), Edvaldo foi metralhado pela adversária neste segundo turno. Na semana passada, precisou fazer um apelo aos aracajuanos no sentido de combater a disseminação de fake news. Em vídeo publicado nas redes sociais, ele lamentou estar sendo alvo de uma campanha movido pelo ódio. "Aquilo que já vinha ocorrendo desde o primeiro turno se intensificou nos primeiros dias do segundo turno da campanha eleitoral. Estamos sendo alvo de uma avalanche de fake news e agressões", afirmou Edvaldo ao citar a tentativa da oposição de criar "a falsa ideia de que haverá lockdown", utilizando vídeos antigos, e de tentar incluí-lo como alvo de investigações policiais, "o que também não é verdade".
Edvaldo alertou que, ao compartilhar notícias falsas, retira-se da sociedade "o direito de saber a verdade". "Aracaju sabe quem tem usado descaradamente da mentira para enganar o eleitor. Sabe quem tem agido, por baixo dos panos, para promover o ódio e a desinformação em prol do seu projeto de poder. Aracaju sabe de onde partem as fake news", enfatizou.
Neste domingo, somente as urnas podem confirmar se as pesquisas estão mesmo corretas, ou se haverá variação bem acima da margem de erro, como ocorreu no primeiro turno. Tudo vai depender do humor do eleitorado e a disposição para comparecer às urnas. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), este ano, 303.399 (74,93%) eleitores aracajuanos votaram e 101.502 (25,07%) se abstiveram. Para prefeito foram 12.853 (4,23%) votos brancos e 27.904 (9,2%) nulos.
A partir das 18 horas, um dos dois estará comemorando a vitória. Os números são muito favoráveis a Edvaldo.

Valadares Filho menor

A opção feita pelo ex-deputado Valadares Filho (PSB) em ser candidato a vice-prefeito na chapa de Danielle Garcia diminuiria a sua biografia mesmo se a chapa saísse vitoriosa neste domingo. A perspectiva de derrota pode inviabilizar até a permanência com o controle do PSB no estado.

Por ser considerado um político tradicional, Valadares Filho acabou sendo escondido pelo marketing de Danielle e praticamente não apareceu no horário eleitoral. O candidato a vice é bem mais conhecido do eleitorado do que a candidata a prefeita, já que vem participando de eleições majoritárias de dois em dois anos, desde 2012 quando perdeu para João Alves Filho; em 2016 disputou um acirrado segundo turno contra Edvaldo e em 2018 contra o governador Belivaldo Chagas.

Valadares Filho terá que reiniciar do zero.

Saneamento básico em Sergipe

Estudo divulgado semana passada pelo Instituto Trata Brasil sobre a universalização do saneamento básico no Brasil, mostra o estado de Sergipe em 10ª posição. 87% da população sergipana dispõem de água potável e 25% da população dispõem da coleta de esgoto, a maioria na capital.

Segundo o estudo, o estado de Sergipe precisa investir 2,08 vezes a mais do que gasta hoje para alcançar as metas previstas no Plano Nacional de Saneamento Básico. Mesmo assim, o estudo do Trata Brasil reconhece que Sergipe é um dos sete estados do país com investimentos médios relevantes, mas abaixo do previsto no plano para a universalização do sistema.

A Deso informa que na capital já chegou a 100% de cobertura no abastecimento de água, toda população de Aracaju tem sua água potável e encanada, e mais de 60% em coleta e tratamento de esgotamento sanitário. A companhia está investindo R$ 200 milhões para ampliar a rede de esgotos para a zona norte.

O sistema de Esgotamento Sanitário implantado em Nossa Senhora das Dores atende integralmente à população, beneficiando aproximadamente 21 mil habitantes, em cerca de 4.300 imóveis no município. O investimento foi de R$ 32.156.552,22 provenientes do Programa Águas de Sergipe.

Este mês, o governador Belivaldo Chagas criou a Comissão de Adequação do Marco Regulatório do Saneamento Básico de Sergipe. Tem o objetivo de analisar e propor medidas de ajuste na Política Estadual de Saneamento Básico, de Recursos Hídricos e a Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, realizar estudos de viabilidade institucional, técnica e econômico-financeira no tocante à regionalização da prestação dos serviços de saneamento básico.

Criada pelo Governo do Estado, por meio do Decreto de nº 40.715, em 11 de novembro, a comissão tem instância multiparticipativa e intersetorial, e, dentro das suas prerrogativas, deverá apresentar proposituras no tocante a realização de estudos e implementação do Plano Estadual de Saneamento Básico e no respectivo sistema de informações, propor a revisão da Lei 5857, que dispõe sobre a Política Estadual de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, bem como, realizar estudos e propor adoção de uma política pública de governança administrativa eficiente sobre a gestão dos recursos hídricos, meio ambiente e saneamento básico.

Êxito dos prefeitos na Grande Aracaju

Se confirmada neste domingo a reeleição do prefeito Edvaldo Nogueira, como prevê o Ibope (62% dos votos válidos), todos os prefeitos dos municípios que integram a Grande Aracaju terão obtido êxito nas eleições, o que demonstra a aprovação da população as suas gestões. Ou a incompetência da oposição em apresentar propostas criveis para convencer o eleitorado a apostar numa mudança.

Foram eleitos em 15 de novembro, Alberto Macedo (MDB) na Barra dos Coqueiros. Ele foi apoiado pelo prefeito Ailton Martins (PSD), que não poderia mais disputar a reeleição e está concluindo a administração com boa aprovação.

Em Nossa Senhora do Socorro, o prefeito Padre Inaldo (PP) foi reeleito com 32,91% dos votos, mas não teve vida fácil. Enfrentou o deputado federal Fábio Henrique (PDT), que havia governado o município por oito anos, e o deputado estadual Dr. Samuel Carvalho (Cidadania), que acabou em segundo lugar e foi a surpresa.

Em São Cristóvão, a vitória de Marcos Santana (MDB) com 53,62% dos votos era esperada por todos. Ele faz uma administração austera, com muitas obras. Normalizou o atendimento nos postos de saúde, enfrentou bem a pandemia da covid-19, paga os salários em dia e, principalmente, retirou o município das páginas policiais.

O resultado das urnas na Grande Aracaju facilita o entendimento para a adoção de medidas conjuntas, a exemplo da licitação do transporte coletivo. Como o sistema é integrado, é preciso que todos os municípios aprovem leis com esse objetivo, sob a coordenação do governo do estado.

Semana Nacional de Conciliação começa nesta segunda-feira

Nesta segunda-feira (30), às 9h45, será realizada a cerimônia de abertura da 15ª edição da Semana Nacional da Conciliação. O evento terá transmissão pelo canal do CNJ no YouTube.

Com o tema "Conciliação: menos conflito, mais resultado", a 15ª Semana Nacional da Conciliação será realizada em todo o país até o dia 4 de dezembro. A iniciativa, realizada anualmente pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em parceria com os tribunais, busca incentivar a conciliação e a mediação para resolver conflitos com maior agilidade e efetividade, desde a fase pré-processual.

Com agências


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS