O congresso do PT

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 14/12/2013 às 00:15:00

Com 33 anos de fundado, o Partido dos Trabalhadores realiza desde quinta-feira à noite, em Brasília, o 5º Congresso Nacional do PT. Pela primeira vez, nesses anos, o evento não conta com as presenças de dois líderes históricos do PT que morreram recentemente vencidos por um câncer: o ex-ministro Luiz Gushiken e o ex-governador Marcelo Déda.

Mesmo ausentes pela morte precoce, Gushiken e Déda foram lembrados na abertura do evento que foi denominado Congresso Nacional "Luiz Gushiken Marcelo Déda". Ainda em homenagem as duas estrelas do

PT, existe no local do congresso um painel gigante com imagens dos dois petistas históricos.
Muitos, em seus discursos, prestaram homenagem aos dois, a exemplo da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Lula, que estavam na abertura do congresso do PT e, inclusive, vieram para o velório de Déda no dia da sua morte para prestar a última homenagem ao amigo e companheiro. Lula sempre se referiu a Déda como "amigo e compadre". Já Dilma como "Dedinha e o grande poeta".
Petistas sergipanos que participam do congresso estão usando uma camisa com a imagem de Déda, uma estrela do PT e a frase "Semeador de sorrisos". Essa camisa vem sendo usada em Sergipe desde a missa de 7º Dia em sufrágio da sua alma, na Catedral Metropolitana.

O ex-presidente nacional do PT e ex-senador José Eduardo Dutra, que chorou muito durante o velório de Déda, na quinta-feira quando chegou a Brasília para o congresso do partido postou na rede social: "Sensação estranha quando cheguei hoje à Bsb. Lembrei de 1995. Eu e Déda, os dois tabaréus de Sergipe chegando na capital".

Zé Eduardo, inclusive, chegou a declarar que durante o 5º Congresso do PT que leva o nome dos dois companheiros, "mais uma vez seria impossível segurar a emoção".
Em meio às homenagens e emoções, o presidente nacional reeleito do PT, deputado Rui Falcão, e o presidente Lula não perderam a oportunidade de criticar adversários, com relação a ataques relacionados ao Mensalão. Disseram que não se intimidariam nas eleições de 2014.

Rui Falcão fez um discurso contra as "manipulações" e as "mentiras" envolvendo o processo do Mensalão. Disse que não pretende transformar as eleições de 2014 numa guerra de escândalos, mas garantiu que os ataques não ficarão sem resposta. "Se enganam os que pensam que vamos levar injustiça e desaforos para casa".

Apresentando-se como "comandado" do PT para a campanha de reeleição da presidenta Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula afirmou na noite da quinta-feira que os frequentes ataques aos petistas, ao governo e à condução da economia ocorrem mais por um problema de classe social do que pelo erros que o partido tenha cometido nesses quase 11 anos no comando do país.
"O problema não é econômico, o problema é de pele, é de classe social. Se eu tivesse fracassado como imaginavam, diriam que era porque eu era um coitadinho de um operário, que não estava preparado. Fizeram um país para governar por mais de 20 anos e quem está governando há 12 anos somos nós. Um dia pegaram uma jovem de 20 anos, prenderam-na, torturaram-na, e depois a soltaram. Alguns anos depois essa jovem rebelde vira presidenta da República desse país. Isso não é uma coisa simples de compreender", frisou.

Ressaltou Lula, que o PT tem sido vítima das suas virtudes e dos seus defeitos. Foi muito aplaudido quando comparou os ataques aos condenados no Mensalão, a episódios mais graves envolvendo figuras da oposição ligadas ao PSDB.  Disse que teve mais notícias na mídia sobre o emprego de José Dirceu que a apreensão de 450 quilos de pasta de cocaína num helicóptero pertencente ao deputado estadual mineiro Gustavo Perrella (SDD), filho do senador Zezé Perrella (PDT), ambos ligados ao presidenciável tucano Aécio Neves.

Disse que para reeleger Dilma o PT precisa estar mais integrado com as bases e com a sociedade. Lula lembrou que o fato de mais de 400 mil filiados terem comparecido ao chamado do partido para participar do Processo de Eleições Diretas, o PED 2013, em novembro, é sinal de que muita coisa boa está acontecendo no Brasil.

Ressaltou que os novos dirigentes do partido empossados na abertura do 5º Congresso Nacional preparem-se para viajar do Oiapoque ao Chuí e deixar o PT mais forte. "Teremos que trabalhar e construir alianças, pois não teremos uma eleição fácil. Não vamos esperar moleza: estas eleições precisam de dedicação e muito compromisso de nossa parte. Teremos que ir para a rua", conclamou.

Prioridade
O Diretório Nacional do PT aprovou, nesta quarta-feira, resolução estabelecendo que as candidaturas e alianças partidárias nas eleições estaduais do ano que vem terão como norte a reeleição da presidente Dilma Rousseff e terão que ser avalizadas pela direção nacional do partido. "Nossas alianças deverão ser construídas não apenas para conquistar vitórias importantes nos estados, como também para garantir a reeleição da presidente Dilma", diz a resolução sobre as disputas eleitorais de 2014.
Dividindo
responsabilidade 1
Deve acontecer no final da próxima semana a reunião do governador Jackson Barreto (PMDB) com os líderes do partido da base aliada para discutir as alterações que serão feitas na administração pública a partir de janeiro. É que JB aguarda o retorno do senador Valadares (PSB), que está em viagem aos Estados Unidos, em missão pelo Congresso Nacional, para marcar o encontro. Ele chega na próxima segunda-feira à noite, em Brasília.

Dividindo
responsabilidade 2
É provável que a reunião aconteça na próxima sexta-feira, uma vez que será na quinta-feira, 19, o último dia dos trabalhos legislativos deste ano no Congresso Nacional.  Jackson quer dividir a responsabilidade do governo com os aliados. "Nós somos um grupo, temos um projeto político, não posso falar sozinho. Tenho aliados, partidos que nos apoiam e temos que dividir as responsabilidades", afirmou, enfatizando que em qualquer circunstância serão colocados em primeiro plano os interesses do povo sergipano.

Capital do esporte
Ontem, mais um ministro esteve em Sergipe: o de Esportes, Aldo Rebelo, que participou do Seminário Nacional de Políticas Públicas de Esporte, com o objetivo de identificar projetos e ações envolvendo as práticas esportivas capazes de promover a inclusão social ao lado da valorização da imagem do Brasil no exterior. O evento foi uma iniciativa do presidente da Comissão de Turismo e Desporto (CTD), da Câmara Federal, o deputado Valadares Filho (PSB-SE).

Todas as tribos
O seminário reuniu o governador Jackson Barreto (PMDB), o prefeito João Alves (DEM), o vice José Carlos Machado (PSDB), o presidente da Embratur Flávio Dino, os também deputados federais Fábio Reis e Laércio Oliveira. Além dos secretários de Estado do Turismo e de Esporte e do Lazer, Elber Batalha Filho e Maurício Pimentel, respectivamente, e prefeitos do interior.

Boas notícias
O deputado Valadares Filho considerou "produtivo e de alto nível" o seminário. Principalmente pelo fato do ministro Aldo Rebelo ter reafirmado a construção de quatro Centros Olímpicos em Sergipe (Aracaju, Itabaiana, Lagarto e São Cristovão), que atenderia a reivindicação de construção de uma pista de Atletismo Oficial, na UFS, e agilização da liberação dos recursos para a reforma do Batistão.

Indefinição
O deputado estadual Zé Franco (PDT) revela que ainda está avaliando se disputará mandato de deputado federal ou vai para a reeleição em 2014. "Não tenho medo de nada. Só temo a Deus, acredito e confio nele. Para se eleger tem de ter voto. Tenho serviço prestado e o grupo está unido. O que tem é muita história, mas a verdade é que estamos unidos pelo bem comum".
Expectativa
Segundo Zé Franco, até fevereiro ele decidirá qual mandato disputará. "O PDT precisa ter um deputado em Brasília ou no governo. Tem nome para isso", avalia o parlamentar, que pode vir a ser presidente da Assembleia se Angélica Guimarães (PSC) vencer a eleição para a vaga do conselheiro Reinaldo Moura, já aposentado compulsoriamente por ter completado 70 anos.

Candidato
Adelson Ribeiro, filho do ex-prefeito de Lagarto Cabo Zé, será candidato a prefeito de Lagarto em 2016. Segundo Cabo Zé, o filho deixou o PR e se filiará a um partido do bloco do "verdadeiro Bole-Bole" para concorrer ao cargo.

Alfinetada
Revela ainda o ex-prefeito de Lagarto que é preciso fazer alguma coisa por Lagarto. "O prefeito [Lila Fraga/PSDB] não está fazendo nada. Está maltratando até os próprios correligionários fundadores do Saramandaia", revela.  

Ao mar
Uma parte das cinzas do corpo do ex-governador Marcelo Déda, cremado em Salvador na semana passada, foi jogada ontem ao mar da Praia do Saco, conforme seu desejo em vida. A cerimônia simples contou com a participação de familiares.

No parque
O prefeito João Alves já conversou com a ex-primeira dama Eliane Aquino sobre a construção de uma Capela, no Parque da Sementeira, para colocar outra parte das cinzas do ex-governador ao lado de uma árvore Pau-Brasil que plantou junto com ela em 2005.

Veja essa...

Do ex-presidente Lula, durante abertura do Congresso Nacional do PT, num recado claro aos dirigentes do partido: "Não se iludam que cada coisa, quanto melhor fizermos, mais aumentará a ira da oposição contra nós. Tudo isso deixa as pessoas em dúvida sobre o que vai acontecer nesse país. Temos uma responsabilidade de reeleger a Dilma presidenta e para isso precisamos ter uma boa bancada de deputados federais, aumentar o número de senadores, eleger governadores e deputados estaduais".

Curtas

Como a coluna já noticiou, antes de morrer Marcelo Déda deixou pronto um livro de poesias de sua autoria que a presidente Dilma Rousseff disse a ex-primeira-dama Eliane Aquino que terá o maior prazer em publicá-lo.
Abaixo alguns versos da poesia "O Lobo", em homenagem ao jornalista Cleomar Brandi, que constará no livro de poesia de Déda, postado ontem no twitter pelo conselheiro do TCE, Clovis Barbosa:
"Aprendi a caminhar na brisa deixando pegadas no sereno"
"Nativo da noite, procurei abrigo no porto da madrugada"
"Fiz dos amigos meu invencível exército. E da fé no homem meu derradeiro credo"
Levantei acampamento em remotos bares. E lá hasteei meu estandarte de sangue e perdões"  
Despachei em navios de madeira e linho os últimos medos. E engarrafei em vasos sagrados minha safra de lágrimas"
"Revoguei o futuro do meu cálculo. E fiz de presentes o tempo dos meus verbos"