Terceiro nome

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 24/05/2013 às 10:53:00

Informações chegadas à coluna dão conta que está aparecendo um terceiro nome que pode ser de consenso para a vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, diante da decisão unânime do pleno do Tribunal de Justiça do Estado de ter rejeitado os agravos regimentais impetrados pela deputada estadual Susana Azevedo (PSC) e a Assembleia Legislativa e mantido a liminar que resultou na nulidade da eleição em que a parlamentar ganhou o pleito para o secretário Belivaldo Chagas (Educação) por 13 x 9.

Isso porque uma nova eleição para conselheiro do TCE não será fácil tanto para Susana quanto para Belivaldo. E havendo recurso de um dos dois para o Superior Tribunal de Justiça dificilmente o processo entrará na pauta de julgamento do STJ até dezembro de 2013, quando acaba a atual legislatura e o governo.

Com uma nova formação na Assembleia, que pode ter uma renovação em torno de 50%, e um novo governo, é pouco provável que seja mantido o acordo dos irmãos Amorim em apoiar Susana Azevedo, e de Marcelo Déda (PT) e Valadares (PSB) de apoiar Belivaldo Chagas. Em 2014, a conjuntura política será outra, assim como os interesses de quem estará no mandato legislativo e no Poder Executivo.
No caso da própria Susana e da Assembleia Legislativa não desejar mais seguir em frente com o julgamento do mérito do mandato de segurança impetrado por Belivaldo pela anulação da eleição e aceitar que seja realizado um novo pleito, a situação não será fácil para nenhum dos dois candidatos.

Susana, que ganhou com 13 votos, dificilmente manterá esse placar. É que seguindo o Regimento Interno da Assembleia que prevalecia até um dia antes da votação, a eleição terá que ser por votação aberta e nem Susana poderá votar, assim como o suplente Gilmar Carvalho. Susana perde logo um voto e mais um da presidente Angélica Guimarães (PSC), que não pode participar de uma eleição com o voto aberto. Com isso, ela teria apenas 11 votos.  
O governo tem hoje 11 deputados na Assembleia. Os dois votos que Belivaldo teve a menos foi porque um parlamentar da base insatisfeito aproveitou da votação ser secreta para se abster de votar e Adelson Barreto (sem partido) insatisfeito com o momento político e o tratamento dispensado pelo seu então partido, o PSB, não compareceu a votação.

Como a votação será aberta, dificilmente o deputado que se absteve de votar não votará com o candidato do governo. E Adelson, que já não está mais no PSB, tem uma relação pessoal e de amizade muito boa com Belivaldo e pode votar com o amigo.
Os Amorim ainda não sabem se poderão contar com o voto do suplente de deputado Antônio Passos (DEM), que assumiu este ano a vaga da deputada estadual Goretti Reis (DEM). Goretti é secretária municipal de Saúde a convite do próprio prefeito João Alves Filho (DEM), que quis contemplar o amigo Antônio Passos com um mandato.
O voto de Passos, fiel aliado de João Alves, pode ser o fiel da balança na eleição para conselheiro do TCE. Resta saber em quem João Alves pediria para ele votar...
Diante deste cenário de uma nova eleição difícil ou que a vaga de conselheiro só venha a ser definida na próxima legislatura, é que um nome está aparecendo para ser o de consenso dos dois lados: o do deputado estadual Zeca da Silva (PSC).

Nome de consenso
O deputado Zeca da Silva (PSC) está sendo apontado como o nome de consenso para a vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, aberta desde fevereiro de 2012 com a aposentadoria compulsória de Isabel Nabuco. Além de ser do partido dos irmãos Amorim, tem uma boa relação com o governo, tendo sido, inclusive, secretário da Indústria e Comércio até o rompimento político do governador Déda (PT) com os Amorim em fevereiro do ano passado por conta da eleição antecipada em um ano da Assembleia Legislativa.
Procurado
Segundo uma fonte, Zeca, inclusive, já teria sido sondado para colocar seu nome à disposição para conselheiro do TCE. Ainda de acordo com a fonte, ele não se manifestou e afirmou apenas que é um político de grupo. Zeca realmente tem bom trânsito em todas as correntes políticas.

Concorrida 1
Todos os 24 deputados estaduais estão em Recife desde ontem para prestigiar hoje da posse do líder da oposição na Assembleia, Venâncio Fonseca (PP), como presidente da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale). A solenidade ocorrerá às 11h, no Centro de Convenções de Pernambuco, durante a XVII Conferência Nacional dos Legislativos Estaduais (CNLE).

Concorrida 2
Além dos deputados, estão em Recife desde ontem para prestigiar Venâncio o ex-governador Albano Franco e o vice-prefeito de Aracaju, José Carlos Machado (DEM). O senador Eduardo Amorim (PSC) representará hoje o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB/AL), na solenidade de posse.
No exterior 1
João Alves participa hoje da posse de Venâncio, e no final de semana embarca para a Itália a convite da Confederação Brasileira do Desporto Escolar (CBDE) para que presida a delegação brasileira que vai a Manfredônia participar do Campeonato Mundial Escolar de Vôlei de Praia. Na ocasião, o prefeito vai defender a capital sergipana como a melhor cidade para receber a próxima edição do evento.

No exterior 2
Os secretários municipais Carlos Batalha (Comunicação), Carlos Eloy (Juventude e Esporte) e Walker Carvalho (Indústria, Comércio e Turismo), que vão acompanhar João na Europa, já embarcaram ontem.

Nota 1
A assessoria de comunicação do deputado federal Rogério Carvalho, presidente estadual do PT, encaminhou ontem nota a coluna por conta da publicação de que na Caravana Regional do PT, que ocorre aos sábados no interior do Estado, vem ocorrendo alguns embates entre ele e o deputado federal Márcio Macedo por conta de Rogério querer podar a sua fala. E também de que Rogério continua se articulando para disputar o Senado em 2014, no caso de Marcelo Déda decidir não ser candidato.

Nota 2
Diz a nota que quando da definição da realização das Caravanas Regionais do PT, ficou definido e aprovado que a mesa seria composta pelos deputados e presidentes locais e que cada um teria três minutos para a saudação. E que depois os militantes teriam, cada um, três minutos para falar com tolerância de duas militâncias, e que as lideranças da mesa teriam sete minutos com tolerância de três, para que todos possam expor suas ideias.

Nota 3
Na nota, é dito que o deputado Rogério Carvalho é o presidente do partido e é natural que ele coordene a mesa e indique aos companheiros quando o tempo está acabando. "As falas de todas as lideranças como os deputados estaduais Ana Lúcia, Conceição Viera e João Daniel, o deputado federal Márcio Macedo, os secretários de Estado Silvio Santos e Chico Buchinho, e os dirigentes do PT Vadinho, Joaldo, Casa Grande, Lucas Rios, dos representantes da Juventude e dos militantes são importantes, mas seguem a regra e todos expõem suas ideias livremente, a exemplo, inclusive, do deputado federal Marcio Macedo, que pediu mais tempo para falar no evento de Nossa Senhora da Glória e assim foi concedido, mesmo o tempo sendo definido antes, na executiva estadual, com aprovação de todos. Dessa forma, a informação publicada de que o presidente "Poda" as falas do deputado Marcio Macedo é improcedente. Todos falam, com concessões se necessário".
Nota 4
Prossegue a nota "Além disso, a senhora afirma, e não é a primeira vez, que o deputado se articula para ser candidato ao Senado. Em todas as entrevistas, Rogério Carvalho afirma que o candidato é Marcelo Déda, líder maior do partido, a quem deve respeito, consideração e lealdade. Além disso, não houve nenhum tipo de conversa por parte do deputado e de integrantes de seu agrupamento sobre este assunto e o próprio PED".

Nota 5
Finaliza a nota "Não queremos crer que tal afirmação na sua coluna, tão lida e sinônimo de credibilidade em todo o Estado, seja instrumento de uma intriga política, no que chamamos popularmente de "Informação Plantada" a fim de instaurar a discórdia e desconfiança em relação ao parlamentar Rogério Carvalho, a quem sempre se referiu a nobre jornalista com cordialidade e respeito. Por isso, alertamo-la sobre isso, e prestamos os esclarecimentos nos colocando à disposição".

Esclarecimento
A coluna afirma que não tem a prática de colocar "informação plantada" e o que fez foi apenas informar que os dois deputados federais do PT se estranharam na Caravana Regional em Glória, a partir do momento que Márcio Macedo queria mais tempo para falar e considerou que Rogério estava podando a sua fala. O embate entre os dois realmente aconteceu e foi testemunhado por petistas presentes. Quanto a informação de que Rogério trabalha a sua candidatura ao Senado no caso de Déda não ser candidato é dito por prefeitos e lideranças do interior. Isso não diz respeito a colunista, que não é filiada a nenhum partido político e não é candidata nem a sindica de prédio.

Veja essa...
Do prefeito João Alves a imprensa ao ser questionado ontem se vai apoiar Jackson Barreto ou ser candidato a governador: "Sou candidato a ser o melhor prefeito de Aracaju. Só se na viagem que farei a Itália me convidarem a resolver o problema da Itália".

Curtas
Os deputados federais Fábio Reis (PMDB) e Valadares Filho (PSB) acompanharam ontem a cerimônia de entrega de 50 máquinas agrícolas que foram doadas a 37 municípios sergipanos atingidos pela seca. A entrega foi feita pelo vice-governador Jackson Barreto (PMDB).

A presidente Dilma Rousseff indicou ontem o advogado constitucionalista Luís Roberto Barroso, do Rio de Janeiro, para o STF (Supremo Tribunal Federal), na vaga do sergipano Carlos Britto, aposentado compulsoriamente há seis meses ao completar 70 anos.
Com isso, a presidente mantém o atual equilíbrio dentro da Corte entre liberais e conservadores. Carlos Britto era conhecido por suas posições liberais, como quando votou a favor da derrubada da Lei de Imprensa, da pesquisa com células tronco e da união entre pessoas do mesmo sexo. Seu sucessor é a favor do casamento gay.

O Sindicato dos Auditores Tributários do Estado de Sergipe (Sindat) cobra do governo do Estado o anúncio da proposta de reajuste salarial dos servidores públicos. Segundo o conselheiro diretivo, Marco Aurélio Monteiro, as categorias estão na expectativa e reclamam da demora do governo em anunciar o percentual.