O PREÇO DO ENGODO

Rômulo Rodrigues

 

* Rômulo Rodrigues
O Brasil viveu uma estupenda caminhada de sucesso que começou em primeiro de Janeiro de 2003 e terminou em 31 de dezembro de 2014, quando o País despontava nas agendas econômica e diplomática mundial com respeitabilidade.
Aí, veio o Pré-Sal que trouxe aqui o Vice-Presidente dos EUA, Joe Biden, agora candidato democrata para derrotar Trump, que pediu à Presidenta Dilma a participação do seu País na partilha do nosso ouro negro e recebeu não, como resposta.
De volta para casa, não se sabe se por ordem dele ou do Departamento de Estado, o fato é que coisas estranhas começaram a acontecer contra a Petrobras, Odebrecht, o Partido dos Trabalhadores, a Presidenta Dilma e o presidente Lula.
O certo é que; após aquela visita, foi intensificada pela Rede Globo, Folha de São Paulo e O Estadão, uma virulenta campanha midiática, e o golpe foi desencadeado, pelo FBI, via Lava Jato, com o apoio dos Generais com o Supremo, com tudo.
Foi exatamente o que aconteceu; um Golpe de Estado; sem militares nas ruas e invadindo Palácios para depor Presidente e Governadores e nem fechar o Congresso Nacional e encurralar o STF.
A artilharia foi outra; afinal, estamos em tempos de Guerra Híbrida e o veneno letal aplicado foi o ódio que já vinha sendo inoculado em setores médios da sociedade lentamente, pacientemente, há alguns anos.
O retrato em branco e preto do extrato da legião de contaminados, classe média, foi exposto no episódio nefasto do casal que quis humilhar um fiscal da vigilância sanitária que mandou fechar um Bar na Zona Sul da Cidade Maravilhosa, sábado à noite, por estar desrespeitando as normas de segurança e prevenção sanitária.
Ao se dirigir ao casal, dos que se acham acima do bem e do mal, o fiscal foi interpelado pelo homem que indagou; "cadê a sua trena? Como você mediu as pessoas?" O fiscal, ao chama-lo de Cidadão, ouviu da mulher; "Cidadão não, Engenheiro civil formado, melhor que você".
A mulher, Nivea Del Maestro, que ostenta em seu currículo várias graduações de Gestão e Planejamento; agora, ostentará mais um título, desempregada.
A TAELSA, Transmissora Aliança de Energia Elétrica, tão logo viu a reportagem no Fantástico da Rede Globo, que inoculou o ódio no casal, emitiu nota pública condenando o comportamento de Nivea e a mandou para o olho da rua.
Nivea Del Maestro deve ter acordado na segunda feira, desamparada e espantada, com uma grande lição que não aprendeu nos cursos que frequentou. A nota da TAELSA lhe expõe uma realidade cristalina: "Patrão é como Xique-Xique, não dá sombra e nem encosto".
O marido, Leonardo Barros, Engenheiro Civil, melhor que o fiscal, se define como pai, casado, atleta amador, mergulhador. Direita, anti-PT, anti-PSOL, anti-PC do B, anti-extrema imprensa.
Enfim, um perfeito eleitor de Bolsonaro que com certeza, por aceitar a imbecilidade como atributo pessoal, não assiste uma entrevista como a de Fernando Haddad na segunda feira no programa Roda Viva para saber a diferença entre um Professor e um Energúmero, e perceber que pensa da maneira que pensa, odeia da maneira que odeia por ter como referência intelectual meia dúzia de Jornalistas alugados, que fazem as mesmas perguntas há anos e dizem que o PT, Haddad e Lula não se renovam.
Enxerga como verdade as inúmeras mentiras ditas contra Lula e seus filhos, ao longo de décadas, mas não consegue ver imoralidade na descoberta de R$ 40 milhões depositados numa conta em nome de José Serra, num Banco na Suiça, por uma única lógica criada por Moro; José Serra é do PSDB e como Tucano de alta plumagem, não vem ao caso.
É o tipo de gente que estava nos embalos de sábado à noite no Leblon; foi para eles que Moro confessou ter transformado sua sala de audiências em um Ringue para enfrentar Lula, só que perdendo feio o combate, os Juízes, seus amigos, lhe deram a vitória por três a zero.
Essa é a gente que enquanto não for contaminada, ou alguém da família, aplaude a proposta de Paulo Guedes de que a Reforma da Previdência necessita de um número de mortes pelo Corona-Vírus que ultrapasse os 100 mil, no máximo até final de Outubro, para atender ao Mercado.
Espero que não, mas a senhora Nivea Del Maestro, agora como desempregada, ficou mais exposta ao contágio do Vírus e, caso contraia a doença e não resista, atende ao desejo de Paulo Guedes e a Previdência deixará de pagar uma futura pensão acima da média dos trabalhadores dos salários dos brasileiros, retendo o dinheiro para os Bancos.
Na sua soberba odiosa, exaltou o marido como Engenheiro Civil formado e não quis saber da formação do fiscal.
Agora, como desempregada, mas famosa, vai saber que o humilde fiscal é Doutor em Ciências Veterinárias, Mestre em Medicina Veterinária, Médico Veterinário formado desde 1991 e atua cientificamente na área de sanidade animal.
O Doutor Flavio Graça, cumprindo seu juramento profissional, manteve-se calmo, pois sabia estar diante de uma junta de ruminantes, atrelados ao carro do bolsonarismo que odeiam Veterinários e amam os Marchantes.
Bolsonaro gerou isso. Gado que muge Mitoooo, enquanto vai para o abatedouro. Eis o preço do grande engodo.
* Rômulo Rodrigues é militante político

* Rômulo Rodrigues

O Brasil viveu uma estupenda caminhada de sucesso que começou em primeiro de Janeiro de 2003 e terminou em 31 de dezembro de 2014, quando o País despontava nas agendas econômica e diplomática mundial com respeitabilidade.
Aí, veio o Pré-Sal que trouxe aqui o Vice-Presidente dos EUA, Joe Biden, agora candidato democrata para derrotar Trump, que pediu à Presidenta Dilma a participação do seu País na partilha do nosso ouro negro e recebeu não, como resposta.
De volta para casa, não se sabe se por ordem dele ou do Departamento de Estado, o fato é que coisas estranhas começaram a acontecer contra a Petrobras, Odebrecht, o Partido dos Trabalhadores, a Presidenta Dilma e o presidente Lula.
O certo é que; após aquela visita, foi intensificada pela Rede Globo, Folha de São Paulo e O Estadão, uma virulenta campanha midiática, e o golpe foi desencadeado, pelo FBI, via Lava Jato, com o apoio dos Generais com o Supremo, com tudo.
Foi exatamente o que aconteceu; um Golpe de Estado; sem militares nas ruas e invadindo Palácios para depor Presidente e Governadores e nem fechar o Congresso Nacional e encurralar o STF.
A artilharia foi outra; afinal, estamos em tempos de Guerra Híbrida e o veneno letal aplicado foi o ódio que já vinha sendo inoculado em setores médios da sociedade lentamente, pacientemente, há alguns anos.
O retrato em branco e preto do extrato da legião de contaminados, classe média, foi exposto no episódio nefasto do casal que quis humilhar um fiscal da vigilância sanitária que mandou fechar um Bar na Zona Sul da Cidade Maravilhosa, sábado à noite, por estar desrespeitando as normas de segurança e prevenção sanitária.
Ao se dirigir ao casal, dos que se acham acima do bem e do mal, o fiscal foi interpelado pelo homem que indagou; "cadê a sua trena? Como você mediu as pessoas?" O fiscal, ao chama-lo de Cidadão, ouviu da mulher; "Cidadão não, Engenheiro civil formado, melhor que você".
A mulher, Nivea Del Maestro, que ostenta em seu currículo várias graduações de Gestão e Planejamento; agora, ostentará mais um título, desempregada.
A TAELSA, Transmissora Aliança de Energia Elétrica, tão logo viu a reportagem no Fantástico da Rede Globo, que inoculou o ódio no casal, emitiu nota pública condenando o comportamento de Nivea e a mandou para o olho da rua.
Nivea Del Maestro deve ter acordado na segunda feira, desamparada e espantada, com uma grande lição que não aprendeu nos cursos que frequentou. A nota da TAELSA lhe expõe uma realidade cristalina: "Patrão é como Xique-Xique, não dá sombra e nem encosto".
O marido, Leonardo Barros, Engenheiro Civil, melhor que o fiscal, se define como pai, casado, atleta amador, mergulhador. Direita, anti-PT, anti-PSOL, anti-PC do B, anti-extrema imprensa.
Enfim, um perfeito eleitor de Bolsonaro que com certeza, por aceitar a imbecilidade como atributo pessoal, não assiste uma entrevista como a de Fernando Haddad na segunda feira no programa Roda Viva para saber a diferença entre um Professor e um Energúmero, e perceber que pensa da maneira que pensa, odeia da maneira que odeia por ter como referência intelectual meia dúzia de Jornalistas alugados, que fazem as mesmas perguntas há anos e dizem que o PT, Haddad e Lula não se renovam.
Enxerga como verdade as inúmeras mentiras ditas contra Lula e seus filhos, ao longo de décadas, mas não consegue ver imoralidade na descoberta de R$ 40 milhões depositados numa conta em nome de José Serra, num Banco na Suiça, por uma única lógica criada por Moro; José Serra é do PSDB e como Tucano de alta plumagem, não vem ao caso.
É o tipo de gente que estava nos embalos de sábado à noite no Leblon; foi para eles que Moro confessou ter transformado sua sala de audiências em um Ringue para enfrentar Lula, só que perdendo feio o combate, os Juízes, seus amigos, lhe deram a vitória por três a zero.
Essa é a gente que enquanto não for contaminada, ou alguém da família, aplaude a proposta de Paulo Guedes de que a Reforma da Previdência necessita de um número de mortes pelo Corona-Vírus que ultrapasse os 100 mil, no máximo até final de Outubro, para atender ao Mercado.
Espero que não, mas a senhora Nivea Del Maestro, agora como desempregada, ficou mais exposta ao contágio do Vírus e, caso contraia a doença e não resista, atende ao desejo de Paulo Guedes e a Previdência deixará de pagar uma futura pensão acima da média dos trabalhadores dos salários dos brasileiros, retendo o dinheiro para os Bancos.
Na sua soberba odiosa, exaltou o marido como Engenheiro Civil formado e não quis saber da formação do fiscal.
Agora, como desempregada, mas famosa, vai saber que o humilde fiscal é Doutor em Ciências Veterinárias, Mestre em Medicina Veterinária, Médico Veterinário formado desde 1991 e atua cientificamente na área de sanidade animal.
O Doutor Flavio Graça, cumprindo seu juramento profissional, manteve-se calmo, pois sabia estar diante de uma junta de ruminantes, atrelados ao carro do bolsonarismo que odeiam Veterinários e amam os Marchantes.
Bolsonaro gerou isso. Gado que muge Mitoooo, enquanto vai para o abatedouro. Eis o preço do grande engodo.

* Rômulo Rodrigues é militante político

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS