Chuvas provocam incidentes na Grande Aracaju

Geral


  • NA CIDADE NOVA, MURO CAIU SOBRE DUAS CASAS; NINGUÉM FICOU FERIDO

  • Defesa Civil observa muro que caiu no bairro Cidade Nova

 

Milton Alves Júnior
A nova frente fria que atingiu a costa sergipana na madrugada de ontem provocou alagamentos, quedas de árvores e desabamento parcial de paredes e telhados em vários pontos da capital sergipana. No bairro Cidade Nova, zona Norte de Aracaju, o desmoronamento de terra atingiu o muro de duas casas que ficaram parcialmente destruídas, e deixou outras duas residências com as estruturas comprometidas. Equipes de resgate do Corpo de Bombeiros Militar (CBM), e da Defesa Civil Municipal foram encaminhadas no início da manhã para atender a ocorrência que, conforme destacado pela Secretaria da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), não vitimou nenhum morador; apenas danos materiais foram registrados pelos profissionais que atuaram na operação.
A preocupação por parte dos órgãos estaduais e municipais de prevenção de acidentes está diretamente ligada às previsões do tempo apresentados pelo Departamento de Meteorologista da Superintendência Especial dos Recursos Hídricos e Meio Ambiente (SERHMA). De acordo com os estudos, até o início da próxima semana as chuvas devem continuar atingindo a região metropolitana de Aracaju e registrar um acumulado diário - somente na capital sergipana - em torno de 30 milímetros. A temperatura deve variar entre 25 e 32°C. Há possibilidade de pancadas de chuva em todo o estado. A média histórica para todo o mês de maio foi ultrapassado na última semana. Até o dia 22, no litoral, já havia sido registrado 360 milímetros (a média é de 320 mm).
Esses dados foram ainda reforçados pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o qual revelou que no Agreste, foram 270 mm (média de 220 mm); e no Sertão, os registros foram de 150 mm (média de 120 mm). Ainda na manhã de ontem, as análises climáticas mostraram que as nuvens foram se espalhando para outras regiões do estado. Às 13h30, quando a água acumulada em Aracaju se aproximava do escoamento total, as pancadas de chuvas intensa e fortes rajadas de vento voltaram a atingir a capital. Destacado pelo major Silvio Prado, coordenador da Defesa Civil Municipal, a prefeitura pede que a população esteja atenta aos indícios de vulnerabilidade, e acionem o Plantão 199 em caso de emergência.
 "Todo o cuidado sempre foi pouco, e, nesse período de chuvas mais fortes, é preciso que as famílias fiquem atentas a qualquer indício de vulnerabilidade; sinais que indicam certo risco de acidentes. Esse muro que desabou no bairro Cidade Nova, por exemplo, já apresentava patologia de instabilidade estrutural. A chuva forte foi o principal motivo para ele ter despencado. Apesar do cenário de destruição, felizmente não nos deparamos com nenhuma vítima leve ou fatal", declarou o major. O trabalho realizado pela Defesa Civil conta ainda com o apoio da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), responsável por recolher todo o entulho acumulado pelo colapso do muro. As quatro casas estão interditadas por tempo indeterminado.

Milton Alves Júnior

A nova frente fria que atingiu a costa sergipana na madrugada de ontem provocou alagamentos, quedas de árvores e desabamento parcial de paredes e telhados em vários pontos da capital sergipana. No bairro Cidade Nova, zona Norte de Aracaju, o desmoronamento de terra atingiu o muro de duas casas que ficaram parcialmente destruídas, e deixou outras duas residências com as estruturas comprometidas. Equipes de resgate do Corpo de Bombeiros Militar (CBM), e da Defesa Civil Municipal foram encaminhadas no início da manhã para atender a ocorrência que, conforme destacado pela Secretaria da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), não vitimou nenhum morador; apenas danos materiais foram registrados pelos profissionais que atuaram na operação.
A preocupação por parte dos órgãos estaduais e municipais de prevenção de acidentes está diretamente ligada às previsões do tempo apresentados pelo Departamento de Meteorologista da Superintendência Especial dos Recursos Hídricos e Meio Ambiente (SERHMA). De acordo com os estudos, até o início da próxima semana as chuvas devem continuar atingindo a região metropolitana de Aracaju e registrar um acumulado diário - somente na capital sergipana - em torno de 30 milímetros. A temperatura deve variar entre 25 e 32°C. Há possibilidade de pancadas de chuva em todo o estado. A média histórica para todo o mês de maio foi ultrapassado na última semana. Até o dia 22, no litoral, já havia sido registrado 360 milímetros (a média é de 320 mm).
Esses dados foram ainda reforçados pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o qual revelou que no Agreste, foram 270 mm (média de 220 mm); e no Sertão, os registros foram de 150 mm (média de 120 mm). Ainda na manhã de ontem, as análises climáticas mostraram que as nuvens foram se espalhando para outras regiões do estado. Às 13h30, quando a água acumulada em Aracaju se aproximava do escoamento total, as pancadas de chuvas intensa e fortes rajadas de vento voltaram a atingir a capital. Destacado pelo major Silvio Prado, coordenador da Defesa Civil Municipal, a prefeitura pede que a população esteja atenta aos indícios de vulnerabilidade, e acionem o Plantão 199 em caso de emergência.
 "Todo o cuidado sempre foi pouco, e, nesse período de chuvas mais fortes, é preciso que as famílias fiquem atentas a qualquer indício de vulnerabilidade; sinais que indicam certo risco de acidentes. Esse muro que desabou no bairro Cidade Nova, por exemplo, já apresentava patologia de instabilidade estrutural. A chuva forte foi o principal motivo para ele ter despencado. Apesar do cenário de destruição, felizmente não nos deparamos com nenhuma vítima leve ou fatal", declarou o major. O trabalho realizado pela Defesa Civil conta ainda com o apoio da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), responsável por recolher todo o entulho acumulado pelo colapso do muro. As quatro casas estão interditadas por tempo indeterminado.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS