Torneio de KaratêVirtual agradou em cheio

Esporte

 

Torneio de Karatê
Virtual agradou em cheio
O primeiro Torneio de Karatê Escolar Virtual de Sergipe marcou o calendário de esporte, pelo seu ineditismo. O evento foi promovido pela Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), por meio da Superintendência Especial de Esporte (Supee), com a parceria da Federação Sergipana de Karatê (FSK).
A competição de caráter participativo promoveu a interação entre diversos karatecas, representantes de instituições de ensino públicas e particulares. Além disso, também houve a presença efetiva de pais e responsáveis, técnicos, comunidade esportiva e o público em geral. A tecnologia se tornou forte aliada no decorrer do evento, com o uso de ferramentas virtuais.
Pela plataforma Google Meet, os participantes realizaram movimentos de Katas, cada um em sua residência, sendo observados pela equipe de arbitragem da FSK e pela equipe técnica da Supee. O processo de avaliação seguiu de acordo com as regras adaptadas da WKF (World Karate Federation) e da CBK (Confederação Brasileira de Karatê). No whatsapp, a comunicação era constante. Os árbitros tinham acesso aos vídeos de cada atleta e tiravam dúvidas no grupo que foi criado especialmente para o torneio.
Ao todo, sete grupos foram definidos para a competição, com base na categoria de gênero, idade e faixa. Não faltou determinação por parte dos atletas, que colocaram em prática tudo o que estava sendo treinado em casa, durante os últimos dias. Houve momentos acirrados, gerando até mesmo empates técnicos entre os karatecas. Na hora da premiação, outra novidade: as medalhas virtuais, certificadas através da plataforma Badgr e entregues aos atletas vencedores, via e-mail.

O primeiro Torneio de Karatê Escolar Virtual de Sergipe marcou o calendário de esporte, pelo seu ineditismo. O evento foi promovido pela Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), por meio da Superintendência Especial de Esporte (Supee), com a parceria da Federação Sergipana de Karatê (FSK).
A competição de caráter participativo promoveu a interação entre diversos karatecas, representantes de instituições de ensino públicas e particulares. Além disso, também houve a presença efetiva de pais e responsáveis, técnicos, comunidade esportiva e o público em geral. A tecnologia se tornou forte aliada no decorrer do evento, com o uso de ferramentas virtuais.
Pela plataforma Google Meet, os participantes realizaram movimentos de Katas, cada um em sua residência, sendo observados pela equipe de arbitragem da FSK e pela equipe técnica da Supee. O processo de avaliação seguiu de acordo com as regras adaptadas da WKF (World Karate Federation) e da CBK (Confederação Brasileira de Karatê). No whatsapp, a comunicação era constante. Os árbitros tinham acesso aos vídeos de cada atleta e tiravam dúvidas no grupo que foi criado especialmente para o torneio.
Ao todo, sete grupos foram definidos para a competição, com base na categoria de gênero, idade e faixa. Não faltou determinação por parte dos atletas, que colocaram em prática tudo o que estava sendo treinado em casa, durante os últimos dias. Houve momentos acirrados, gerando até mesmo empates técnicos entre os karatecas. Na hora da premiação, outra novidade: as medalhas virtuais, certificadas através da plataforma Badgr e entregues aos atletas vencedores, via e-mail.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS