Movimento em supermercados diminuiu

Geral


  • Funcionário limpa carrinho de compras em supermercado

 

Mesmo contabilizando uma baixa de até 70% no fluxo de clientes, redes de supermercados permanecem multiplicando as ações de prevenção e combate ao novo coronavírus em unidades instaladas na região da Grande Aracaju. Um conjunto de medidas que, além de compor e respeitar as orientações apresentadas desde o início deste ano pela Organização Mundial da Saúde (OMS), também servem de demonstração cautelosa direcionada para com a saúde dos seus respectivos clientes. Paralelo à higienização diária dos corredores, escadas rolantes e corrimões, há operação de limpeza nas esteiras dos caixas, prateleiras e nas bases de acrílico as quais servem de apoio e impulso dos tradicionais carrinhos. Álcool 70% líquido tem sido utilizado pelos funcionários.
Em uma unidade instalada nas proximidades do Terminal de Integração do Distrito Industrial de Aracaju (DIA), placas de acrílicos foram instaladas em frente a todos os balcãos de atendimento ao público. Alegando se tratar de uma ação temporária, a proposta do grupo é reduzir ao máximo a possibilidade de contaminação da doença entre clientes e funcionários. Um corredor com marcações a cada dois metros na área externa, e adesivos indicativos no chão das plataformas que antecedem o caixa, também foram anexados desde que o Governo do Estado publicou no Diário Oficial o primeiro decreto orientando quarentena aos sergipanos que não compõem o grupo de risco. Medidas que seguem por tempo indeterminado.
Monitoramento paralelo - Diante do aumento de reclamações indicando aumento abusivo dos preços de produtos como álcool em gel, álcool líquido e produtos de limpeza, Ministério Público de Sergipe, por meio da Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor, informou na manhã de ontem que voltou a expedir uma nova recomendação à Associação Sergipana de Supermercados (Ases). A medida tem como princípio básico orientar os associados para que não promovam qualquer forma de aumento arbitrário sob os preços de produtos que integram a cesta básica e artigos de higiene pessoal, em especial álcool, em qualquer concentração, líquido e em gel. Caso os clientes se deparem com o descumprimento, a orientação é comunicar o fato aos Procons, e ao Ministério Público, para fins de verificação.

Mesmo contabilizando uma baixa de até 70% no fluxo de clientes, redes de supermercados permanecem multiplicando as ações de prevenção e combate ao novo coronavírus em unidades instaladas na região da Grande Aracaju. Um conjunto de medidas que, além de compor e respeitar as orientações apresentadas desde o início deste ano pela Organização Mundial da Saúde (OMS), também servem de demonstração cautelosa direcionada para com a saúde dos seus respectivos clientes. Paralelo à higienização diária dos corredores, escadas rolantes e corrimões, há operação de limpeza nas esteiras dos caixas, prateleiras e nas bases de acrílico as quais servem de apoio e impulso dos tradicionais carrinhos. Álcool 70% líquido tem sido utilizado pelos funcionários.Em uma unidade instalada nas proximidades do Terminal de Integração do Distrito Industrial de Aracaju (DIA), placas de acrílicos foram instaladas em frente a todos os balcãos de atendimento ao público. Alegando se tratar de uma ação temporária, a proposta do grupo é reduzir ao máximo a possibilidade de contaminação da doença entre clientes e funcionários. Um corredor com marcações a cada dois metros na área externa, e adesivos indicativos no chão das plataformas que antecedem o caixa, também foram anexados desde que o Governo do Estado publicou no Diário Oficial o primeiro decreto orientando quarentena aos sergipanos que não compõem o grupo de risco. Medidas que seguem por tempo indeterminado.

Monitoramento paralelo -
Diante do aumento de reclamações indicando aumento abusivo dos preços de produtos como álcool em gel, álcool líquido e produtos de limpeza, Ministério Público de Sergipe, por meio da Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor, informou na manhã de ontem que voltou a expedir uma nova recomendação à Associação Sergipana de Supermercados (Ases). A medida tem como princípio básico orientar os associados para que não promovam qualquer forma de aumento arbitrário sob os preços de produtos que integram a cesta básica e artigos de higiene pessoal, em especial álcool, em qualquer concentração, líquido e em gel. Caso os clientes se deparem com o descumprimento, a orientação é comunicar o fato aos Procons, e ao Ministério Público, para fins de verificação.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS