CBG pleiteia junto à FIG adiamento da Olimpíada

Esporte

 

A Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) vai enviar uma carta à Federação Internacional de Ginástica (FIG), para pleitear o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio. A entidade endossa o pedido do Comitê Olímpico Brasileiro, que defende a transferência para período semelhante ao originalmente estabelecido, entre fim de julho e a primeira quinzena de agosto do próximo ano.
Enquanto a pandemia desencadeada pelo novo coronavírus se expande, temos observado a angústia de nossos atletas, que se veem compelidos a manter a agenda de treinos, de forma a extrair o melhor de si mesmos, no maior evento do esporte internacional, ao passo que as recomendações da Organização Mundial de Saúde e das principais autoridades sanitárias do Brasil vão no sentido contrário, conclamando os cidadãos para que se recolham a seus lares e mantenham o distanciamento social.
 - Nosso papel, enquanto entidade máxima da modalidade no Brasil, é zelar pela família da ginástica nacional: nossos atletas, treinadores, árbitros, equipes multidisciplinares, dirigentes, torcedores e familiares. Neste momento, temos que unir esforços e seguir as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e as determinações das autoridades sanitárias do Brasil, no combate ao COVID19. Todos os eventos esportivos previstos no Calendário Nacional e Internacional da CBG foram suspensos por tempo indeterminado. Neste momento a crise mundial provocada pela pandemia, se impõe sobre o planejamento anteriormente traçado, que é forçosamente relegado a um segundo plano. O evento não pode jamais nos colocar em risco. Diante de toda essa incerteza, nosso compromisso é reforçar o pleito pelo adiamento do evento de Tóquio", diz a presidente da CBG, Maria Luciene Cacho Resende.

A Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) vai enviar uma carta à Federação Internacional de Ginástica (FIG), para pleitear o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio. A entidade endossa o pedido do Comitê Olímpico Brasileiro, que defende a transferência para período semelhante ao originalmente estabelecido, entre fim de julho e a primeira quinzena de agosto do próximo ano.
Enquanto a pandemia desencadeada pelo novo coronavírus se expande, temos observado a angústia de nossos atletas, que se veem compelidos a manter a agenda de treinos, de forma a extrair o melhor de si mesmos, no maior evento do esporte internacional, ao passo que as recomendações da Organização Mundial de Saúde e das principais autoridades sanitárias do Brasil vão no sentido contrário, conclamando os cidadãos para que se recolham a seus lares e mantenham o distanciamento social.
 - Nosso papel, enquanto entidade máxima da modalidade no Brasil, é zelar pela família da ginástica nacional: nossos atletas, treinadores, árbitros, equipes multidisciplinares, dirigentes, torcedores e familiares. Neste momento, temos que unir esforços e seguir as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e as determinações das autoridades sanitárias do Brasil, no combate ao COVID19. Todos os eventos esportivos previstos no Calendário Nacional e Internacional da CBG foram suspensos por tempo indeterminado. Neste momento a crise mundial provocada pela pandemia, se impõe sobre o planejamento anteriormente traçado, que é forçosamente relegado a um segundo plano. O evento não pode jamais nos colocar em risco. Diante de toda essa incerteza, nosso compromisso é reforçar o pleito pelo adiamento do evento de Tóquio", diz a presidente da CBG, Maria Luciene Cacho Resende.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS