Suspeito de estuprar idosa em Capela é preso

Geral


  • Marcos Antônio dos Santos é preso suspeito de estuprar idosa de 88 anos

 

A Polícia Civil revelou ontem os detalhes sobre a investigação que resultou na prisão de Marcos Antônio dos Santos, 23 anos, suspeito de estuprar e violentar uma idosa de 88 anos de idade, após invadir a casa dela. O crime aconteceu em 2 de fevereiro deste ano no povoado Saúde, em Capela (Vale do Cotinguiba). O crime teve ampla repercussão e chocou toda a comunidade local.
O atendimento a vítima foi feito inicialmente através do Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV), em Aracaju, que manteve contato com a Delegacia de Capela e acionou a equipe de papiloscopia da Secretaria de Segurança Pública (SSP) para se deslocar até a cena do crime e fazer o levantamento do material genético do local visando chegar na identificação do suspeito.
 "Após acionar os papiloscopistas, começamos a fazer levantamento de campo entrevistando moradores da região. Levantamos três indivíduos que poderiam estar envolvidos com esses crimes bárbaros. As fichas onomásticas foram levantadas e a equipe de papiloscopistas fez o cotejo entre o material encontrado no cenário do crime, na casa da vítima, e as impressões negativaram dois e positivaram o Marcos Antônio", explicou o delegado Wanderson Bastos.  
Marcos Antônio foi ouvido em depoimento na presença dos advogados e alegou que nunca havia entrado na casa da vítima, não tinha intimidade alguma. Ao mostrar o laudo datiloscópico, comprovando que as digitais dele estavam no local, o suspeito afirmou o vestígio dele teria sido 'plantado' no local do crime.
Segundo o delegado, a polícia aplicou técnicas de ciência forense modernas. O levantamento datiloscópico não leva em consideração apenas a impressão digital, mas também a presença de aminoácidos, água, lipídios e sais minerais. É uma prova incontestável e 100% eficaz, matematicamente perfeita e não há como negar que o suspeito esteve na cena do crime e a violentou já que o material genético foi comprovado.
"O suspeito destelhou a casa, entrou ameaçou, torturou e violentou a vítima que só foi encontrada totalmente ensanguentada no dia seguinte pela sobrinha que acionou imediatamente o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Não há elementos que encaminhe a motivação do crime, a não ser a gerontofilia, desejo sexual por pessoas com idade extremamente maior do que a dele. Não há ligação a crime de ódio, rancor ou vingança já que ele não tinha nenhum vínculo anterior com a idosa", completou o delegado Wanderson.
Marcos Antônio não tem passagem anterior pela Polícia, mas as investigações irão prosseguir para que eventuais vítimas possam através do Disque Denúncia, telefone 181, relatar qualquer abuso ou agressão sofridas. O sigilo é garantido para a proteção da vítima.

A Polícia Civil revelou ontem os detalhes sobre a investigação que resultou na prisão de Marcos Antônio dos Santos, 23 anos, suspeito de estuprar e violentar uma idosa de 88 anos de idade, após invadir a casa dela. O crime aconteceu em 2 de fevereiro deste ano no povoado Saúde, em Capela (Vale do Cotinguiba). O crime teve ampla repercussão e chocou toda a comunidade local.
O atendimento a vítima foi feito inicialmente através do Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV), em Aracaju, que manteve contato com a Delegacia de Capela e acionou a equipe de papiloscopia da Secretaria de Segurança Pública (SSP) para se deslocar até a cena do crime e fazer o levantamento do material genético do local visando chegar na identificação do suspeito.
 "Após acionar os papiloscopistas, começamos a fazer levantamento de campo entrevistando moradores da região. Levantamos três indivíduos que poderiam estar envolvidos com esses crimes bárbaros. As fichas onomásticas foram levantadas e a equipe de papiloscopistas fez o cotejo entre o material encontrado no cenário do crime, na casa da vítima, e as impressões negativaram dois e positivaram o Marcos Antônio", explicou o delegado Wanderson Bastos.  
Marcos Antônio foi ouvido em depoimento na presença dos advogados e alegou que nunca havia entrado na casa da vítima, não tinha intimidade alguma. Ao mostrar o laudo datiloscópico, comprovando que as digitais dele estavam no local, o suspeito afirmou o vestígio dele teria sido 'plantado' no local do crime.
Segundo o delegado, a polícia aplicou técnicas de ciência forense modernas. O levantamento datiloscópico não leva em consideração apenas a impressão digital, mas também a presença de aminoácidos, água, lipídios e sais minerais. É uma prova incontestável e 100% eficaz, matematicamente perfeita e não há como negar que o suspeito esteve na cena do crime e a violentou já que o material genético foi comprovado.
"O suspeito destelhou a casa, entrou ameaçou, torturou e violentou a vítima que só foi encontrada totalmente ensanguentada no dia seguinte pela sobrinha que acionou imediatamente o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Não há elementos que encaminhe a motivação do crime, a não ser a gerontofilia, desejo sexual por pessoas com idade extremamente maior do que a dele. Não há ligação a crime de ódio, rancor ou vingança já que ele não tinha nenhum vínculo anterior com a idosa", completou o delegado Wanderson.
Marcos Antônio não tem passagem anterior pela Polícia, mas as investigações irão prosseguir para que eventuais vítimas possam através do Disque Denúncia, telefone 181, relatar qualquer abuso ou agressão sofridas. O sigilo é garantido para a proteção da vítima.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS