Prefeitura deve atingir marca inédita de 300km de vias recapeadas

Geral


  • EM 2020 EMURB VAI ATINGIR A MARCA HISTÓRICA DE 300 KM DE VIAS RECAPEADAS EM QUATRO ANOS

 

Como consequência do 
trabalho de recupera
ção financeira empreendido pela Prefeitura de Aracaju a partir de 2017, a administração municipal conseguiu reestruturar a Empresa de Obras e Urbanização (Emurb), órgão que, em 2020, deve alcançar a marca inédita de 300km de vias públicas recapeadas em um intervalo de tempo de quatro anos.
O processo de reestruturação da empresa responsável pelas obras de requalificação viária de Aracaju levantou a situação em que se encontravam todos os equipamentos utilizados na recomposição do pavimento das vias públicas da cidade, os quais não estavam em condições de uso, por conta do tempo que passaram sem utilização.
Devidos às característica desses materiais e equipamentos, que precisam de manutenção contínua, uma empresa especializada foi contratada para recuperá-los. Alguns meses foram necessários para que a capacidade operacional fosse retomada. Aliada a essa iniciativa, a Prefeitura reativou sua asfalto de asfalto ainda em junho de 2017.
A reestruturação da Emurb foi possível com otimização da capacidade operacional do órgão, buscada a partir da adoção de soluções criativas. Assim, um leilão das peças antigas da empresa arrecadou recursos para atualizar o maquinário. Da mesma forma, um empréstimo conseguido junto ao Banco do Brasil permitiu a compra de uma fresadora, máquina que retira o asfalto e permite a reutilização desse material.  
Essas medidas foram fundamentais para que o trabalho de requalificação viária da cidade evoluísse ano após ano, e contemplasse comunidades como o Coqueiral, Barroso, 17 de Março, cujas vias foram todas pavimentadas, como também os bairros Atalaia e Coroa do Meio.
Além do trabalho nos bairros e do serviço cotidiano da operação tapa-buraco,  por meio de recursos do Ministério das Cidades foi possível iniciar o recapeamento das principais avenidas do município, no âmbito do Projeto de Mobilidade Urbana de Aracaju.
"É inédito na cidade ter a coragem de fazer, ao mesmo tempo, a recuperação dos maiores corredores de transporte coletivo, mais de 40km de extensão de vias importantes para o tráfego diário, aliado com o serviço cotidiano nos bairros. Trata-se de um esforço muito grande, inclusive intersetorial, com a ajuda da SMTT e Emsurb, por exemplo", destaca o presidente da Emurb e secretário municipal da Infraestrutura, Sérgio Ferrari.  
Assim, os corredores Beira Mar (do terminal da Atalaia até o Mercado Thales Ferraz), Augusto Franco (da avenida Gasoduto até a rua São Cristóvão), Centro/Jardins (do conjunto Augusto Franco até o Centro) e o Hermes Fontes (da avenida Barão de Maruim até o conjunto Orlando Dantas), contribuem para a Emurb atingir, neste ano, a marca inédita.
"Nossa meta é até julho bater dois recordes aqui na capital, a produção de asfalto em um ano e a quantidade de ruas recapeadas em um mandato, que deve passar de 300 km.  Isso significa muito, pelo estado em que encontramos a administração municipal, cheia de dívidas e com capacidade operacional reduzida. É a prova de que o Planejamento Estratégico traçado tem dado certo, uma vez que superamos a fase de reconstrução da cidade e podemos agora atingir resultados como esses", ressalta Ferrari.

Como consequência do  trabalho de recupera ção financeira empreendido pela Prefeitura de Aracaju a partir de 2017, a administração municipal conseguiu reestruturar a Empresa de Obras e Urbanização (Emurb), órgão que, em 2020, deve alcançar a marca inédita de 300km de vias públicas recapeadas em um intervalo de tempo de quatro anos.
O processo de reestruturação da empresa responsável pelas obras de requalificação viária de Aracaju levantou a situação em que se encontravam todos os equipamentos utilizados na recomposição do pavimento das vias públicas da cidade, os quais não estavam em condições de uso, por conta do tempo que passaram sem utilização.
Devidos às característica desses materiais e equipamentos, que precisam de manutenção contínua, uma empresa especializada foi contratada para recuperá-los. Alguns meses foram necessários para que a capacidade operacional fosse retomada. Aliada a essa iniciativa, a Prefeitura reativou sua asfalto de asfalto ainda em junho de 2017.
A reestruturação da Emurb foi possível com otimização da capacidade operacional do órgão, buscada a partir da adoção de soluções criativas. Assim, um leilão das peças antigas da empresa arrecadou recursos para atualizar o maquinário. Da mesma forma, um empréstimo conseguido junto ao Banco do Brasil permitiu a compra de uma fresadora, máquina que retira o asfalto e permite a reutilização desse material.  
Essas medidas foram fundamentais para que o trabalho de requalificação viária da cidade evoluísse ano após ano, e contemplasse comunidades como o Coqueiral, Barroso, 17 de Março, cujas vias foram todas pavimentadas, como também os bairros Atalaia e Coroa do Meio.
Além do trabalho nos bairros e do serviço cotidiano da operação tapa-buraco,  por meio de recursos do Ministério das Cidades foi possível iniciar o recapeamento das principais avenidas do município, no âmbito do Projeto de Mobilidade Urbana de Aracaju.
"É inédito na cidade ter a coragem de fazer, ao mesmo tempo, a recuperação dos maiores corredores de transporte coletivo, mais de 40km de extensão de vias importantes para o tráfego diário, aliado com o serviço cotidiano nos bairros. Trata-se de um esforço muito grande, inclusive intersetorial, com a ajuda da SMTT e Emsurb, por exemplo", destaca o presidente da Emurb e secretário municipal da Infraestrutura, Sérgio Ferrari.  
Assim, os corredores Beira Mar (do terminal da Atalaia até o Mercado Thales Ferraz), Augusto Franco (da avenida Gasoduto até a rua São Cristóvão), Centro/Jardins (do conjunto Augusto Franco até o Centro) e o Hermes Fontes (da avenida Barão de Maruim até o conjunto Orlando Dantas), contribuem para a Emurb atingir, neste ano, a marca inédita.
"Nossa meta é até julho bater dois recordes aqui na capital, a produção de asfalto em um ano e a quantidade de ruas recapeadas em um mandato, que deve passar de 300 km.  Isso significa muito, pelo estado em que encontramos a administração municipal, cheia de dívidas e com capacidade operacional reduzida. É a prova de que o Planejamento Estratégico traçado tem dado certo, uma vez que superamos a fase de reconstrução da cidade e podemos agora atingir resultados como esses", ressalta Ferrari.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS