Polícia aponta mortes em Dores a casal de traficantes

Geral


  • Armas e munições apreendidas durante a operação

 

A Polícia Civil fez uma operação nesta quinta-feira para combater um grupo envolvido em crimes de homicídio e tráfico de drogas em Nossa Senhora das Dores (Sertão). Agentes do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope) e da Delegacia Regional de Dores foram enviados para cumprir quatro mandados de prisão. Dois dos investigados, Robério Feitosa dos Santos, 29 anos, e a esposa dele, Maria Risonere da Silva, a "Paulinha", 45, morreram baleados em um tiroteio com os policiais. O terceiro envolvido, Reginaldo Santos Júnior, 25, foi preso por tráfico de drogas. E o quarto, Romário Vieira da Silva, 25, é considerado foragido.
Segundo as investigações, Robério era integrante de uma facção criminosa paulista e atuava como líder de um dos grupos responsáveis pelo tráfico de drogas na cidade e estaria envolvido nos dois homicídios duplos ocorridos em Dores no mês passado: a execução de duas mulheres que tiveram a casa invadida por homens armados, no bairro Matadouro Velho, e a morte de dois homens que tiveram os corpos encontrados em uma estrada vicinal do povoado Caminho da Floresta. O delegado de Dores, Marcos Garcia, disse que a morte do vendedor de cocos Lucas Santos Paes, 22 anos, sequestrado na terça-feira e encontrado morto em uma estrada de Maruim, também pode ter sido cometido pela quadrilha. 
Garcia explicou que o acusado tinha um esquema bem articulado de distribuição de drogas, que usava como base duas casas de prostituição que eram mantidas por 'Paulinha', e outros locais usadas para armazenar as drogas. "Robério fazia parte de uma associação criminosa voltada para o comércio de entorpecentes, não só na cidade de Nossa Senhora das Dores, mas em outras regiões também. Nós já havíamos efetuado o cumprimento de alguns mandados de busca, mas não obtivemos sucesso na localização da droga. A localização dele era muito bem planejada. E nessas casas de prostituição, a droga era comercializada e distribuída por outras cidades", disse o delegado.
A polícia apurou ainda que os prostíbulos também eram usados para o aliciamento de adolescentes que eram convencidos a atuar na prostituição e no comércio de drogas. E que os assassinatos foram ordenados por Robério por causa da atuação de quadrilhas concorrentes e da prisão de alguns membros da quadrilha. "Nos últimos tempos, o Robério estava se sentindo inseguro, porque a droga estava se espalhando na cidade e outros grupos estavam se inserindo no mercado. Ele então começou a minar esses grupos, com essa série de assassinatos. E inclusive, uma das vítimas do duplo homicídio trabalhava com Robério", disse o delegado, relatando que ele mandou matar a vítima porque ela teria passado informações sobre ele à polícia.
Com o avanço das investigações, os policiais conseguiram ordens de prisão contra o casal, que foi uma das casas de prostituição investigadas. Robério e 'Paulinha' estavam armados, reagiram à chegada dos policiais e acabaram baleados. Ambos acabaram morrendo. Além das armas, um carro blindado usado por Robério foi apreendido. Os outros dois investigados foram indiciados por envolvimento em boa parte dos crimes praticados pelo casal. (Gabriel Damásio)

A Polícia Civil fez uma operação nesta quinta-feira para combater um grupo envolvido em crimes de homicídio e tráfico de drogas em Nossa Senhora das Dores (Sertão). Agentes do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope) e da Delegacia Regional de Dores foram enviados para cumprir quatro mandados de prisão. Dois dos investigados, Robério Feitosa dos Santos, 29 anos, e a esposa dele, Maria Risonere da Silva, a "Paulinha", 45, morreram baleados em um tiroteio com os policiais. O terceiro envolvido, Reginaldo Santos Júnior, 25, foi preso por tráfico de drogas. E o quarto, Romário Vieira da Silva, 25, é considerado foragido.
Segundo as investigações, Robério era integrante de uma facção criminosa paulista e atuava como líder de um dos grupos responsáveis pelo tráfico de drogas na cidade e estaria envolvido nos dois homicídios duplos ocorridos em Dores no mês passado: a execução de duas mulheres que tiveram a casa invadida por homens armados, no bairro Matadouro Velho, e a morte de dois homens que tiveram os corpos encontrados em uma estrada vicinal do povoado Caminho da Floresta. O delegado de Dores, Marcos Garcia, disse que a morte do vendedor de cocos Lucas Santos Paes, 22 anos, sequestrado na terça-feira e encontrado morto em uma estrada de Maruim, também pode ter sido cometido pela quadrilha. 
Garcia explicou que o acusado tinha um esquema bem articulado de distribuição de drogas, que usava como base duas casas de prostituição que eram mantidas por 'Paulinha', e outros locais usadas para armazenar as drogas. "Robério fazia parte de uma associação criminosa voltada para o comércio de entorpecentes, não só na cidade de Nossa Senhora das Dores, mas em outras regiões também. Nós já havíamos efetuado o cumprimento de alguns mandados de busca, mas não obtivemos sucesso na localização da droga. A localização dele era muito bem planejada. E nessas casas de prostituição, a droga era comercializada e distribuída por outras cidades", disse o delegado.
A polícia apurou ainda que os prostíbulos também eram usados para o aliciamento de adolescentes que eram convencidos a atuar na prostituição e no comércio de drogas. E que os assassinatos foram ordenados por Robério por causa da atuação de quadrilhas concorrentes e da prisão de alguns membros da quadrilha. "Nos últimos tempos, o Robério estava se sentindo inseguro, porque a droga estava se espalhando na cidade e outros grupos estavam se inserindo no mercado. Ele então começou a minar esses grupos, com essa série de assassinatos. E inclusive, uma das vítimas do duplo homicídio trabalhava com Robério", disse o delegado, relatando que ele mandou matar a vítima porque ela teria passado informações sobre ele à polícia.
Com o avanço das investigações, os policiais conseguiram ordens de prisão contra o casal, que foi uma das casas de prostituição investigadas. Robério e 'Paulinha' estavam armados, reagiram à chegada dos policiais e acabaram baleados. Ambos acabaram morrendo. Além das armas, um carro blindado usado por Robério foi apreendido. Os outros dois investigados foram indiciados por envolvimento em boa parte dos crimes praticados pelo casal. (Gabriel Damásio)


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS