Marasmo político

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Em reunião com o presidente do PSDB Sergipe, Eduardo Amorim, o ex-vereador Adriano Taxista (PSDB) colocou seu nome à disposição do partido para a disputa da Prefeitura de Aracaju no próximo pleito. Adriano está no PSDB desde 2011 e integra o Diretório Mun
Em reunião com o presidente do PSDB Sergipe, Eduardo Amorim, o ex-vereador Adriano Taxista (PSDB) colocou seu nome à disposição do partido para a disputa da Prefeitura de Aracaju no próximo pleito. Adriano está no PSDB desde 2011 e integra o Diretório Mun

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 07/11/2019 às 22:03:00

 

Estamos a menos de um ano das elei-
ções 2020 e a política continua mor-
na. São poucas as conversas de bastidores sobre candidaturas a prefeito e vereadores, assim como troca de partido e filiações.
Os prefeitos que vão disputar a reeleição estão mais focados em conseguir recursos para investimentos, pagamento de servidores e fornecedores. Ainda tem o 13º salário para pagar até dezembro.
Um exemplo disso é o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), que não fala em reeleição, apesar de ser candidatíssimo. Ele não só se recusa a falar sobre 2020, como ainda nem definiu sobre troca de partido, uma vez que o PCdoB não atingiu a cláusula de barreira em 2018, o que impossibilita o partido de ter fundo partidário e tempo de televisão.
Edvaldo está focado em administrar Aracaju. Ontem mesmo, em Brasília, assinou um financiamento com o Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID) na ordem de R$ 300 milhões, que será utilizado no programa de requalificação urbana "Construindo para o futuro", que prevê um conjunto de obras estruturantes na cidade.
Lideranças políticas da oposição parecem que ainda não se recuperaram da derrota em 2018. Os ex-senadores Eduardo Amorim (PSDB) e Antônio Carlos Valadares (PSB) resgataram suas profissões. Eduardo atua como médico anestesista e Valadares como advogado em um escritório em Simão Dias, sua terra natal.
O ex-deputado federal André Moura (PSC) está agora focado no governo do Rio de Janeiro, onde é secretário da Casa Civil. Só vem a Sergipe nos finais de semana. O ex-deputado federal Valadares Filho (PSB) está tendo uma atuação partidária em Brasília.
Somente o agrupamento do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) é que ainda se movimenta um pouco com algumas reuniões, com as presenças da vereadora Emília Correa (Patriota), do empresário Milton Andrade (Novo) e do ex-vereador Dr Emerson (Cidadania).  Um dos três deve ser o candidato a prefeito de Aracaju pelo agrupamento.
Apenas alguns vereadores e deputados que desejam mudar de partido chegaram a conversar com lideranças de outras legendas sobre filiação. É o caso dos deputados estaduais Gilmar Carvalho (PSC), Capitão Samuel (PSC), Garibalde Mendonça (MDB) e Zezinho Guimarães (MDB) e dos vereadores Thiaguinho Batalha (PMB), Izac (PCdoB), Anderson de Tuca (PRTB), Seu Marcos (PHS), Dr Manuel Marcos (PSDB) e Palhaço Soneca (sem partido).
No caso dos deputados, eles continuam esperando uma segurança jurídica para deixar suas legendas. Já os vereadores, estão no aguardo da janela partidária que será aberta em março do próximo ano, portanto, seis meses antes das eleições.
Trocando em miúdos, essa maresia política deve prosseguir até o carnaval do próximo ano...

Estamos a menos de um ano das elei- ções 2020 e a política continua mor- na. São poucas as conversas de bastidores sobre candidaturas a prefeito e vereadores, assim como troca de partido e filiações.
Os prefeitos que vão disputar a reeleição estão mais focados em conseguir recursos para investimentos, pagamento de servidores e fornecedores. Ainda tem o 13º salário para pagar até dezembro.
Um exemplo disso é o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), que não fala em reeleição, apesar de ser candidatíssimo. Ele não só se recusa a falar sobre 2020, como ainda nem definiu sobre troca de partido, uma vez que o PCdoB não atingiu a cláusula de barreira em 2018, o que impossibilita o partido de ter fundo partidário e tempo de televisão.
Edvaldo está focado em administrar Aracaju. Ontem mesmo, em Brasília, assinou um financiamento com o Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID) na ordem de R$ 300 milhões, que será utilizado no programa de requalificação urbana "Construindo para o futuro", que prevê um conjunto de obras estruturantes na cidade.
Lideranças políticas da oposição parecem que ainda não se recuperaram da derrota em 2018. Os ex-senadores Eduardo Amorim (PSDB) e Antônio Carlos Valadares (PSB) resgataram suas profissões. Eduardo atua como médico anestesista e Valadares como advogado em um escritório em Simão Dias, sua terra natal.
O ex-deputado federal André Moura (PSC) está agora focado no governo do Rio de Janeiro, onde é secretário da Casa Civil. Só vem a Sergipe nos finais de semana. O ex-deputado federal Valadares Filho (PSB) está tendo uma atuação partidária em Brasília.
Somente o agrupamento do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) é que ainda se movimenta um pouco com algumas reuniões, com as presenças da vereadora Emília Correa (Patriota), do empresário Milton Andrade (Novo) e do ex-vereador Dr Emerson (Cidadania).  Um dos três deve ser o candidato a prefeito de Aracaju pelo agrupamento.
Apenas alguns vereadores e deputados que desejam mudar de partido chegaram a conversar com lideranças de outras legendas sobre filiação. É o caso dos deputados estaduais Gilmar Carvalho (PSC), Capitão Samuel (PSC), Garibalde Mendonça (MDB) e Zezinho Guimarães (MDB) e dos vereadores Thiaguinho Batalha (PMB), Izac (PCdoB), Anderson de Tuca (PRTB), Seu Marcos (PHS), Dr Manuel Marcos (PSDB) e Palhaço Soneca (sem partido).
No caso dos deputados, eles continuam esperando uma segurança jurídica para deixar suas legendas. Já os vereadores, estão no aguardo da janela partidária que será aberta em março do próximo ano, portanto, seis meses antes das eleições.
Trocando em miúdos, essa maresia política deve prosseguir até o carnaval do próximo ano...

Depois da folia

O presidente estadual do Republicanos (ex-PRB), ex-deputado federal Jony Marcos, acredita que ainda é cedo para respostas, formação de chapas para  as eleições 2020.  "As pessoas com a pretensão de disputar mandato de vereador tem procurado os partidos, mas sem definição de nada porque vão analisar em qual legenda terá mais chance de se eleger. Depois do carnaval a política vai ferver", aposta.

Vindo a tona 1

A coluna recebeu a informação de que o governador Belivaldo Chagas (PSD) chegou a exonerar aliados para nomear pessoas ligadas à oposição, apenas por indicação de autoridades do Poder Judiciário. Segundo a fonte, o advogado Said Schoucair, que era diretor administrativo e financeiro da Agrese, e vinculado ao ex-governador Jackson Barreto (MDB), foi um dos exonerados nesse contexto.

Vindo a tona 2

Conta que Said tinha mandato na Agrese até julho de 2020 e foi convidado a renunciar há 90 dias para assumir outra função, o que não ocorreu até agora, para que assumisse em seu lugar Carlos Frederico Tenório de Siqueira Júnior, sogro do procurador aposentado do Estado e ex-auxiliar dos governos João Alves e Albano Franco, José Garcez Vieira Filho.

Exoneração

Ainda segundo a fonte, como esse episódio vazou e o Carlos Frederico fez muita confusão na Agrese, inclusive com perseguição de funcionário e querendo mandar mais que o presidente Luiz Hamilton, o governador resolveu exonerá-lo. Sua exoneração foi publicada no Diário Oficial do Estado do dia 5 de novembro e também do dia 6 de novembro. Enfatiza que o exonerado tinha votado em Valadares (PSB). Resta saber agora quem assumirá a diretoria administrativa e financeira da Agrese.

Mais uma derrota 1

O conselheiro Clóvis Barbosa sofreu ontem mais uma derrota no pleno do Tribunal de Contas do Estado (TCE-SE) com relação ao processo que envolve o conselheiro aposentado compulsoriamente Flávio Conceição, que deseja reaver o cargo na Corte de Contas.  É que o pleno, por unanimidade, votou com o relator Carlos Alberto Sobral de Souza pela improcedência e rejeição de Exceção de Impedimento do conselheiro Carlos Pinna, arguida por Clóvis Barbosa, no julgamento de decidirá pela volta ou não de Flávio ao tribunal.

Mais uma derrota 2

A defesa de Clovis Barbosa alegou que quando houve o julgamento para decidir pela aposentadoria compulsória de Flávio, em abril de 2015, Carlos Pinna se julgou impedido de votar, portanto, devia se manter impedido no julgamento sobre o retorno de Conceição ao cargo. O julgamento deve ocorrer até 20 de dezembro, quando inicia o recesso de final do ano da Corte de Contas.   

Só para lembrar

Flávio Conceição foi aposentado compulsoriamente após ser condenado em 1ª instância, pela Justiça Federal, a mais de 17 anos de prisão por envolvimento em um esquema de fraude de licitações, corrupção, tráfico de influência, superfaturamento de obras e desvio de dinheiro denunciado pelo Ministério Público Federal e investigado pela Polícia Federal, através da Operação Navalha, deflagrada em maio de 2007.  Com a absolvição de todos os envolvidos na Navalha, pelo Tribunal Regional Federal da 5a Região (TRF), Flávio pediu a anulação da sua aposentadoria compulsória. O entendimento dos conselheiros é que ele retornando ficará no lu gar de Clovis Barbosa.

Boquim

O ex-prefeito de Boquim, Pedro Barbosa (PSD), voltará a disputar as eleições 2020 em seu município e já trabalha nessa direção. Ele comandou o município de 2005 a 2012 e ainda elegeu o seu sucessor Jean, que era seu secretário de Obras. Pedro, que é irmão do ex-deputado estadual assassinado Joaldo Barbosa, terá como principal adversário o prefeito Eraldo de Cabeça Dantas (SD). Ele já tem o ap oio do seu partido e do MDB, do ex-governador Jackson Barreto e do deputado federal Fábio Reis.

Ilha das Flores

Com a liminar concedida pelo ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Sérgio Silveira Banhos, o prefeito cassado Cristiano Cavalcante (PSC-Ilha das Flores) já reassumiu a prefeitura na quarta-feira passada e trabalhou normalmente ontem. Cristiano e a vice Eleni Lisboa, que ficaram somente 11 dias afastados, foram cassados pelo pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SE) no último dia 15 de outubro por abuso de poder econômica nas eleições 2016. Eles têm a garantia de permanecer no cargo até julgamento dos embargos declaratórios pelo próprio TRE.

Canindé 1

Também voltou ao comando de Canindé do São Francisco, na quarta-feira, o prefeito cassado pela Câmara de Vereadores, Ednaldo da Farmácia, por várias irregularidades na gestão. Segundo o vereador Nailson Marinho (PP), a Câmara ainda não sabe o que fazer com a decisão da justiça em ter acatado pedido do promotor Emerson Andrade para que voltasse ao comando do município com a justificativa de que a votação na Câmara tinha que ter sido aberta e não secreta.

Canindé 2

Segundo Nailson, 90% da população é contra a volta de Ednaldo ao comando do município pelas graves acusações contra ele. Revela que o mais lamentável de tudo é que antes dele voltar à prefeitura alguns secretários e aliados já diziam nos quatro cantos de Canindé que retornaria. "Como cidadão digo que não consigo compreender até que ponto chegou a justiça", disse, enfatizando que se a justificativa para a volta de Ednaldo era que o voto fosse aberto para que todos identificassem como cada um dos vereadores votou o intuito foi atingido, uma vez que na sessão do impeachment tinha ape nas 10 vereadores e o prefeito foi cassado por 10x0.

PP

Na próxima segunda-feira o PP do deputado federal Laércio Oliveira, através do Movimento Mulheres Progressistas de Sergipe, realizará o encontro "Fortalecendo o Futuro" com o objetivo de incentivar a participação feminina na política.  No evento, a ser realizado a partir das 15h no Cotinguiba Esporte Clube,  haverá um ato de filiação de mulheres.  A mobilização está sendo executado pelo partido em todos os estados brasileiros.

Na Câmara Municipal

A gestão do prefeito Edvaldo Nogueira foi bastante elogiada ontem, durante sessão ordinária da Câmara Municipal. Durante seu pronunciamento no grande expediente o vereador Seu Marcos (PHS) celebrou os seis meses que se encontra na posição de vice-líder da situação, destacando o saneamento das contas da Prefeitura de Aracaju, após ter herdado R$ 540 milhões em dívidas, assim como o fato de que as circunstâncias difíceis não terem impediram o gestor de garantir obras importantes por toda a cidade.

Curtas

Do senador Alessandro Vieira (Cidadania) sobre aprovação da PEC que torna feminicídio e estupro crimes imprescritíveis, da qual foi o relator: "Ao colocar na Constituição que feminicídio e estupro passam a ser crimes imprescritíveis, estamos garantindo o recado para o agressor: esse crime não será esquecido, essa vítima não será abandonada e o Estado brasileiro vai tomar as providências adequadas".

O deputado federal Fábio Reis (MDB), vice-líder do partido, apresentou na Câmara dos Deputados Projeto de Lei que altera a Lei 8.987, de 13 de fevereiro de 1995, que dispõe sobre o regime de concessão e permissão da prestação de serviços públicos, previsto no artigo 175 da Constituição Federal.

O PL de Reis insere um dispositivo que isenta do pagamento de pedágio o transporte de bens essenciais à vida, como alimentos relacionados na cesta básica e medicamentos.

Prefeitos de cidades com menos de cinco mil habitantes e uma arrecadação menor do que 10% da receita total da cidade, que podem ser fundidas a municípios vizinhos caso avance a proposta apresentada esta semana pelo governo Bolsonaro, prometem pressão sobre o Congresso Nacional para barrar a medida. A proposta atinge 11 municípios de Sergipe e 1.245 em todo o país.