Querem trocar de partido

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O Maracanã foi invadido pelos sergipanos na noite da quarta-feira que assistiram os 5x0 do Flamengo sobre o Grêmio, inclusive políticos com e sem mandato. Ontem, alguns deles visitaram o ex-deputado federal André Moura, no seu gabinete na Secretaria da Ca
O Maracanã foi invadido pelos sergipanos na noite da quarta-feira que assistiram os 5x0 do Flamengo sobre o Grêmio, inclusive políticos com e sem mandato. Ontem, alguns deles visitaram o ex-deputado federal André Moura, no seu gabinete na Secretaria da Ca

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 24/10/2019 às 23:20:00

 

Em Sergipe pelo menos um depu-
tado federal e quatro deputados 
estaduais desejam mudar de partido. Essa vontade esbarra na legislação eleitoral vigente no país, que só permite troca de legenda durante o período de 30 dias que antecede o prazo de filiação exigido em lei para concorrer à eleição, majoritária ou proporcional, no ano do término do mandato vigente.
Ou seja, esses parlamentares só poderão deixar seus partidos em março de 2022, quando da abertura da janela partidária. Isso porque a fidelidade partidária deve ser a regra: o parlamentar deve exercer o mandato até o fim para honrar o voto do eleitor que o elegeu e prestigiar a agremiação que deu suporte à candidatura.
Dos quatro deputados estaduais com a pretensão de deixar seus partidos [Gilmar Carvalho (PSC), Capitão Samuel (PSC), Garibalde Mendonça (MDB) e Zezinho Guimarães (MDB)], somente Gilmar requereu à Justiça sua saída do PSC sem que corra o risco de perder mandato por infidelidade partidária. Ainda aguarda uma resposta do judiciário.
Como Gilmar, Garibalde tem a intenção de deixar seu partido e ser candidato a prefeito de Aracaju em 2020 pelo DEM. Já Capitão Samuel deseja ser candidato a prefeito de São Cristovão também pelo DEM. Dos quatro, o único que não revelou intenção de candidatura majoritária foi Zezinho. A sua pretensão é apenas deixar o MDB e se filiar, também, ao democratas.
Os quatro deputados estaduais, assim como o deputado federal Valdevan Noventa (PSC), estão na esperança de uma segurança jurídica para deixarem seus partidos o mais rápido possível. Devem estar ansiosos pela   decisão judicial com relação ao pedido de Gilmar Carvalho.
Mas, a única chance dos cinco em deixar suas legendas tá na possibilidade de abertura de janelão em 2020 - ano da janela para vereadores - para mudança de sigla sem risco de perda de mandato. A imprensa nacional já especula que partidos de centro que sempre se reúnem na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), quer antecipar para março do ano que vem a janela de 30 dias para permitir a troca de partido de deputados estaduais e federais.
Como tudo o que a maioria dos políticos mais almeja são leis que os favoreçam não será difícil mudar uma lei feita por eles mesmos para beneficiá-los.
Ai poderá haver um embate político entre os deputados Gilmar Carvalho e Garibalde Mendonça para ver quem será o candidato a prefeito de Aracaju pelo DEM.
Hoje, a olho nu, pode-se ver uma inclinação maior do DEM por Garibalde para disputar a sucessão do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), tendo como vice a delegada Georlize Oliveira. 
 
Agora é aguardar o desenrolar dos acontecimentos em Brasília e em Sergipe...

Em Sergipe pelo menos um depu- tado federal e quatro deputados  estaduais desejam mudar de partido. Essa vontade esbarra na legislação eleitoral vigente no país, que só permite troca de legenda durante o período de 30 dias que antecede o prazo de filiação exigido em lei para concorrer à eleição, majoritária ou proporcional, no ano do término do mandato vigente.
Ou seja, esses parlamentares só poderão deixar seus partidos em março de 2022, quando da abertura da janela partidária. Isso porque a fidelidade partidária deve ser a regra: o parlamentar deve exercer o mandato até o fim para honrar o voto do eleitor que o elegeu e prestigiar a agremiação que deu suporte à candidatura.
Dos quatro deputados estaduais com a pretensão de deixar seus partidos [Gilmar Carvalho (PSC), Capitão Samuel (PSC), Garibalde Mendonça (MDB) e Zezinho Guimarães (MDB)], somente Gilmar requereu à Justiça sua saída do PSC sem que corra o risco de perder mandato por infidelidade partidária. Ainda aguarda uma resposta do judiciário.
Como Gilmar, Garibalde tem a intenção de deixar seu partido e ser candidato a prefeito de Aracaju em 2020 pelo DEM. Já Capitão Samuel deseja ser candidato a prefeito de São Cristovão também pelo DEM. Dos quatro, o único que não revelou intenção de candidatura majoritária foi Zezinho. A sua pretensão é apenas deixar o MDB e se filiar, também, ao democratas.
Os quatro deputados estaduais, assim como o deputado federal Valdevan Noventa (PSC), estão na esperança de uma segurança jurídica para deixarem seus partidos o mais rápido possível. Devem estar ansiosos pela   decisão judicial com relação ao pedido de Gilmar Carvalho.
Mas, a única chance dos cinco em deixar suas legendas tá na possibilidade de abertura de janelão em 2020 - ano da janela para vereadores - para mudança de sigla sem risco de perda de mandato. A imprensa nacional já especula que partidos de centro que sempre se reúnem na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), quer antecipar para março do ano que vem a janela de 30 dias para permitir a troca de partido de deputados estaduais e federais.
Como tudo o que a maioria dos políticos mais almeja são leis que os favoreçam não será difícil mudar uma lei feita por eles mesmos para beneficiá-los.
Ai poderá haver um embate político entre os deputados Gilmar Carvalho e Garibalde Mendonça para ver quem será o candidato a prefeito de Aracaju pelo DEM.
Hoje, a olho nu, pode-se ver uma inclinação maior do DEM por Garibalde para disputar a sucessão do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), tendo como vice a delegada Georlize Oliveira.  Agora é aguardar o desenrolar dos acontecimentos em Brasília e em Sergipe...

Valeu o gesto 1

Diferente de Jair Bolsonaro (PSL), o presidente da República em exercício, Davi Alcolumbre (DEM-AP), demonstrou compromisso e solidariedade com o Nordeste ao ter visitado ontem praias dos estados de Alagoas e Sergipe com manchas de óleo, no segundo dia em que estava no comando do país. E assinado, em Sergipe, decreto presidencial estendendo por mais dois meses o seguro-defeso a 60 mil pescadores.

Valeu o gesto 2

Alcolumbre, que é presidente do Senado, também prometeu editar uma medida provisória para ajudar a mitigar os danos ambientais com mais agilidade. Disse que as medidas darão condições aos municípios e estados para contratarem mais trabalhadores, a fim de dar continuidade à retirada dos rejeitos de óleo das praias, além de ajudar a fortalecer a cadeia produtiva.  E que à noite, retornaria para Brasília, onde se reuniria com o ministro Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) e a equipe de governo para editar a MP.

Fato novo

Alcolumbre considerou um fato inédito o que acontece com as manchas de óleo no Nordeste. "Esse drama é um episódio único e de proporções inimagináveis na história do nosso país. Sem entrar nas minúcias técnicas dos últimos acontecimentos, a nossa vinda é um gesto político e institucional com o nosso país. A nossa estada como presidente em exercício, acompanhado do ministro Ricardo Salles e das autoridades políticas do Nordeste, é um gesto com uma região que tem nosso reconhecimento pela sua capacidade de desenvolvimento econômico a partir do turismo, mas é também uma preocupação do governo central: o que fazer para dim inuirmos os danos causados?", disse.

Em Sergipe 1

O presidente e comitiva chegaram em Aracaju ontem à tarde. Do aeroporto - onde foram recepcionados pelo governador Belivaldo Chagas (PSD), o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) e o presidente da Assembleia Luciano Bispo (MDB) - seguiram para a Praia da Aruana. Logo após, foram para o Palácio de Despachos para reunião e entrevista a imprensa.

Em Sergipe 2

Na comitiva do presidente em exercício estava o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e os senadores de Sergipe e Alagoas. Todos os três parlamentares de Sergipe [Alessandro Vieira (Cidadania), Maria do Carmo Alves (DEM) e Rogério Carvalho (PT)] integraram a comitiva, que começou a visita por Alagoas, na Praia da Barra de São Miguel, e depois em Sergipe, na Praia da Aruana.  

Sem motivação política

O ministro do Meio Ambiente, que veio a Sergipe pela terceira vez nos últimos 17 dias, reafirmou que o governo federal tem disponibilizado tecnologias, equipes e parcerias internacionais para identificar as causas do vazamento. Ao ressaltar que o assunto não deve ser usado com motivações políticas ou demagógicas, Ricardo Salles disse que o momento é de trabalho.

Presente ao Atheneu

Durante a reinauguração ontem do Colégio Atheneu, pelo governador Belivaldo Chagas, o ex-governador Jackson Barreto fez a doação de uma obra de arte do artista plástico Leonardo Alencar, que representa a redemocratização do Brasil. JB, que foi aluno do estabelecimento de ensino, externou amor e gratidão a ele. "A escola me fez cidadão. O Atheneu marcou a minha formação. Aprendi cidadania, me encantei com a cultura e a arte. Como governador de Sergipe decidi moderniza-lo. Em 2017, assinei ordem de serviço e iniciei a reforma que agora foi concluída", comemorou.< /span>

Seminário regional 1

"Metamorfose dos Institutos Federais, CEFET e Instituições de Ensino Superior Pública e a desestruturação da Carreira Docente". Esse é o tema do Seminário Inter-regional de Carreira e Verbas das Secretarias Regionais Nordeste I, II e III do ANDES (Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior) que acontecerá hoje e amanhã, no auditório da ADUFS, em São Cristóvão, visando promover a reflexão coletiva sobre a conjuntura nacional na área da educação, especialmente no que diz respeito aos investimentos públicos em educação e aos direitos dos professores.

Seminário regional 2

Segundo Benedito Libório, 2º vice-presidente regional Nordeste III do ANDES-SN, as políticas em curso implementadas pelo Governo Federal têm como propósito "desobrigar o Estado de assumir suas funções de mantenedor das universidades e de serviços que são essenciais para o funcionamento a contento das universidades públicas, que são responsáveis por mais de 80% das patentes e produção de conhecimento do país".

Veja essa ...

Na quinta, após a ONG Greenpeace ter realizado protesto com uso de óleo em frente ao Palácio do Planalto contra a política ambiental do governo Bolsonaro e as manchas de óleo nas praias do Nordeste, o ministro Ricardo Salles postou nas redes sociais que o navio da ONG pode ter relação com o derramamento de óleo que afeta o litoral do Nordeste. Ontem, em Sergipe, o ministro do Meio Ambiente disse que a Greenpeace "tem que se explicar" por ter navio perto do litoral quando manchas de óleo surgiram. Declarou que era muita coincidência.

...e essa...

Ontem o Uol publicou matéria mostrando que o governo federal já retirou mil toneladas de óleo do litoral nordestino, mas o destino é incerto. Segundo matéria, o Ibama, a Marinha e a Petrobras têm versões diferentes sobre o armazenamento do material e os sites dos órgãos tampouco dão orientações sobre o que fazer com o petróleo recolhido, tendo em vista que parte do trabalho de limpeza das praias é feita por voluntários. Ou seja, o governo Bolsonaro não só não sabe a origem do petróleo cru como não sabe o destino do óleo retirado das praias. É fogo!

Curtas

O vice-presidente nacional do PT, Márcio Macedo, voltou ontem a Curitiba para fazer mais uma visita ao ex-presidente Lula. Disse que levou mensagens de carinho e solidariedade contra "injustiça que estão cometendo contra ele".

Acontece hoje, às 9h, na Assembleia Legislativa, uma audiência pública para debater a prevenção à depressão, automutilação e suicídio com a participação de várias entidades. A iniciativa é do deputado estadual Dr Samuel Carvalho (Cidadania).

Mais de 250 deputados assinaram requerimento que pede a criação de uma CPI para apurar a origem do óleo que há mais de 50 dias atinge o litoral nordestino e avaliar as medidas que vêm sendo tomadas pelo governo para combater o problema. O pedido da CPI do Vazamento de Óleo já foi protocolado pelo deputado João Campos (PSB-PE).

O ex-deputado federal João Fontes, torcedor apaixonado do Flamengo, deu uma de jornalista. Fez a cobertura completa do clima que antecedeu ao jogo do Flamengo e Grêmio no Rio de Janeiro, pela semi-final da Libertadores. Entrevistou vários sergipanos, inclusive parlamentares e prefeitos de Sergipe, e postou nas redes sociais.