Pediatria do Santa Isabel opera de maneira crítica

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A falta de pediatras compromete o atendimento no Santa Isabel
A falta de pediatras compromete o atendimento no Santa Isabel

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 22/10/2019 às 22:43:00

 

Milton Alves Júnior
Sem pediatras e estrutu
ra física adequada para 
atender a demanda diária de pacientes usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), o setor de pediatria do Hospital e Maternidade Santa Isabel, na zona Norte de Aracaju, segue sendo alvo de críticas por parte da população. Conforme denúncias já apresentadas, inclusive, ao Ministério Público Estadual (MPE), os pacientes e acompanhantes são obrigados a enfrentar até cinco horas para começar a ser atendidos. A depender do quadro clínico aparentemente apresentado, esse tempo costuma ser ainda maior. Na última segunda-feira, 21, impacientes com a demora no atendimento, populares geraram tumulto e chegaram a acionar equipes da Polícia Militar.
De acordo com a Prefeitura de Aracaju, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), oferece atendimento pediátrico na zona Sul por meio do Hospital Regional Fernando Franco, no bairro Augusto Franco. Já na zona Norte o atendimento fica restrito ao Santa Isabel em virtude de um contrato realizado entre a administração pública e a hospitalar. Por meio da Assessoria de Comunicação a SMS reconheceu as dificuldades ainda enfrentadas no setor e pediu que pediatras interessados em trabalhar entrem em contato com a prefeitura. Ainda de acordo com a prefeitura, vagas seguem abertas em virtude da ausência de profissionais gabaritados no mercado regional. Alberto Jorge, porta-voz da SMS aponta para problemas paralelos.
 "Percebemos que o Hospital Regional de Nossa Senhora do Socorro, Zé Franco, também tem enfrentado problemas na escala de pediatras e isso só agrava a situação do Santa Isabel. Da mesma forma que situação afeta em Socorro, o problema no Zé Franco também afeta aqui na capital. Temos conhecimento do problema e posso garantir que a Secretaria de Saúde tem trabalhado de forma intensa a fim de solucionar e normalizar a situação", declarou. No que se refere à contratação imediata de médicos especializados em pediatria, basta o profissional da medicina entrar em contato via número 156, apresentar interesse em compor as vagas disponíveis e proceder com os encaminhamentos burocráticos.
A direção do Santa Isabel reconheceu que a unidade segue superlotada, com 45 pacientes internados, inclusive na urgência, onde, segundo a própria unidade hospitalar, não deveriam estar. A capacidade total é para 35. Enquanto os problemas relacionados a alta demanda não são reparados administrativamente, o Hospital Santa Isabel voltou a oficializar que pacientes com quadro clínico menos grave devem permanecer aguardando por mais tempo, independentemente do horário que tenha protocolado o pedido de acolhimento especializado. Esse mesmo comunicado já foi apresentado pelo menos em outras duas ocasiões somente neste ano de 2019.
Seleção - Na tentativa de solucionar o problema no Hospital Regional de Nossa Senhora do Socorro, o Governo de Sergipe, por intermédio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), informou na tarde de ontem que um Processo Seletivo Simplificado (PSS), segue aberto até a próxima sexta-feira, 25, quando novos profissionais devem ser contratados em caráter imediato para trabalhar no Zé Franco. A expectativa por parte da gestão estadual é que, com essa contratação, o fluxo de atendimentos em Socorro seja imediatamente ampliado, e, assim, haja normalização paralela no serviço prestado na zona Norte de Aracaju. Estima-se que ao menos 15% dos pedidos de atendimento no Santa Isabel sejam protagonizados por moradores de Nossa Senhora do Socorro.

Milton Alves Júnior

Sem pediatras e estrutu ra física adequada para  atender a demanda diária de pacientes usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), o setor de pediatria do Hospital e Maternidade Santa Isabel, na zona Norte de Aracaju, segue sendo alvo de críticas por parte da população. Conforme denúncias já apresentadas, inclusive, ao Ministério Público Estadual (MPE), os pacientes e acompanhantes são obrigados a enfrentar até cinco horas para começar a ser atendidos. A depender do quadro clínico aparentemente apresentado, esse tempo costuma ser ainda maior. Na última segunda-feira, 21, impacientes com a demora no atendimento, populares geraram tumulto e chegaram a acionar equipes da Polícia Militar.
De acordo com a Prefeitura de Aracaju, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), oferece atendimento pediátrico na zona Sul por meio do Hospital Regional Fernando Franco, no bairro Augusto Franco. Já na zona Norte o atendimento fica restrito ao Santa Isabel em virtude de um contrato realizado entre a administração pública e a hospitalar. Por meio da Assessoria de Comunicação a SMS reconheceu as dificuldades ainda enfrentadas no setor e pediu que pediatras interessados em trabalhar entrem em contato com a prefeitura. Ainda de acordo com a prefeitura, vagas seguem abertas em virtude da ausência de profissionais gabaritados no mercado regional. Alberto Jorge, porta-voz da SMS aponta para problemas paralelos.
 "Percebemos que o Hospital Regional de Nossa Senhora do Socorro, Zé Franco, também tem enfrentado problemas na escala de pediatras e isso só agrava a situação do Santa Isabel. Da mesma forma que situação afeta em Socorro, o problema no Zé Franco também afeta aqui na capital. Temos conhecimento do problema e posso garantir que a Secretaria de Saúde tem trabalhado de forma intensa a fim de solucionar e normalizar a situação", declarou. No que se refere à contratação imediata de médicos especializados em pediatria, basta o profissional da medicina entrar em contato via número 156, apresentar interesse em compor as vagas disponíveis e proceder com os encaminhamentos burocráticos.
A direção do Santa Isabel reconheceu que a unidade segue superlotada, com 45 pacientes internados, inclusive na urgência, onde, segundo a própria unidade hospitalar, não deveriam estar. A capacidade total é para 35. Enquanto os problemas relacionados a alta demanda não são reparados administrativamente, o Hospital Santa Isabel voltou a oficializar que pacientes com quadro clínico menos grave devem permanecer aguardando por mais tempo, independentemente do horário que tenha protocolado o pedido de acolhimento especializado. Esse mesmo comunicado já foi apresentado pelo menos em outras duas ocasiões somente neste ano de 2019.

Seleção - Na tentativa de solucionar o problema no Hospital Regional de Nossa Senhora do Socorro, o Governo de Sergipe, por intermédio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), informou na tarde de ontem que um Processo Seletivo Simplificado (PSS), segue aberto até a próxima sexta-feira, 25, quando novos profissionais devem ser contratados em caráter imediato para trabalhar no Zé Franco. A expectativa por parte da gestão estadual é que, com essa contratação, o fluxo de atendimentos em Socorro seja imediatamente ampliado, e, assim, haja normalização paralela no serviço prestado na zona Norte de Aracaju. Estima-se que ao menos 15% dos pedidos de atendimento no Santa Isabel sejam protagonizados por moradores de Nossa Senhora do Socorro.