Bombeiros confirmam terceira morte em desabamento em Fortaleza

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Equipes  resgatam uma vítima após um prédio residencial de sete andares desabar em Fortaleza
Equipes resgatam uma vítima após um prédio residencial de sete andares desabar em Fortaleza

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 16/10/2019 às 23:45:00

 

Agência Brasil  
O coronel Luís Eduardo Soares de Holanda, comandante do Corpo de Bombeiros, confirmou no final da tarde de ontem a terceira morte no desabamento do Edifício Andrea, localizado no Bairro Dionísio Torres, em Fortaleza. Holanda está à frente dos grupos de resgate e disse em coletiva à imprensa que sete pessoas continuam desaparecidas.
Dentre os três mortos, dois ainda não foram identificados. O terceiro é de Frederick Santana dos Santos, de 30 anos, que estava descarregando um caminhão de água no mercado vizinho ao prédio, quando aconteceu o desabamento. Ele teve partes do corpo imprensado nos escombros. 
O coronel Holanda disse que 130 homens da corporação se revezam nas buscas, além do apoio de voluntários. As equipes contam com a ajuda de um drone, com sensor térmico, e cães farejadores, no trabalho de localização de pessoas com vida. O drone sobrevoa os escombros para identificar áreas de calor, que mostram possíveis vítimas.
Investigação - O prefeito da cidade de Fortaleza (CE), Roberto Cláudio, prometeu que a sociedade terá uma "resposta clara a respeito das responsabilidades de pessoas envolvidas no acidente". De acordo com o prefeito, órgãos de fiscalização urbana não tinham nenhuma informação sobre obras em andamento no edifício. 
Este é o segundo caso de desabamento na capital cearense. No início de junho, outro condomínio residencial sofreu danos estruturais em um desabamento parcial, e foi demolido pela prefeitura. O prédio ficava no bairro de Maraponga.

O coronel Luís Eduardo Soares de Holanda, comandante do Corpo de Bombeiros, confirmou no final da tarde de ontem a terceira morte no desabamento do Edifício Andrea, localizado no Bairro Dionísio Torres, em Fortaleza. Holanda está à frente dos grupos de resgate e disse em coletiva à imprensa que sete pessoas continuam desaparecidas.
Dentre os três mortos, dois ainda não foram identificados. O terceiro é de Frederick Santana dos Santos, de 30 anos, que estava descarregando um caminhão de água no mercado vizinho ao prédio, quando aconteceu o desabamento. Ele teve partes do corpo imprensado nos escombros. 
O coronel Holanda disse que 130 homens da corporação se revezam nas buscas, além do apoio de voluntários. As equipes contam com a ajuda de um drone, com sensor térmico, e cães farejadores, no trabalho de localização de pessoas com vida. O drone sobrevoa os escombros para identificar áreas de calor, que mostram possíveis vítimas.

Investigação -
O prefeito da cidade de Fortaleza (CE), Roberto Cláudio, prometeu que a sociedade terá uma "resposta clara a respeito das responsabilidades de pessoas envolvidas no acidente". De acordo com o prefeito, órgãos de fiscalização urbana não tinham nenhuma informação sobre obras em andamento no edifício. 
Este é o segundo caso de desabamento na capital cearense. No início de junho, outro condomínio residencial sofreu danos estruturais em um desabamento parcial, e foi demolido pela prefeitura. O prédio ficava no bairro de Maraponga.