Ecologia & meio ambiente

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/10/2019 às 22:25:00

 

* L. C. Hardman Côrtes
Uma das definições mais lógica de Ecologia diz: "Ramo das ciências humanas que estuda a estrutura e desenvolvimento das comunidades humanas em suas relações com o meio ambiente e sua consequente adaptação a ele, assim como novos aspectos que os processos tecnológicos ou os sistemas de organização social possam acarretar às condições de vida do homem". 
Não concordamos com alguns que se julgam ecologistas e defensores do meio ambiente, simplesmente por serem algumas vezes irracionais, ou por ingenuidade, ou mesmo por falta de conhecimento. A ecologia é extremamente complexa e envolve diversos temas e aspectos, tais como atmosfera, aquecimento global, buraco de ozônio, biomas, biodiversidade, crosta terrestre, desertificação, desmatamento, efeito estufa, ecossistemas, erosão, extinção de espécies, hidrosfera, litosfera, lagos, mares, rios, oceanos, meteorologia, poluição e sustentabilidade. Destacamos esses apenas para não citar tantos outros que se correlacionam e fazem parte do que é realmente ECOLOGIA, e, relaciona-se com tudo que diz respeito ao MEIO AMBIENTE.
Grande parte dos ecologistas passou muito tempo só se preocupando com os aspectos relacionados à extinção das espécies. Esquece o mais essencial que é, sem dúvida, a sustentabilidade da natureza, visando à preservação do meio ambiente. Com isso, ignoram que a humanidade utilize os recursos naturais de maneira coerente e adequada para que não ocorra a degradação dos ecossistemas e da biodiversidade.
Temos conhecimentos reais e práticos do comportamento de alguns desses ecologistas e ambientalistas com relação à essencialidade das práticas para não comprometer nosso hábitat natural. Consideram eles que nada deve ser feito pelo homem com o objetivo de melhorar, através de ações viáveis, a efetiva manutenção e a necessária preservação de forma lógica e coerente, em função da realidade existente por motivos vários.  
Sabemos perfeitamente que não existe nada vivo na natureza que seja eterno. A idade é de extrema importância para as condições naturais. Muitas vezes, existem espécimes num estado patológico e fitopatológico caótico, como também atacadas por pragas diversas, extremamente danosas e que devem ser controladas.
Dizem alguns desses ecologistas e ambientalistas que o homem não pode intervir em nada. O que é de fato um gigantesco equívoco! Para manter o bom desenvolvimento e preservação de todos os nossos recursos naturais e de todo o nosso ecossistema, a intervenção humana é verdadeiramente viável e necessária para salvaguardar toda a nossa humanidade.
* L. C. Hardman Côrtes, Engenheiro Agrônomo, escritor e poeta, filiado à Associação Sergipana de Imprensa - ASI.

* L. C. Hardman Côrtes

Uma das definições mais lógica de Ecologia diz: "Ramo das ciências humanas que estuda a estrutura e desenvolvimento das comunidades humanas em suas relações com o meio ambiente e sua consequente adaptação a ele, assim como novos aspectos que os processos tecnológicos ou os sistemas de organização social possam acarretar às condições de vida do homem". 
Não concordamos com alguns que se julgam ecologistas e defensores do meio ambiente, simplesmente por serem algumas vezes irracionais, ou por ingenuidade, ou mesmo por falta de conhecimento. A ecologia é extremamente complexa e envolve diversos temas e aspectos, tais como atmosfera, aquecimento global, buraco de ozônio, biomas, biodiversidade, crosta terrestre, desertificação, desmatamento, efeito estufa, ecossistemas, erosão, extinção de espécies, hidrosfera, litosfera, lagos, mares, rios, oceanos, meteorologia, poluição e sustentabilidade. Destacamos esses apenas para não citar tantos outros que se correlacionam e fazem parte do que é realmente ECOLOGIA, e, relaciona-se com tudo que diz respeito ao MEIO AMBIENTE.
Grande parte dos ecologistas passou muito tempo só se preocupando com os aspectos relacionados à extinção das espécies. Esquece o mais essencial que é, sem dúvida, a sustentabilidade da natureza, visando à preservação do meio ambiente. Com isso, ignoram que a humanidade utilize os recursos naturais de maneira coerente e adequada para que não ocorra a degradação dos ecossistemas e da biodiversidade.
Temos conhecimentos reais e práticos do comportamento de alguns desses ecologistas e ambientalistas com relação à essencialidade das práticas para não comprometer nosso hábitat natural. Consideram eles que nada deve ser feito pelo homem com o objetivo de melhorar, através de ações viáveis, a efetiva manutenção e a necessária preservação de forma lógica e coerente, em função da realidade existente por motivos vários.  
Sabemos perfeitamente que não existe nada vivo na natureza que seja eterno. A idade é de extrema importância para as condições naturais. Muitas vezes, existem espécimes num estado patológico e fitopatológico caótico, como também atacadas por pragas diversas, extremamente danosas e que devem ser controladas.
Dizem alguns desses ecologistas e ambientalistas que o homem não pode intervir em nada. O que é de fato um gigantesco equívoco! Para manter o bom desenvolvimento e preservação de todos os nossos recursos naturais e de todo o nosso ecossistema, a intervenção humana é verdadeiramente viável e necessária para salvaguardar toda a nossa humanidade.

* L. C. Hardman Côrtes, Engenheiro Agrônomo, escritor e poeta, filiado à Associação Sergipana de Imprensa - ASI.