Ensaio fotográfico marca Dia Nacional da Pessoa com Deficiência Física

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
PESSOAS COM DEFICIÊNCIA POSARAM PARA FOTOS
PESSOAS COM DEFICIÊNCIA POSARAM PARA FOTOS

O ensaio foi realizado no Parque da sementeira
O ensaio foi realizado no Parque da sementeira

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 10/10/2019 às 22:10:00

 

Celebrado neste dia 
11 de outubro, o Dia 
Nacional da Pessoa com Deficiência Física foi comemorado pelo Conselho Estadual dos Direitos da PcD e pela secretaria de Estado da Inclusão Social com um belo ensaio fotográfico. O Parque da Sementeira serviu de cenário para sete modelos, cuja beleza e alegria foram captadas pela lente da fotógrafa Pritty Reis. A data comemorativa busca conscientizar a população sobre a necessidade de promoção de ações que garantam a qualidade de vida e a promoção de direitos das cerca de 13 milhões pessoas com deficiência física existentes no Brasil - segundo o último Censo do IBGE (2010).
Desde a sanção da Lei Nº 2.795 de 15 de abril de 1981, alguns avanços foram conquistados, como a obrigatoriedade de acessibilidade em hotéis e pousadas, assentos e vagas preferenciais em espaços como teatro e similares. Em Sergipe, outro avanço foi a gratuidade de acesso em espetáculos, shows, jogos de futebol, entre outros eventos. Mas muito ainda há por ser feito para garantir a igualdade de acesso e a inclusão efetiva desse público, tão expressivo. Nesse sentido, o ensaio, idealizado pelo Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Sergipe (CEPcD), é justamente uma ação de valorização e empoderamento.
A jornalista Lucivânia Santos participou do ensaio, e destacou a importância de se destacar a beleza das pessoas com deficiência. "Nunca havia participado de algo assim. Pude expressar quem e como realmente sou. Saí da minha cadeira, subi numa árvore para fazer umas fotos diferentes e mostrar que não é porque ando de cadeira de rodas que não posso fazer isso. Esse ensaio serve para mostrar que a mulher com deficiência também tem sua beleza externa. Essa data comemorativa é muito importante para conscientizar a sociedade da necessidade de inclusão, já que todos nós somos iguais; apenas vivemos de maneiras diferentes", relatou. 
De acordo com o presidente da Comissão Estadual de Mobilidade e Acessibilidade (CEMA), Leonel Ferreira, é necessário que a lei seja respeitada. "Falar sobre o Dia Nacional da Pessoa com Deficiência Física é muito importante, pois nos dá forças para cobrar que sejamos respeitados e que respeitem a lei que nos protege. Nós precisamos andar despreocupados, com acessibilidade; pegar transportes coletivos com plataformas, mas isso parece estar cada vez mais distante. As coisas não podem ser feitas apenas em datas comemorativas, a acessibilidade, inclusão e igualdade devem ser contínuas", pontuou.
Segundo o presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Antônio Luiz dos Santos, a todo momento, o Conselho luta para que o preconceito contra a pessoa com deficiência física seja vencido. "A luta é para que, além de vencermos as barreiras arquitetônicas, possamos vencer no tocante ao relacionamento interpessoal, afinal, pessoas - com deficiência ou não - são iguais. As pessoas com deficiência precisam ter seus direitos garantidos e, nesta etapa, o Conselho está promovendo o Selo de Acessibilidade Sergipano, que é uma ação para estimular os estabelecimentos comerciais a se adequar para o recebimento de pessoas com deficiência, como clientes e enquanto força de trabalho", informou.

Celebrado neste dia  11 de outubro, o Dia  Nacional da Pessoa com Deficiência Física foi comemorado pelo Conselho Estadual dos Direitos da PcD e pela secretaria de Estado da Inclusão Social com um belo ensaio fotográfico. O Parque da Sementeira serviu de cenário para sete modelos, cuja beleza e alegria foram captadas pela lente da fotógrafa Pritty Reis. A data comemorativa busca conscientizar a população sobre a necessidade de promoção de ações que garantam a qualidade de vida e a promoção de direitos das cerca de 13 milhões pessoas com deficiência física existentes no Brasil - segundo o último Censo do IBGE (2010).
Desde a sanção da Lei Nº 2.795 de 15 de abril de 1981, alguns avanços foram conquistados, como a obrigatoriedade de acessibilidade em hotéis e pousadas, assentos e vagas preferenciais em espaços como teatro e similares. Em Sergipe, outro avanço foi a gratuidade de acesso em espetáculos, shows, jogos de futebol, entre outros eventos. Mas muito ainda há por ser feito para garantir a igualdade de acesso e a inclusão efetiva desse público, tão expressivo. Nesse sentido, o ensaio, idealizado pelo Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Sergipe (CEPcD), é justamente uma ação de valorização e empoderamento.
A jornalista Lucivânia Santos participou do ensaio, e destacou a importância de se destacar a beleza das pessoas com deficiência. "Nunca havia participado de algo assim. Pude expressar quem e como realmente sou. Saí da minha cadeira, subi numa árvore para fazer umas fotos diferentes e mostrar que não é porque ando de cadeira de rodas que não posso fazer isso. Esse ensaio serve para mostrar que a mulher com deficiência também tem sua beleza externa. Essa data comemorativa é muito importante para conscientizar a sociedade da necessidade de inclusão, já que todos nós somos iguais; apenas vivemos de maneiras diferentes", relatou. 
De acordo com o presidente da Comissão Estadual de Mobilidade e Acessibilidade (CEMA), Leonel Ferreira, é necessário que a lei seja respeitada. "Falar sobre o Dia Nacional da Pessoa com Deficiência Física é muito importante, pois nos dá forças para cobrar que sejamos respeitados e que respeitem a lei que nos protege. Nós precisamos andar despreocupados, com acessibilidade; pegar transportes coletivos com plataformas, mas isso parece estar cada vez mais distante. As coisas não podem ser feitas apenas em datas comemorativas, a acessibilidade, inclusão e igualdade devem ser contínuas", pontuou.
Segundo o presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Antônio Luiz dos Santos, a todo momento, o Conselho luta para que o preconceito contra a pessoa com deficiência física seja vencido. "A luta é para que, além de vencermos as barreiras arquitetônicas, possamos vencer no tocante ao relacionamento interpessoal, afinal, pessoas - com deficiência ou não - são iguais. As pessoas com deficiência precisam ter seus direitos garantidos e, nesta etapa, o Conselho está promovendo o Selo de Acessibilidade Sergipano, que é uma ação para estimular os estabelecimentos comerciais a se adequar para o recebimento de pessoas com deficiência, como clientes e enquanto força de trabalho", informou.