Suspeito de dar golpe com prejuízo de R$ 500 mil é preso

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
ÁREA ONDE O GOLPISTA JÁ LESOU MAIS DE 20 PESSOAS
ÁREA ONDE O GOLPISTA JÁ LESOU MAIS DE 20 PESSOAS

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 09/10/2019 às 00:49:00

 

Policiais civis da 1ª Delegacia Metropolitana (1ª DM) prenderam ontem à tarde, no bairro Inácio Barbosa (zona sul de Aracaju), Leovaldo Santos Almeida, 53 anos, suspeito pelo crime de estelionato. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), ele é apontado como causador de um prejuízo de mais de R$ 500 mil em pelo menos 20 pessoas que se interessaram em comprar lotes de terrenos na praia.
As investigações para apurar as falcatruas do suspeito foram abertas no ano de 2017. Segundo informações do delegado Everton Santos, um inquérito policial foi aberto naquele ano para confirmar se o suspeito vendia lotes de terrenos na praia, nas imediações do Mosqueiro. Porém, os lotes pertenciam a um cidadão inglês, já falecido cujos herdeiros ficaram com a posse do terreno.
Tudo foi apurado durante a Operação Venal, deflagrada pelo Departamento de Crimes contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap) para apurar fraudes no pagamento de IPTU na capital sergipana. Leovaldo chegou a ser preso na época. Após ser solto, o suspeito voltou a negociar os lotes que não lhe pertenciam. Na Delegacia, as vítimas apontaram o Leovaldo como o autor das vendas. "Um lote custava em média R$ 40 mil. Muitas dessas vítimas davam uma entrada e iam pagando as parcelas", disse Everton.
O delegado recorda que a Operação Venal em 2016 apurou que o estelionatário e outros comparsas contaram com a ajuda de um tabelião de Canhoba para falsificar o livro cartório de registro do terreno. "Até a assinatura do proprietário que estava morto foi falsificada", destacou, acrescentando que a investigação vai continuar a fim de esclarecer se Leovaldo agiu sozinho ou se contou com outras pessoas para enganar as vítimas. Ele ficará preso preventivamente à disposição da 3ª Vara Criminal de Aracaju e irá responder pelo crime de estelionato. (com SSP)

Policiais civis da 1ª Delegacia Metropolitana (1ª DM) prenderam ontem à tarde, no bairro Inácio Barbosa (zona sul de Aracaju), Leovaldo Santos Almeida, 53 anos, suspeito pelo crime de estelionato. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), ele é apontado como causador de um prejuízo de mais de R$ 500 mil em pelo menos 20 pessoas que se interessaram em comprar lotes de terrenos na praia.
As investigações para apurar as falcatruas do suspeito foram abertas no ano de 2017. Segundo informações do delegado Everton Santos, um inquérito policial foi aberto naquele ano para confirmar se o suspeito vendia lotes de terrenos na praia, nas imediações do Mosqueiro. Porém, os lotes pertenciam a um cidadão inglês, já falecido cujos herdeiros ficaram com a posse do terreno.
Tudo foi apurado durante a Operação Venal, deflagrada pelo Departamento de Crimes contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap) para apurar fraudes no pagamento de IPTU na capital sergipana. Leovaldo chegou a ser preso na época. Após ser solto, o suspeito voltou a negociar os lotes que não lhe pertenciam. Na Delegacia, as vítimas apontaram o Leovaldo como o autor das vendas. "Um lote custava em média R$ 40 mil. Muitas dessas vítimas davam uma entrada e iam pagando as parcelas", disse Everton.
O delegado recorda que a Operação Venal em 2016 apurou que o estelionatário e outros comparsas contaram com a ajuda de um tabelião de Canhoba para falsificar o livro cartório de registro do terreno. "Até a assinatura do proprietário que estava morto foi falsificada", destacou, acrescentando que a investigação vai continuar a fim de esclarecer se Leovaldo agiu sozinho ou se contou com outras pessoas para enganar as vítimas. Ele ficará preso preventivamente à disposição da 3ª Vara Criminal de Aracaju e irá responder pelo crime de estelionato. (com SSP)