Preta Gil escreve 'parabéns' em post de Lucas Lucco anunciando morte do filho e filósofo explica atitude

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 06/10/2019 às 10:51:00

 

Em um post, Lucas Lucco e a sua esposa, a modelo Lorena Carvalho, anunciaram a morte do bebé de apenas 10 semanas do casal. Eram muitos os comentários de apoio dos fãs e amigos do casal, mas mesmo com tantos comentários solidários, Preta Gil comentou um 'parabéns' no post do anúncio. 
Em conversa com o filósofo e pesquisador Fabiano de Abreu, que escreveu mais de 10 temas sobre a rede social e as suas consequências na vida humana, Fabiano disse que a atitude está ligada ao egocentrismo que a rede social está causando na humanidade.
"Tudo isso está relacionado com o setembro amarelo, era da solidão, egoísmo, falsa realidade, vaidade e muitos outros comportamentos negativos quando em excesso. É a era da rede social, onde o egocentrismo é um comportamento de uma personalidade que supera quase todos os outros comportamentos e ainda os elevam já que ele projeta todos esses males que tanto se fala na humanidade atual. Na era da razão, onde todos acham ter razão, onde o faça o que eu digo, mas eu não faço o que digo prevalece, a rede social é apenas um mecanismo egocentrista para que vejam a mim, mas não me interessa o próximo." Disse o autor de 'A angústia da juventude e o alto índice de suicídio entre os jovens' Fabiano de Abreu. 
Fabiano de Abreu que é o autor de: 'Não podemos culpar a mídia social por todos os nossos problemas' discursa sobre a falsa realidade proposta na mídia social e a necessidade de mostrar felicidade o que torna a emoção (felicidade) uma obrigação. 
"É o amar a si mesmo antes de amar qualquer coisa, é o descarrilamento do comboio social antes necessário para evolução humana saudável. A falsa realidade de uma vida perfeita, mas que todos postam fotos sozinhas, na era em que a felicidade tornou-se uma obrigação e não uma consequência. Eu como assessor, trabalho com contas que somam mais de 100 milhões de seguidores na mídia social e esse fenómeno de comentar sem ler e publicar para depois virar as costas, tornou-se um ato natural.

Em um post, Lucas Lucco e a sua esposa, a modelo Lorena Carvalho, anunciaram a morte do bebé de apenas 10 semanas do casal. Eram muitos os comentários de apoio dos fãs e amigos do casal, mas mesmo com tantos comentários solidários, Preta Gil comentou um 'parabéns' no post do anúncio. 
Em conversa com o filósofo e pesquisador Fabiano de Abreu, que escreveu mais de 10 temas sobre a rede social e as suas consequências na vida humana, Fabiano disse que a atitude está ligada ao egocentrismo que a rede social está causando na humanidade.
"Tudo isso está relacionado com o setembro amarelo, era da solidão, egoísmo, falsa realidade, vaidade e muitos outros comportamentos negativos quando em excesso. É a era da rede social, onde o egocentrismo é um comportamento de uma personalidade que supera quase todos os outros comportamentos e ainda os elevam já que ele projeta todos esses males que tanto se fala na humanidade atual. Na era da razão, onde todos acham ter razão, onde o faça o que eu digo, mas eu não faço o que digo prevalece, a rede social é apenas um mecanismo egocentrista para que vejam a mim, mas não me interessa o próximo." Disse o autor de 'A angústia da juventude e o alto índice de suicídio entre os jovens' Fabiano de Abreu. 
Fabiano de Abreu que é o autor de: 'Não podemos culpar a mídia social por todos os nossos problemas' discursa sobre a falsa realidade proposta na mídia social e a necessidade de mostrar felicidade o que torna a emoção (felicidade) uma obrigação. 
"É o amar a si mesmo antes de amar qualquer coisa, é o descarrilamento do comboio social antes necessário para evolução humana saudável. A falsa realidade de uma vida perfeita, mas que todos postam fotos sozinhas, na era em que a felicidade tornou-se uma obrigação e não uma consequência. Eu como assessor, trabalho com contas que somam mais de 100 milhões de seguidores na mídia social e esse fenómeno de comentar sem ler e publicar para depois virar as costas, tornou-se um ato natural.