Clima de paz

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Durante solenidade de entrega da Medalha da Ordem do Mérito Parlamentar ao vice-presidente da República, Hamilton Mourão, ontem, na Assembleia, o presidente Luciano Bispo o presenteou com o primeiro exemplar da Constituição de Sergipe, que fez 30 anos de
Durante solenidade de entrega da Medalha da Ordem do Mérito Parlamentar ao vice-presidente da República, Hamilton Mourão, ontem, na Assembleia, o presidente Luciano Bispo o presenteou com o primeiro exemplar da Constituição de Sergipe, que fez 30 anos de

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 04/10/2019 às 22:58:00

 

O vice-presidente da República, 
general Hamilton Mourão, de
sembarcou ontem no Aeroporto Santa Maria por volta das 9h30, para uma agenda extensa em Sergipe. Foi recepcionado pelo governador Belivaldo Chagas (PSD), o presidente da Assembleia Legislativa, Luciano Bispo, e o deputado estadual Capitão Samuel (PSC), autor da propositura da homenagem que receberia na Assembleia Legislativa.
Do aeroporto todos seguiram para São Cristovão, onde Mourão visitou o município para  fazer o reconhecimento da quarta cidade mais antiga do país e visitar o Museu Histórico de Sergipe. Lá recebeu uma placa o homenageando, que não levou, e fez um discurso de 3 minutos ressaltando as cidades históricas e o patrimônio histórico.
De São Cristovão, voltou para Aracaju visando participar, no Hotel Radisson, de  um debate sobre "Os 25 Anos do Plano Real - Estabilidade Econômica Conquistada. E Agora?".  O evento, promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais de Sergipe (Lide), teve como mediadora a jornalista Mônica Waldvogel e entre os presentes grandes economistas de renomes no país e os senadores sergipanos Alessandro Vieira (Cidadania) e Rogério Carvalho (PT).
Mourão almoçou no próprio hotel do evento e de lá seguiu para a Assembleia Legislativa para receber a Medalha da Ordem de Mérito Parlamentar, que é concedida àqueles que contribuem para o engrandecimento de Sergipe e do Poder Legislativo ou por Mérito Excepcional. Várias autoridades presentes, a exemplo de desembargadores e do ex-governador Albano Franco (PSD).
Da Assembleia, já quase no final da tarde, o vice-presidente  deixou Sergipe com destino a Brasília, com sua comitiva, sem qualquer sobressalto. Não foi hostilizado em nenhum dos três eventos que participou no estado, uma vez que não teve qualquer manifestação e nenhuma palavra de desacato.
Até o governador Belivaldo Chagas, que não é muito simpático ao governo federal, acompanhou o vice de Jair Bolsonaro todo o tempo. Foi um bom anfitrião junto com o presidente da Assembleia, Luciano Bispo.
Trocando em miúdos, os sergipanos insatisfeitos com o governo Bolsonaro não misturaram as coisas. Separaram o joio do trigo, talvez sem saber que o general Mourão é um lobo em pele de cordeiro...

O vice-presidente da República,  general Hamilton Mourão, de sembarcou ontem no Aeroporto Santa Maria por volta das 9h30, para uma agenda extensa em Sergipe. Foi recepcionado pelo governador Belivaldo Chagas (PSD), o presidente da Assembleia Legislativa, Luciano Bispo, e o deputado estadual Capitão Samuel (PSC), autor da propositura da homenagem que receberia na Assembleia Legislativa.
Do aeroporto todos seguiram para São Cristovão, onde Mourão visitou o município para  fazer o reconhecimento da quarta cidade mais antiga do país e visitar o Museu Histórico de Sergipe. Lá recebeu uma placa o homenageando, que não levou, e fez um discurso de 3 minutos ressaltando as cidades históricas e o patrimônio histórico.
De São Cristovão, voltou para Aracaju visando participar, no Hotel Radisson, de  um debate sobre "Os 25 Anos do Plano Real - Estabilidade Econômica Conquistada. E Agora?".  O evento, promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais de Sergipe (Lide), teve como mediadora a jornalista Mônica Waldvogel e entre os presentes grandes economistas de renomes no país e os senadores sergipanos Alessandro Vieira (Cidadania) e Rogério Carvalho (PT).
Mourão almoçou no próprio hotel do evento e de lá seguiu para a Assembleia Legislativa para receber a Medalha da Ordem de Mérito Parlamentar, que é concedida àqueles que contribuem para o engrandecimento de Sergipe e do Poder Legislativo ou por Mérito Excepcional. Várias autoridades presentes, a exemplo de desembargadores e do ex-governador Albano Franco (PSD).
Da Assembleia, já quase no final da tarde, o vice-presidente  deixou Sergipe com destino a Brasília, com sua comitiva, sem qualquer sobressalto. Não foi hostilizado em nenhum dos três eventos que participou no estado, uma vez que não teve qualquer manifestação e nenhuma palavra de desacato.
Até o governador Belivaldo Chagas, que não é muito simpático ao governo federal, acompanhou o vice de Jair Bolsonaro todo o tempo. Foi um bom anfitrião junto com o presidente da Assembleia, Luciano Bispo.
Trocando em miúdos, os sergipanos insatisfeitos com o governo Bolsonaro não misturaram as coisas. Separaram o joio do trigo, talvez sem saber que o general Mourão é um lobo em pele de cordeiro...

Satisfação

O deputado estadual Capitão Samuel (PSC), autor da propositura que concedeu a Medalha da Ordem de Mérito Parlamentar ao vice-presidente da República Hamilton Mourão, estava ontem muito satisfeito com a vinda dele a Sergipe ter ocorrido sem nenhum incidente. "Deu tudo certo como planejado", comemorou.

Missão

Revela à coluna que Mourão deixou Sergipe com a missão de trabalhar para conseguir a liberação de recursos para conclusão das obras de duplicação da BR - 101 junto ao "ministro capitão". "Estou confiante que, como patrono agora de Sergipe, o vice-presidente conseguirá viabilizar a conclusão dessa obra que se arrasta há anos. Até porque a patente de general é maior que a de capitão", afirmou o deputado capitão, se referindo ao fato dele e vários deputados estaduais terem pedido o apoio de Mourão, junto ao governo federal, para conclusão das obras de duplicação da 101.

Justificativa

Mediante as críticas de algumas pessoas sobre a homenagem a Mourão, incluindo o deputado estadual Francisco Gualberto (PT), Samuel explica os dois motivos para ter proposto ao vice-presidente a homenagem da medalha. "Com 46 anos servindo ao exército brasileiro, Mourão serviu a pátria e a nós. A homenagem também serviu para aproximar ele de Sergipe, que é o menor estado e precisa da ajuda do governo federal. Se agredimos a quem precisa, como vai ser?", disse, enfatizando que agora Mourão é o "patrono general de Sergipe".

O próximo

Antecipa o deputado que já está trabalhando junto à presidência da República para a vinda do presidente Jair Bolsonaro a Sergipe em janeiro do próximo ano para receber a mesma honraria.  "É preciso aproximar o presidente do estado. Temos de fazer carinho. Sergipe precisa do governo federal", avalia.

Discurso

Do governador Belivaldo Chagas (PSD), durante discurso em São Cristovão: "Fiz questão de dar as boas-vindas ao vice-presidente Hamilton Mourão. Não poderia haver lugar melhor para iniciar essa visita que a nossa querida São Cristóvão, berço da nossa história e símbolo da sergipanidade. Esse encontro serve, também, para estreitar o relacionamento entre o Governo do Estado e o governo federal em busca de mais desenvolvimento para Sergipe".

No debate do Plano Real 1

Do senador Rogério Carvalho (PT-SE) ao participar ontem do debate "Os 25 Anos do Plano Real - Estabilidade Econômica Conquistada. E Agora?", promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais de Sergipe (Lide): "Sem Estado forte - e Estado forte não é Estado com presença na produção, mas com instituições fortes que definam um rumo, que planejam e que têm um horizonte - não há como sonhar com um país desenvolvido".

No debate do Plano Real 2

Destacou Rogério: "Nós carecemos de um grande pacto para decidirmos qual o projeto de país que a gente quer. Nós não vencemos este debate. Não dá para a gente ter uma economia forte com milhões de pessoas passando fome".

No debate do Plano Real 3

Ressaltou ainda o senador: "Toda vez que você corta, é menos dinheiro que circula na economia. A minha crítica à reforma da Previdência é que nós temos o teto de gastos que toda a economia vai para o superávit primário. Então, nós vamos tirar 80 bilhões por ano da economia. Qual o impacto disso na geração de riqueza?".

É mesmo candidato 1

Uma liderança do PT garantiu ontem à coluna que o vice-presidente nacional do partido, Márcio Macedo, será mesmo candidato a prefeito de Aracaju em 2020 já iniciando sua pré-campanha agora no mês de novembro. Ressalta que ele tem o apoio das principais lideranças da legenda e o sentimento é mesmo de candidatura própria.

É mesmo candidato 2

Segundo a liderança, Márcio já está elaborando o plano de governo, estudando a cidade, visitando os bairros e se preparando para a campanha. Enfatiza que uma agência já será contratada para auxiliá-lo nessa caminhada.

Ponto de vista

Da liderança petista ao ser questionada se o que o PT quer é indicar o vice do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), que vai para a reeleição em 2020:  "O PT não trabalha para vice. Edvaldo fechou com o deputado Fábio Mitidieri (PSD) a indicação do seu vice. Desde 2000 que o PT é prefeito ou vice de Aracaju. Se já tem acordo entre PCdoB e PSD, não tem espaço para o PT. Com isso, o partido vai buscar o seu espaço e vem conversando com outros partidos e lideranças".

Confraternização

O presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (PSD-RJ), ofereceu ontem jantar a bancada do MDB que elege nesse domingo a sua executiva nacional durante Congresso Nacional do partido, a ser realizado em Brasília. O deputado federal Fábio Reis, que é presidente estadual do MDB, participou do jantar e estará no domingo presente ao congresso.

Na Executiva

Fábio e o irmão, o ex-deputado federal e vice-presidente estadual do MDB, Sérgio Reis, vão compor a nova executiva estadual do partido, que já tem o deputado federal Baleia Rossi (SP) aclamado como novo presidente nacional da legenda. "É um orgulho fazermos parte da executiva nacional. É um momento impar e de renovação. É hora de fazer a diferença", avalia.

Impedimento

O deputado federal estava chateado ontem com o fato da gestão municipal de Lagarto não ter autorizado que entregue, na próxima segunda-feira, de equipamentos ao Departamento de Estradas e Rodagem (DER), fruto de emenda parlamentar. Diz que encaminhou ofício ao Departamento de Trânsito e Transportes Urbanos (DTTU) para utilização de espaço público para realizar a entrega, autorizado no mesmo dia, mas que ontem a Secretaria Municipal de Ordem Pública e Defesa da Cidadania (SEMOP) indeferiu a autorização anteriormente concedida pela prefeitura. Revela Fábio que vai tentar um espaço do estado para fazer a entrega dos equipamentos.

Veja essa ...

O vice-presidente Mourão não passou mais de 20 minutos em São Cristovão. Visitou o Museu acompanhado apenas do governador Belivaldo Chagas; do prefeito Marcos Santana; do vice Adilson Júnior; do presidente da Assembleia, Luciano Bispo; do presidente da Câmara, Paulo Júnior; e do deputado Capitão Samuel. Passou mais tempo na Rodovia João Bebe Água que em São Cristovão.

Curtas

Na Assembleia, o deputado Adailton Martins aproveitou a homenagem a Mourão para cobrar da União a liberação dos recursos para conclusão das obras da BR-101 em 2020. Pontuou os prejuízos que o estado vem sofrendo com relação ao fechamento da FAFEN e que sofrerá com a possível retirada da sede da Petrobras do estado. Lamentou ainda o contingenciamento dos recursos de pesquisa e custeio das Universidades Federais.

O presidente da Assembleia, Luciano Bispo, também pediu o empenho do vice-presidente da República para que ajudasse na conclusão das obras da BR - 101, que se arrasta há mais de 20 anos.  

No Plano Plurianual (PPA) apresentado há três semanas pelo governo federal para os próximos quatro anos não há recursos de infraestrutura destinados para o estado.  "Há para a Bahia, Alagoas, mas não há para Sergipe", afirma o deputado Zezinho Sobral, que foi até o Dnit, em Brasília, buscar esclarecimentos.

"Se não tem recursos de infraestrutura destinados para nosso estado, como é que o DNIT vai concluir as obras de duplicação da BR 101?", questiona Zezinho, pedindo o esforço da bancada federal para a obtenção de mais recursos destinados à conclusão da BR 101.