Hyago França participa de reuniões na CBF

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Na CBF, o presidente Hyago França ao lado de Rogério Caboclo, presidente da CBF e Milton Dantas, Presidente da FSF
Na CBF, o presidente Hyago França ao lado de Rogério Caboclo, presidente da CBF e Milton Dantas, Presidente da FSF

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 04/10/2019 às 22:18:00

 

Com o acesso à Série 
B, o time do Confian-
ça passa a ter uma nova postura e receber um olhar diferente das demais equipes, até mesmo dos dirigentes da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Por isso mesmo, o presidente Hyago França intensifica os contatos com a entidade e com dirigentes de outras equipes, da Série B.
Esta semana Hyago França está na CBF e participou nesta quinta-feira (3), de algumas reuniões na sede da CBF, no Rio de Janeiro. Na pauta, informações sobre o Campeonato Brasileiro do próximo ano e também o debate sobre o projeto do clube-empresa, que pode tramitar em breve no Congresso Nacional. O convite para participar da discussão aconteceu após Hyago França visitar Rogério Caboclo, Fernando Sarney e Walter Feldman, respectivamente o presidente, vice-presidente e o secretário-geral da CBF. Estiveram também neste encontro Milton Dantas, presidente da Federação Sergipana de Futebol, e Ernando Rodrigues, diretor de futebol do Confiança. Foram realizadas visitas em vários departamentos, entre eles a Secretaria Geral e Financeira da Confederação. 
Hyago aproveitou para presentear o presidente da CBF com uma camisa do Dragão do Bairro Industrial. "Foi uma visita importante para que a gente conhecesse um pouco mais sobre a Série B do Campeonato Brasileiro do próximo ano. Ou seja, estamos começando desde já, o planejamento para 2020. E é relevante que a gente possa estreitar relações com a entidade maior do nosso futebol e que organiza o torneio", afirmou Hyago França.
Conforme calendário divulgado na quinta-feira (3) pela CBF, a Série B do Campeonato Brasileiro do próximo ano terá início em 2 de maio e se encerrará no dia 28 de novembro. Será mantido o sistema de pontos corridos, dando acesso a quatro equipes para a Série A do ano seguinte e rebaixando outras quatro para a Série C.
Clube-empresa - A reunião desta quinta-feira para debater o projeto do clube empresa, contou com a participação de presidentes de grandes clubes da Série A e da Série B do Brasileirão. A CBF tem dialogado com os times e também com políticos de olho no projeto de lei que promete ser apresentado pelo deputado federal Pedro Paulo (DEM-RJ) e conta com o apoio do presidente da Câmara, deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ).
A proposta pretende fazer com que as agremiações se tornem empresas e paguem mais tributos. Em troca, os clubes se beneficiariam com o refinanciamento de suas dívidas fiscais e receberiam descontos, além da possibilidade de entrarem em recuperação judicial para congelar seus débitos até a realização de acordos na justiça.
Para Hyago França, é preciso analisar bem o projeto e o diálogo com os clubes é importante. "Seria uma grande mudança no futebol brasileiro e mexer em algo deste tamanho precisa que se leve em consideração o que os times esperam desta matéria. Por isso, estaremos acompanhando as discussões e estaremos presentes sempre que a CBF nos convidar", concluiu o presidente proletário.

Com o acesso à Série  B, o time do Confian- ça passa a ter uma nova postura e receber um olhar diferente das demais equipes, até mesmo dos dirigentes da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Por isso mesmo, o presidente Hyago França intensifica os contatos com a entidade e com dirigentes de outras equipes, da Série B.
Esta semana Hyago França está na CBF e participou nesta quinta-feira (3), de algumas reuniões na sede da CBF, no Rio de Janeiro. Na pauta, informações sobre o Campeonato Brasileiro do próximo ano e também o debate sobre o projeto do clube-empresa, que pode tramitar em breve no Congresso Nacional. O convite para participar da discussão aconteceu após Hyago França visitar Rogério Caboclo, Fernando Sarney e Walter Feldman, respectivamente o presidente, vice-presidente e o secretário-geral da CBF. Estiveram também neste encontro Milton Dantas, presidente da Federação Sergipana de Futebol, e Ernando Rodrigues, diretor de futebol do Confiança. Foram realizadas visitas em vários departamentos, entre eles a Secretaria Geral e Financeira da Confederação. 
Hyago aproveitou para presentear o presidente da CBF com uma camisa do Dragão do Bairro Industrial. "Foi uma visita importante para que a gente conhecesse um pouco mais sobre a Série B do Campeonato Brasileiro do próximo ano. Ou seja, estamos começando desde já, o planejamento para 2020. E é relevante que a gente possa estreitar relações com a entidade maior do nosso futebol e que organiza o torneio", afirmou Hyago França.
Conforme calendário divulgado na quinta-feira (3) pela CBF, a Série B do Campeonato Brasileiro do próximo ano terá início em 2 de maio e se encerrará no dia 28 de novembro. Será mantido o sistema de pontos corridos, dando acesso a quatro equipes para a Série A do ano seguinte e rebaixando outras quatro para a Série C.

Clube-empresa - A reunião desta quinta-feira para debater o projeto do clube empresa, contou com a participação de presidentes de grandes clubes da Série A e da Série B do Brasileirão. A CBF tem dialogado com os times e também com políticos de olho no projeto de lei que promete ser apresentado pelo deputado federal Pedro Paulo (DEM-RJ) e conta com o apoio do presidente da Câmara, deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ).
A proposta pretende fazer com que as agremiações se tornem empresas e paguem mais tributos. Em troca, os clubes se beneficiariam com o refinanciamento de suas dívidas fiscais e receberiam descontos, além da possibilidade de entrarem em recuperação judicial para congelar seus débitos até a realização de acordos na justiça.
Para Hyago França, é preciso analisar bem o projeto e o diálogo com os clubes é importante. "Seria uma grande mudança no futebol brasileiro e mexer em algo deste tamanho precisa que se leve em consideração o que os times esperam desta matéria. Por isso, estaremos acompanhando as discussões e estaremos presentes sempre que a CBF nos convidar", concluiu o presidente proletário.