Sergipe terá de qualificar 63 mil trabalhadores em profissões industriais até 2023

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 01/10/2019 às 23:19:00

 

O estado de Sergipe terá de qualificar 63.183 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) para subsidiar a oferta de cursos da instituição. Essas ocupações têm em sua formação conhecimentos de base industrial e por isso são oferecidas pelo SENAI, mas os profissionais podem atuar em qualquer setor da economia.
A demanda prevista pelo estudo inclui, em sua maioria, o aperfeiçoamento (formação continuada) de trabalhadores que já estão empregados. Em parcela menor (23%) estão aqueles que precisam de capacitação para ingressar no mercado de trabalho (formação inicial). Nesse grupo estão pessoas que vão ocupar tanto novas vagas quanto postos já existentes e que se tornam disponíveis devido a aposentadoria, entre outras razões.
Além de subsidiar a oferta de cursos do SENAI, o Mapa do Trabalho pode apoiar jovens na escolha da profissão e trabalhadores que desejam se recolocar no mercado. "O profissional qualificado de acordo com a necessidade do mundo de trabalho tem mais chances de manter o emprego e também pode conseguir uma nova oportunidade mais facilmente quando as vagas forem oferecidas", afirma o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi.
Para o diretor regional do SENAI em Sergipe, Paulo Bergamini, a instituição está preparada para atender a demanda de formação de nova mão de obra para a indústria. "Nós estamos integrados a uma estratégica nacional com um só objetivo: o de capacitar e formar, de forma eficaz, novos profissionais para o mercado de trabalho, do mais alto nível de exigência técnica e de conhecimento. Tudo isso, oferecido através de uma estrutura consolidada, em laboratórios modernos e que dispõe de todas as ferramentas indispensáveis para o aprendizado dos nossos alunos".
Formação de técnicos - As áreas que mais vão demandar a capacitação de profissionais com formação técnica em Sergipe são transversais; energia e telecomunicações; metalmecânica; informática; e construção. Profissionais com qualificação transversal trabalham em qualquer segmento, como técnicos em eletrotécnica e técnicos de controle da produção.
Cursos técnicos têm carga horária entre 800h e 1.200h (1 ano e 6 meses) e são destinados a alunos matriculados ou egressos do ensino médio. Ao término, o estudante recebe um diploma.

O estado de Sergipe terá de qualificar 63.183 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) para subsidiar a oferta de cursos da instituição. Essas ocupações têm em sua formação conhecimentos de base industrial e por isso são oferecidas pelo SENAI, mas os profissionais podem atuar em qualquer setor da economia.
A demanda prevista pelo estudo inclui, em sua maioria, o aperfeiçoamento (formação continuada) de trabalhadores que já estão empregados. Em parcela menor (23%) estão aqueles que precisam de capacitação para ingressar no mercado de trabalho (formação inicial). Nesse grupo estão pessoas que vão ocupar tanto novas vagas quanto postos já existentes e que se tornam disponíveis devido a aposentadoria, entre outras razões.
Além de subsidiar a oferta de cursos do SENAI, o Mapa do Trabalho pode apoiar jovens na escolha da profissão e trabalhadores que desejam se recolocar no mercado. "O profissional qualificado de acordo com a necessidade do mundo de trabalho tem mais chances de manter o emprego e também pode conseguir uma nova oportunidade mais facilmente quando as vagas forem oferecidas", afirma o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi.
Para o diretor regional do SENAI em Sergipe, Paulo Bergamini, a instituição está preparada para atender a demanda de formação de nova mão de obra para a indústria. "Nós estamos integrados a uma estratégica nacional com um só objetivo: o de capacitar e formar, de forma eficaz, novos profissionais para o mercado de trabalho, do mais alto nível de exigência técnica e de conhecimento. Tudo isso, oferecido através de uma estrutura consolidada, em laboratórios modernos e que dispõe de todas as ferramentas indispensáveis para o aprendizado dos nossos alunos".

Formação de técnicos - As áreas que mais vão demandar a capacitação de profissionais com formação técnica em Sergipe são transversais; energia e telecomunicações; metalmecânica; informática; e construção. Profissionais com qualificação transversal trabalham em qualquer segmento, como técnicos em eletrotécnica e técnicos de controle da produção.
Cursos técnicos têm carga horária entre 800h e 1.200h (1 ano e 6 meses) e são destinados a alunos matriculados ou egressos do ensino médio. Ao término, o estudante recebe um diploma.