Corpo de jovem desaparecido estava enterrado no São Conrado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 19/09/2019 às 21:45:00

 

Foi sepultado na tarde de ontem o corpo de Pablo Yago Gonzaga Oliveira, adolescente de apenas 15 anos de idade, o qual estava desaparecido desde a noite do último sábado (14), quando saiu de casa para ir a uma festa com amigos e não mais retornou. Confomre esclarecimentos apresentados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE), corpo dele foi encontrado na tarde dessa quarta-feira (18), enterrado em uma cova rasa, em um terreno em uma área conhecida como "chiqueiro", no bairro São Conrado, na Zona Sul de Aracaju. A causa da morte pode estar ligada diretamente ao consumo e comércio ilegal de drogas.
Durante a cerimônia fúnebre, a avó paterna, dona Ieda Barreto - com a qual Yago Gonzaga morava - reconheceu que o neto possuía relação operacional com grupos de tráfico de entorpecentes, e, apesar dos conselhos por ela sempre concedidos, o adolescente seguia fazendo parte do grupo criminoso. Na manhã de ontem, enquanto aguardava a liberação do corpo por parte do Instituto Médico Legal, Ieda Barreto infomrou que, em virtude da dor de perder o neto, bem como do cansaço natural pela busca do jovem ao longo dos últimos três dias, optou por conduzi-lo diretamente do IML para o cemitério São João Batista, zoa Oeste de Aracaju.
 "Eu sempre sonhei em chegar o dia em que ele iria me ouvir e deixaria de andar com amizades erradas. Ele sabia que estava agindo de forma que vai contra as nossas leis e se não mudasse o futuro seria 'prisão' (sic) no Centro de Atendimento ao Menor (Cenam), na penitenciária quando alcançasse a maioridade, ou a morte. Infelizmente a terceira e mais drástica possibilidade foi justamente a que ocorreu. Falta de aviso não foi", enalteceu. Não foi infomrado pelo poder público estadual se os jovens que saíram com Yago Gonzaga na noite do sábado foram identificados e ouvidos. A fim de elucidar a ocorrência.
 "Acredito que isso vai ocorrer mais cedo ou mais tarde. Alguém será identificado em breve e vai abrir a boca sobre tudo o que aconteceu. A questão é que prefiro não saber como foi que meu neto perdeu a vida. Sei que fiz muito a minha parte, mas mesmo com a consciencia limpa sobre isso não é nada fácil você enterrar um neto", concluiu Ieda Barreto. O Governo do Estado de Sergipe, por meio da Secretaria de Segurança Pública, pede que, caso algum popular possua informações sobre a identidade e o possível paradeiro dos suspeitos, entrem em contato com Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), 190, e os denunciem.
Esse compartilhamento de informações também podem ser realizados através da central de disque denúncia da Polícia Civil, 181. A SSP garante sigilo absoluto sobre a origem das denúncias. Novas informações sobre esse caso devem ser apresentadas após a elucidação do crime. (Milton Alves Júnior)

Foi sepultado na tarde de ontem o corpo de Pablo Yago Gonzaga Oliveira, adolescente de apenas 15 anos de idade, o qual estava desaparecido desde a noite do último sábado (14), quando saiu de casa para ir a uma festa com amigos e não mais retornou. Confomre esclarecimentos apresentados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE), corpo dele foi encontrado na tarde dessa quarta-feira (18), enterrado em uma cova rasa, em um terreno em uma área conhecida como "chiqueiro", no bairro São Conrado, na Zona Sul de Aracaju. A causa da morte pode estar ligada diretamente ao consumo e comércio ilegal de drogas.
Durante a cerimônia fúnebre, a avó paterna, dona Ieda Barreto - com a qual Yago Gonzaga morava - reconheceu que o neto possuía relação operacional com grupos de tráfico de entorpecentes, e, apesar dos conselhos por ela sempre concedidos, o adolescente seguia fazendo parte do grupo criminoso. Na manhã de ontem, enquanto aguardava a liberação do corpo por parte do Instituto Médico Legal, Ieda Barreto infomrou que, em virtude da dor de perder o neto, bem como do cansaço natural pela busca do jovem ao longo dos últimos três dias, optou por conduzi-lo diretamente do IML para o cemitério São João Batista, zoa Oeste de Aracaju.
 "Eu sempre sonhei em chegar o dia em que ele iria me ouvir e deixaria de andar com amizades erradas. Ele sabia que estava agindo de forma que vai contra as nossas leis e se não mudasse o futuro seria 'prisão' (sic) no Centro de Atendimento ao Menor (Cenam), na penitenciária quando alcançasse a maioridade, ou a morte. Infelizmente a terceira e mais drástica possibilidade foi justamente a que ocorreu. Falta de aviso não foi", enalteceu. Não foi infomrado pelo poder público estadual se os jovens que saíram com Yago Gonzaga na noite do sábado foram identificados e ouvidos. A fim de elucidar a ocorrência.
 "Acredito que isso vai ocorrer mais cedo ou mais tarde. Alguém será identificado em breve e vai abrir a boca sobre tudo o que aconteceu. A questão é que prefiro não saber como foi que meu neto perdeu a vida. Sei que fiz muito a minha parte, mas mesmo com a consciencia limpa sobre isso não é nada fácil você enterrar um neto", concluiu Ieda Barreto. O Governo do Estado de Sergipe, por meio da Secretaria de Segurança Pública, pede que, caso algum popular possua informações sobre a identidade e o possível paradeiro dos suspeitos, entrem em contato com Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), 190, e os denunciem.
Esse compartilhamento de informações também podem ser realizados através da central de disque denúncia da Polícia Civil, 181. A SSP garante sigilo absoluto sobre a origem das denúncias. Novas informações sobre esse caso devem ser apresentadas após a elucidação do crime. (Milton Alves Júnior)