Feridos em acidente continuam internados no Huse

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O acidente teria sido provocado pelo estouro de um pneu
O acidente teria sido provocado pelo estouro de um pneu

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 16/09/2019 às 22:21:00

 

Permanece em estado grave os dois passageiros do carro - Golf de placa: ERX 6318 - que capotou na manhã do último domingo (15), quando um dos pneus estourou e contribuiu para o sinistro. Acompanhado por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o caso foi registrado na BR-235, no trecho em que interliga o município de Nossa Senhora do Socorro à cidade de Areia Branca. Um dos passageiros com ferimentos leves conversou com a guarnição federal e informou que todos seguiam com destino à Itabaiana, cerca de 20 km do local do acidente. Diante da gravidade, quatro viaturas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), foram acionadas para atender a ocorrência.
De acordo com o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) - unidade que recebeu as vítimas, uma mulher de 35 anos, segue sendo acompanhada no setor de ortopedia após sofrer fratura em um dos tornozelos. Indícios indicam que ela teria sido arremessada de dentro do veículo no momento do impacto. Três vítimas do sexo masculino, de 40, 41 e 54 anos, também foram levados ao Huse com escoriações espalhadas pelo corpo. O quadro clínico mais grave trata-se de uma mulher de 43 anos. Os exames realizados minutos após ter dado entrada no Huse mostram que ela sofreu traumatismo craniano considerado severo. Não há perspectiva de alta para os casos mais graves.
A linha de investigação da PRF envolve desde a velocidade atingida no momento da possível explosão do pneu, até o momento em que o carro parou capotado. Nesse curto intervalo de tempo, o veículo invadiu o acostamento, colidiu com uma manilha, capotou e ainda atingiu outro carro - tipo caminhonete - que seguia na direção contrária. "Fica difícil deduzir a velocidade que o carro [capotado] estava. Foi tudo muito rápido e a única coisa que pensamos no momento foi de encostar o nosso carro no acostamento, acionar o pisca alerta e ligar para o Samu e depois a PRF", declarou ao JORNAL DO DIA, Lúcia Menezes, testemunha que seguia no mesmo sentido do Golf.
As informações envolvendo o quadro clínico das vítimas estão sendo atualizadas pela Secretaria de Estado da Saúde, por meio da Central de Regulação de Urgências (RU), e do próprio Hospital de Urgência de Sergipe. A perspectiva é que um laudo técnico sobre este acidente possa ser apresentado pela Polícia Rodoviária Federal em até 30 dias úteis. (Milton Alves Júnior)

Permanece em estado grave os dois passageiros do carro - Golf de placa: ERX 6318 - que capotou na manhã do último domingo (15), quando um dos pneus estourou e contribuiu para o sinistro. Acompanhado por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o caso foi registrado na BR-235, no trecho em que interliga o município de Nossa Senhora do Socorro à cidade de Areia Branca. Um dos passageiros com ferimentos leves conversou com a guarnição federal e informou que todos seguiam com destino à Itabaiana, cerca de 20 km do local do acidente. Diante da gravidade, quatro viaturas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), foram acionadas para atender a ocorrência.
De acordo com o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) - unidade que recebeu as vítimas, uma mulher de 35 anos, segue sendo acompanhada no setor de ortopedia após sofrer fratura em um dos tornozelos. Indícios indicam que ela teria sido arremessada de dentro do veículo no momento do impacto. Três vítimas do sexo masculino, de 40, 41 e 54 anos, também foram levados ao Huse com escoriações espalhadas pelo corpo. O quadro clínico mais grave trata-se de uma mulher de 43 anos. Os exames realizados minutos após ter dado entrada no Huse mostram que ela sofreu traumatismo craniano considerado severo. Não há perspectiva de alta para os casos mais graves.
A linha de investigação da PRF envolve desde a velocidade atingida no momento da possível explosão do pneu, até o momento em que o carro parou capotado. Nesse curto intervalo de tempo, o veículo invadiu o acostamento, colidiu com uma manilha, capotou e ainda atingiu outro carro - tipo caminhonete - que seguia na direção contrária. "Fica difícil deduzir a velocidade que o carro [capotado] estava. Foi tudo muito rápido e a única coisa que pensamos no momento foi de encostar o nosso carro no acostamento, acionar o pisca alerta e ligar para o Samu e depois a PRF", declarou ao JORNAL DO DIA, Lúcia Menezes, testemunha que seguia no mesmo sentido do Golf.
As informações envolvendo o quadro clínico das vítimas estão sendo atualizadas pela Secretaria de Estado da Saúde, por meio da Central de Regulação de Urgências (RU), e do próprio Hospital de Urgência de Sergipe. A perspectiva é que um laudo técnico sobre este acidente possa ser apresentado pela Polícia Rodoviária Federal em até 30 dias úteis. (Milton Alves Júnior)