Paratleta da UFS elogiado pelo secretário nacional

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 12/09/2019 às 22:22:00

 

O Brasil teve uma participação histórica nos Jogos Parapan-Americanos, em Lima, no Peru. Ganhou um total de 308 medalhas e confirmou a condição de maior potência do esporte paralímpico nas Américas. Entre os premiados, o estudante da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Ailton de Souza, medalhista de bronze na prova de halterofilismo até 80kg. De Brasília, veio o elogio do secretário nacional do Esporte, Washington Coração Valente. "É o braço de ferro do estado", disse o ex-jogador ao elogiar o desempenho de Ailton na competição internacional.
Paraibano radicado em Sergipe, Ailton de Souza integra o projeto de extensão "Halterofilismo Paralímpico", do Departamento de Educação Física da Universidade Federal de Sergipe. Ele sofreu uma paralisia infantil ao nascer, após a aplicação de uma benzetacil no nervo ciático atrofiar a perna esquerda.
Ailton de Souza tem 1,75m de altura e pesa 80kg, sendo um dos 315 paratletas convocados pelo Comitê Paralímpico Brasileiro para representar o país no Parapan deste ano.
Investimento no esporte - O sucesso dos brasileiros em Lima é fruto de trabalho e de investimento. Pela primeira vez os esportistas puderam contar com uma preparação completa no Centro de Treinamento Paralímpico em São Paulo, um dos maiores e mais modernos CTs do mundo. Os atletas nacionais contaram também com o apoio do programa Bolsa Atleta e do Bolsa Pódio. Os bolsistas conquistaram medalhas em 16 modalidades.
"Estamos muito contentes com o desempenho nesse Parapan. Nós estamos investindo muito na questão do esporte. Esse é o esforço para buscar cidadania plena para todos os brasileiros. O esporte é uma forma de fazer essa diminuição das desigualdades e fazer com que eles brilhem no esporte para a alegria de todo o Brasil", disse o ministro da Cidadania, Osmar Terra. 

O Brasil teve uma participação histórica nos Jogos Parapan-Americanos, em Lima, no Peru. Ganhou um total de 308 medalhas e confirmou a condição de maior potência do esporte paralímpico nas Américas. Entre os premiados, o estudante da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Ailton de Souza, medalhista de bronze na prova de halterofilismo até 80kg. De Brasília, veio o elogio do secretário nacional do Esporte, Washington Coração Valente. "É o braço de ferro do estado", disse o ex-jogador ao elogiar o desempenho de Ailton na competição internacional.
Paraibano radicado em Sergipe, Ailton de Souza integra o projeto de extensão "Halterofilismo Paralímpico", do Departamento de Educação Física da Universidade Federal de Sergipe. Ele sofreu uma paralisia infantil ao nascer, após a aplicação de uma benzetacil no nervo ciático atrofiar a perna esquerda.
Ailton de Souza tem 1,75m de altura e pesa 80kg, sendo um dos 315 paratletas convocados pelo Comitê Paralímpico Brasileiro para representar o país no Parapan deste ano.
Investimento no esporte - O sucesso dos brasileiros em Lima é fruto de trabalho e de investimento. Pela primeira vez os esportistas puderam contar com uma preparação completa no Centro de Treinamento Paralímpico em São Paulo, um dos maiores e mais modernos CTs do mundo. Os atletas nacionais contaram também com o apoio do programa Bolsa Atleta e do Bolsa Pódio. Os bolsistas conquistaram medalhas em 16 modalidades.
"Estamos muito contentes com o desempenho nesse Parapan. Nós estamos investindo muito na questão do esporte. Esse é o esforço para buscar cidadania plena para todos os brasileiros. O esporte é uma forma de fazer essa diminuição das desigualdades e fazer com que eles brilhem no esporte para a alegria de todo o Brasil", disse o ministro da Cidadania, Osmar Terra.