Edvaldo comemora aprovação de R$ 300 milhões para Aracaju: grande vitória

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O prefeito Edvaldo Nogueira e o senador Rogério Carvalho durante a entrevista coletiva
O prefeito Edvaldo Nogueira e o senador Rogério Carvalho durante a entrevista coletiva

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 05/09/2019 às 23:50:00

 

O prefeito Edvaldo Nogueira concedeu, na manhã desta quinta-feira,  entrevista coletiva para tratar do empréstimo de 75 milhões de dólares - cerca de R$ 300 milhões - junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para Aracaju. O financiamento, que foi aprovado pelo Senado no início desta semana, se destina ao "Programa de Requalificação Urbana da Região Oeste de Aracaju - Construindo para o Futuro". O senador Rogério Carvalho, autor do pedido de urgência para votação do projeto, também participou da coletiva.
"O nosso empréstimo foi aprovado em prazo recorde. Foi uma grande vitória da nossa cidade. Trabalhamos dois anos neste projeto ao mesmo tempo em que organizamos a gestão. O ajuste fiscal, o corte de gastos e o nosso planejamento estratégico foram fundamentais para que a nossa avaliação junto à Secretaria do Tesouro Nacional melhorasse. Recebemos três missões do BID que vieram à Aracaju para estudar a nossa capacidade financeira. Não foi uma coisa fácil nem simples. O BID exige um projeto consistente. O banco só empresta para quem tem condições de pagar", ressaltou o prefeito.
Capacidade de endividamento - Questionado sobre a capacidade de endividamento da Prefeitura e como se dará o pagamento deste empréstimo, o prefeito explicou que o município pode ter uma dívida de até 120% da receita corrente líquida e que o endividamento chega a cerca de 20%, o que demonstra a grande margem para contratação de operações de crédito. A Prefeitura de Aracaju pode adquirir empréstimo de até R$ 2 bilhões.
"O enxugamento da máquina, a organização administrativa e o planejamento estratégico que desenvolvemos permitiram que nós avançássemos na avaliação junto à STN. Encontramos a Prefeitura com letra "C" e melhoramos para letra "B", o que fez ampliar a nossa capacidade de endividamento. Este empréstimo será pago em 30 anos com período de carência de cinco anos", informou.
O senador Rogério Carvalho também chamou a atenção para a organização administrativa da Prefeitura de Aracaju, que foi vital para que o município pudesse receber recursos. "Só é possível acessar recursos como este se a Prefeitura tiver bons projetos, se tiver dentro das condições para receber novos investimentos. O prefeito Edvaldo Nogueira, inegavelmente, conseguiu organizar as finanças da Prefeitura", afirmou, lembrando ainda das gestões anteriores que também atuaram neste sentido, como as de Marcelo Déda (entre 2001 e 2006) e as do próprio Edvaldo Nogueira (entre 2006 e 2012). "Esta construção foi muito importante", frisou.
As obras - Os recursos do convênio, que deve ser assinado até outubro com o BID, serão utilizados para uma série de obras de infraestrutura em diversos bairros da cidade, sendo a principal delas a construção da avenida Perimetral Oeste, que desafogará o trânsito na avenida Euclides Figueiredo. "Para esta avenida serão destinados cerca de R$ 100 milhões. Será uma grande via, com 7,5 km de extensão, com toda a infraestrutura necessária, com ciclovias, uma ponte e que ligará o Lamarão, na divisa com Nossa Senhora do Socorro, até o Bugio", informou o prefeito.
Edvaldo explicou ainda que a nova avenida resolverá os problemas de mobilidade existente na região Oeste da capital. "Esta via será paralela à avenida Euclides Figueiredo, então servirá para desafogar o trânsito na região. Já estamos fazendo a obra que resolve os alagamentos da Euclides e esta nova via melhorará o fluxo", destacou ele, frisando ainda que o empreendimento servirá também para "conter a ocupação da área de manguezais", tanto que está prevista a criação de um parque ecológico no bairro Lamarão. "Além disso, esta obra irá gerar grande desenvolvimento econômico", frisou.
Com estes investimentos, a Prefeitura também fará a revitalização completa do Parque da Sementeira, num investimento de cerca de R$ 20 milhões. Além disso, o projeto inclui a construção de 420 unidades habitacionais, creches e escolas, equipamentos de saúde, praças e Centro de Assistência Social. 

O prefeito Edvaldo Nogueira concedeu, na manhã desta quinta-feira,  entrevista coletiva para tratar do empréstimo de 75 milhões de dólares - cerca de R$ 300 milhões - junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para Aracaju. O financiamento, que foi aprovado pelo Senado no início desta semana, se destina ao "Programa de Requalificação Urbana da Região Oeste de Aracaju - Construindo para o Futuro". O senador Rogério Carvalho, autor do pedido de urgência para votação do projeto, também participou da coletiva.
"O nosso empréstimo foi aprovado em prazo recorde. Foi uma grande vitória da nossa cidade. Trabalhamos dois anos neste projeto ao mesmo tempo em que organizamos a gestão. O ajuste fiscal, o corte de gastos e o nosso planejamento estratégico foram fundamentais para que a nossa avaliação junto à Secretaria do Tesouro Nacional melhorasse. Recebemos três missões do BID que vieram à Aracaju para estudar a nossa capacidade financeira. Não foi uma coisa fácil nem simples. O BID exige um projeto consistente. O banco só empresta para quem tem condições de pagar", ressaltou o prefeito.

Capacidade de endividamento - Questionado sobre a capacidade de endividamento da Prefeitura e como se dará o pagamento deste empréstimo, o prefeito explicou que o município pode ter uma dívida de até 120% da receita corrente líquida e que o endividamento chega a cerca de 20%, o que demonstra a grande margem para contratação de operações de crédito. A Prefeitura de Aracaju pode adquirir empréstimo de até R$ 2 bilhões.
"O enxugamento da máquina, a organização administrativa e o planejamento estratégico que desenvolvemos permitiram que nós avançássemos na avaliação junto à STN. Encontramos a Prefeitura com letra "C" e melhoramos para letra "B", o que fez ampliar a nossa capacidade de endividamento. Este empréstimo será pago em 30 anos com período de carência de cinco anos", informou.
O senador Rogério Carvalho também chamou a atenção para a organização administrativa da Prefeitura de Aracaju, que foi vital para que o município pudesse receber recursos. "Só é possível acessar recursos como este se a Prefeitura tiver bons projetos, se tiver dentro das condições para receber novos investimentos. O prefeito Edvaldo Nogueira, inegavelmente, conseguiu organizar as finanças da Prefeitura", afirmou, lembrando ainda das gestões anteriores que também atuaram neste sentido, como as de Marcelo Déda (entre 2001 e 2006) e as do próprio Edvaldo Nogueira (entre 2006 e 2012). "Esta construção foi muito importante", frisou.

As obras - Os recursos do convênio, que deve ser assinado até outubro com o BID, serão utilizados para uma série de obras de infraestrutura em diversos bairros da cidade, sendo a principal delas a construção da avenida Perimetral Oeste, que desafogará o trânsito na avenida Euclides Figueiredo. "Para esta avenida serão destinados cerca de R$ 100 milhões. Será uma grande via, com 7,5 km de extensão, com toda a infraestrutura necessária, com ciclovias, uma ponte e que ligará o Lamarão, na divisa com Nossa Senhora do Socorro, até o Bugio", informou o prefeito.
Edvaldo explicou ainda que a nova avenida resolverá os problemas de mobilidade existente na região Oeste da capital. "Esta via será paralela à avenida Euclides Figueiredo, então servirá para desafogar o trânsito na região. Já estamos fazendo a obra que resolve os alagamentos da Euclides e esta nova via melhorará o fluxo", destacou ele, frisando ainda que o empreendimento servirá também para "conter a ocupação da área de manguezais", tanto que está prevista a criação de um parque ecológico no bairro Lamarão. "Além disso, esta obra irá gerar grande desenvolvimento econômico", frisou.
Com estes investimentos, a Prefeitura também fará a revitalização completa do Parque da Sementeira, num investimento de cerca de R$ 20 milhões. Além disso, o projeto inclui a construção de 420 unidades habitacionais, creches e escolas, equipamentos de saúde, praças e Centro de Assistência Social.