Alunos da escola Alceu Amoroso Lima sofrem arrastão

Cidades

 

A Polícia Militar do Estado de Sergipe segue em busca dos três homens acusados de entrar no Colégio Estadual Alceu Amoroso Lima, localizado na zona Sul de Aracaju, e ter realizado um arrastão junto ao pertence dos alunos e funcionários. O fato ocorreu na tarde da última terça-feira, 03. Sem anunciar o assalto, na portaria os três se apresentaram como colegiais em busca de informações sobre como proceder para renovação da matrícula. Já na parte interna da instituição o trio deu início a subtração dos pertences. A fim de intimidar as vítimas e evitar possíveis tentativas de reação, um dos assaltantes chegou a disparar uma vez contra a parede.
As buscas foram iniciadas cerca de 20 minutos após a evasão dos suspeitos. Em comunicado oficial a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE), e a Secretaria de Estado da Educação, Cultura e Esporte (SEDUC), informaram que não houve registro de pessoas agredidas fisicamente, ou feridas em virtude dos estilhaços provocados pelo disparo. Dentro da perspectiva de minimizar a possibilidade de novas invasões, a direção escolar - que optou por não conceder entrevista neste momento - informou apenas que adotará medidas emergenciais ainda neste mês de setembro.
Entre essas ações está uma melhor identificação dos estudantes aptos para acessar a unidade, bem como os horários de abertura e fechamento dos portões. Esse conjunto de intervenções administrativas serão listadas e apresentadas aos pais, ou demais responsáveis por cada estudante. Este não é o primeiro caso de invasão criminosa em escolas da rede pública; a diferença para os demais casos, conforme enaltecido pelo próprio Governo do Estado, é que o Colégio Estadual Alceu Amoroso Lima está na lista de instituições as quais recebem de forma mais frequente a presença de agentes da Polícia Militar.
Em virtude do pânico gerado, as atividades educacionais foram suspensas na noite de terça-feira, durante todo o dia de ontem, e apenas voltam à normalidade na manhã de hoje. A Secretaria de Segurança Pública pede que, caso alguém possua informações sobre os suspeitos, que entrem em contato com Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), 190, e os denunciem. A SSP garante sigilo absoluto sobre a identidade dos denunciantes. (Milton Alves Júnior)

A Polícia Militar do Estado de Sergipe segue em busca dos três homens acusados de entrar no Colégio Estadual Alceu Amoroso Lima, localizado na zona Sul de Aracaju, e ter realizado um arrastão junto ao pertence dos alunos e funcionários. O fato ocorreu na tarde da última terça-feira, 03. Sem anunciar o assalto, na portaria os três se apresentaram como colegiais em busca de informações sobre como proceder para renovação da matrícula. Já na parte interna da instituição o trio deu início a subtração dos pertences. A fim de intimidar as vítimas e evitar possíveis tentativas de reação, um dos assaltantes chegou a disparar uma vez contra a parede.
As buscas foram iniciadas cerca de 20 minutos após a evasão dos suspeitos. Em comunicado oficial a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE), e a Secretaria de Estado da Educação, Cultura e Esporte (SEDUC), informaram que não houve registro de pessoas agredidas fisicamente, ou feridas em virtude dos estilhaços provocados pelo disparo. Dentro da perspectiva de minimizar a possibilidade de novas invasões, a direção escolar - que optou por não conceder entrevista neste momento - informou apenas que adotará medidas emergenciais ainda neste mês de setembro.
Entre essas ações está uma melhor identificação dos estudantes aptos para acessar a unidade, bem como os horários de abertura e fechamento dos portões. Esse conjunto de intervenções administrativas serão listadas e apresentadas aos pais, ou demais responsáveis por cada estudante. Este não é o primeiro caso de invasão criminosa em escolas da rede pública; a diferença para os demais casos, conforme enaltecido pelo próprio Governo do Estado, é que o Colégio Estadual Alceu Amoroso Lima está na lista de instituições as quais recebem de forma mais frequente a presença de agentes da Polícia Militar.
Em virtude do pânico gerado, as atividades educacionais foram suspensas na noite de terça-feira, durante todo o dia de ontem, e apenas voltam à normalidade na manhã de hoje. A Secretaria de Segurança Pública pede que, caso alguém possua informações sobre os suspeitos, que entrem em contato com Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), 190, e os denunciem. A SSP garante sigilo absoluto sobre a identidade dos denunciantes. (Milton Alves Júnior)

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS