Parcelamento do ICMS é oportunidade de fôlego financeiro para empresas sergipanas

Cidades

 

A Secretaria do Estado da Fazenda de Sergipe (Sefaz) mantém aberta a adesão ao programa especial de parcelamento de débitos do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). A proposta está acessível e possui prazo final para adesão 31 de outubro, permitindo que contribuintes com pendências junto ao Fisco estadual possam regularizar a situação tributária com parcelas entre 24, 36 e 48 meses, conforme o montante da dívida.
De acordo com o presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de Sergipe (CRC/SE), Vanderson Melo, a facilidade do parcelamento da dívida do ICMS contribuirá diretamente para a economia local, uma vez que "o parcelamento dará um fôlego financeiro para os contribuintes, os empresários sergipanos. Isso resultará em mais investimentos nos seus negócios. Além do crescimento econômico em Sergipe", pontua. 
O presidente do CRC/SE destaca que a proposta do parcelamento especial do ICMS, permitindo que o empresário possa pagar o imposto de maneira acessível, sem deixar um montante acumulado, é extremamente importante para o desenvolvimento do comércio. "Aliás, sempre foi um pleito da nossa classe, pois os empresários muitas vezes se sentiam impossibilitados de aderir aos parcelamentos anteriores. Isso porque o valor mínimo da primeira parcela, que era estabelecida em 10% do valor total, tornava a adesão totalmente inviável. Essa nova possibilidade permite que o dinheiro circule", diz. 

A Secretaria do Estado da Fazenda de Sergipe (Sefaz) mantém aberta a adesão ao programa especial de parcelamento de débitos do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). A proposta está acessível e possui prazo final para adesão 31 de outubro, permitindo que contribuintes com pendências junto ao Fisco estadual possam regularizar a situação tributária com parcelas entre 24, 36 e 48 meses, conforme o montante da dívida.
De acordo com o presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de Sergipe (CRC/SE), Vanderson Melo, a facilidade do parcelamento da dívida do ICMS contribuirá diretamente para a economia local, uma vez que "o parcelamento dará um fôlego financeiro para os contribuintes, os empresários sergipanos. Isso resultará em mais investimentos nos seus negócios. Além do crescimento econômico em Sergipe", pontua. 
O presidente do CRC/SE destaca que a proposta do parcelamento especial do ICMS, permitindo que o empresário possa pagar o imposto de maneira acessível, sem deixar um montante acumulado, é extremamente importante para o desenvolvimento do comércio. "Aliás, sempre foi um pleito da nossa classe, pois os empresários muitas vezes se sentiam impossibilitados de aderir aos parcelamentos anteriores. Isso porque o valor mínimo da primeira parcela, que era estabelecida em 10% do valor total, tornava a adesão totalmente inviável. Essa nova possibilidade permite que o dinheiro circule", diz. 

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS