Seduc disponibiliza provas do supletivo para pessoas com deficiência

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 03/09/2019 às 23:44:00

 

Em busca dos seus sonhos e, acima de tudo, autonomia, o jovem Matheus de Oliveira Santana, diagnosticado com uma doença neurodegenerativa, busca na educação uma forma de vencer as adversidades vividas desde os seus primeiros anos de idade. O estudante foi submetido ao Exame Supletivo em Regime Especial - Ensino Médio, aplicado pela Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), por meio do Departamento de Educação (DED), coordenado pelo Serviço de Educação de Jovens e Adultos/ Divisão de Exames Supletivos (Seja/Diex).
Durante a prova, o candidato responde a 130 questões, 120 das quais são objetivas e abrangem as áreas de conhecimento: Português e Literatura, Matemática, História, Geografia, Química, Física, Biologia, Arte, Educação Física, Redação, Língua Estrangeira - Inglês ou Espanhol - , Sociologia e Filosofia.
Como a avaliação é realizada para Pessoa com Deficiência (PcD), o exame é dividido em três momentos, em que são respeitadas as limitações de cada indivíduo, com o devido acompanhamento de técnicos das Divisões de Exames e Certificação e Educação Especial da Seduc. Se por acaso o participante não alcançar a pontuação necessária para a aprovação, ele terá direito a submeter-se a mais duas provas por disciplina durante o ano civil em curso.
Confiante do seu bom desempenho na prova, Matheus de Oliveira, diagnosticado com paralisia cerebral espástica, mostrou-se entusiasmado com o conteúdo do exame. "Acredito que vou alcançar uma boa nota, apesar de ter alguns assuntos que eu não tinha estudado. Minha preparação foi somente pela internet. Assisti a alguns vídeos e consegui aproveitar o conteúdo", disse o jovem, que pretende cursar faculdade de engenharia da computação para trabalhar na área de programação. "É uma área que me fascina. Sempre gostei de informática e de jogos digitais", completa.

Em busca dos seus sonhos e, acima de tudo, autonomia, o jovem Matheus de Oliveira Santana, diagnosticado com uma doença neurodegenerativa, busca na educação uma forma de vencer as adversidades vividas desde os seus primeiros anos de idade. O estudante foi submetido ao Exame Supletivo em Regime Especial - Ensino Médio, aplicado pela Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), por meio do Departamento de Educação (DED), coordenado pelo Serviço de Educação de Jovens e Adultos/ Divisão de Exames Supletivos (Seja/Diex).
Durante a prova, o candidato responde a 130 questões, 120 das quais são objetivas e abrangem as áreas de conhecimento: Português e Literatura, Matemática, História, Geografia, Química, Física, Biologia, Arte, Educação Física, Redação, Língua Estrangeira - Inglês ou Espanhol - , Sociologia e Filosofia.
Como a avaliação é realizada para Pessoa com Deficiência (PcD), o exame é dividido em três momentos, em que são respeitadas as limitações de cada indivíduo, com o devido acompanhamento de técnicos das Divisões de Exames e Certificação e Educação Especial da Seduc. Se por acaso o participante não alcançar a pontuação necessária para a aprovação, ele terá direito a submeter-se a mais duas provas por disciplina durante o ano civil em curso.
Confiante do seu bom desempenho na prova, Matheus de Oliveira, diagnosticado com paralisia cerebral espástica, mostrou-se entusiasmado com o conteúdo do exame. "Acredito que vou alcançar uma boa nota, apesar de ter alguns assuntos que eu não tinha estudado. Minha preparação foi somente pela internet. Assisti a alguns vídeos e consegui aproveitar o conteúdo", disse o jovem, que pretende cursar faculdade de engenharia da computação para trabalhar na área de programação. "É uma área que me fascina. Sempre gostei de informática e de jogos digitais", completa.