Alunos cobram mudanças nas regras das escolas estaduais

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 03/09/2019 às 23:44:00

 

O rodízio realizado pela Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (SEDUC), por meio de Processo Seletivo Simplificado (PSS), nas instituições de ensino não tem agradado parte dos professores, alunos e demais funcionários. A medida é aplicada apenas junto aos cargos de direção. Pela segunda vez em menos de um mês estudantes foram às ruas protestar contra essa medida desenvolvida pelo Governo de Sergipe. Na manhã de ontem foi a vez de jovens matriculados na Escola Estadual 24 de Outubro ocupar parte da Avenida Presidente Juscelino Kubitscheck, no Bairro Cidade Nova, zona Norte de Aracaju.
De acordo com pais e alunos da instituição, apesar das dificuldades financeiras, a direção escolar tem realizado ações positivas ao longo dos últimos anos e agregado união entre funcionários, crianças e adolescentes, além de toda a comunidade em torno da instituição. A manutenção da atual diretoria conta com o apoio de professores e do Grêmio Estudantil. D.S.S. de 16 anos, defende que o governador Belivaldo Chagas ouça os moradores e atenda as reivindicações. O jovem estudante diz reconhecer a importância do PSS, mas que ele não deveria ser direcionado para todas as unidades.
"Nós temos um relacionamento realmente muito bom, é tanto que decidimos realizar essa manifestação, ir para a rua e tentar chamar a atenção do governador. Não somos contra a realização desse processo simplificado, mas que ele fosse direcionado apenas para escolas que realmente precisam mudar o, ou a diretora devido aos conflitos internos. Aqui [na Escola Estadual 24 de Outubro] nós não temos esse tipo de problema. A gestão é muito boa e se mudar, aí sim os problemas podem começar a aparecer", declarou. Por meio de nota a SEDUC apresentou o contraponto sobre a mobilização, bem como informou que está disposta a dialogar com os estudantes.
 "Os diretores de escolas que ora exercem a função na rede estadual de ensino passaram por um processo seletivo democrático, claro e inédito em Sergipe. Ao todo, 260 novos gestores assumiram o cargo, dentre os quais o diretor da Escola Estadual 24 de Outubro. O processo seletivo tornou mais profissional e democrático a gestão da Educação Pública, cumprindo uma das metas de plano de governo. Todos os diretores passaram por cursos de aperfeiçoamento e estão aptos a exercerem a função, alguns permanecendo nas unidades de ensino em que já estavam, outros dando início aos trabalhos em uma nova escola."
Críticas - Em 12 de agosto deste ano a mobilização foi coordenada por pais, alunos e professores da Escola Estadual Armindo Guaraná, no bairro Rosa Elze, município de São Cristóvão. A comunidade se mostrava insatisfeita com a mudança dos gestores da escola, quando aproveitou a oportunidade para alegar que a antiga gestão tem um trabalho consolidado e que trouxe benefícios para a unidade escolar. Na oportunidade, em resposta às críticas, a Secretaria de Estado Educação informou que o Supremo Tribunal Federal (STF) afirmou que cargo de diretor não é eletivo, portanto o Governo de Sergipe realizou o PSS em quatro etapas para profissionalizar a gestão nas diretorias de escolas. (Milton Alves Júnior)

O rodízio realizado pela Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (SEDUC), por meio de Processo Seletivo Simplificado (PSS), nas instituições de ensino não tem agradado parte dos professores, alunos e demais funcionários. A medida é aplicada apenas junto aos cargos de direção. Pela segunda vez em menos de um mês estudantes foram às ruas protestar contra essa medida desenvolvida pelo Governo de Sergipe. Na manhã de ontem foi a vez de jovens matriculados na Escola Estadual 24 de Outubro ocupar parte da Avenida Presidente Juscelino Kubitscheck, no Bairro Cidade Nova, zona Norte de Aracaju.
De acordo com pais e alunos da instituição, apesar das dificuldades financeiras, a direção escolar tem realizado ações positivas ao longo dos últimos anos e agregado união entre funcionários, crianças e adolescentes, além de toda a comunidade em torno da instituição. A manutenção da atual diretoria conta com o apoio de professores e do Grêmio Estudantil. D.S.S. de 16 anos, defende que o governador Belivaldo Chagas ouça os moradores e atenda as reivindicações. O jovem estudante diz reconhecer a importância do PSS, mas que ele não deveria ser direcionado para todas as unidades.
"Nós temos um relacionamento realmente muito bom, é tanto que decidimos realizar essa manifestação, ir para a rua e tentar chamar a atenção do governador. Não somos contra a realização desse processo simplificado, mas que ele fosse direcionado apenas para escolas que realmente precisam mudar o, ou a diretora devido aos conflitos internos. Aqui [na Escola Estadual 24 de Outubro] nós não temos esse tipo de problema. A gestão é muito boa e se mudar, aí sim os problemas podem começar a aparecer", declarou. Por meio de nota a SEDUC apresentou o contraponto sobre a mobilização, bem como informou que está disposta a dialogar com os estudantes.
 "Os diretores de escolas que ora exercem a função na rede estadual de ensino passaram por um processo seletivo democrático, claro e inédito em Sergipe. Ao todo, 260 novos gestores assumiram o cargo, dentre os quais o diretor da Escola Estadual 24 de Outubro. O processo seletivo tornou mais profissional e democrático a gestão da Educação Pública, cumprindo uma das metas de plano de governo. Todos os diretores passaram por cursos de aperfeiçoamento e estão aptos a exercerem a função, alguns permanecendo nas unidades de ensino em que já estavam, outros dando início aos trabalhos em uma nova escola."

Críticas -
Em 12 de agosto deste ano a mobilização foi coordenada por pais, alunos e professores da Escola Estadual Armindo Guaraná, no bairro Rosa Elze, município de São Cristóvão. A comunidade se mostrava insatisfeita com a mudança dos gestores da escola, quando aproveitou a oportunidade para alegar que a antiga gestão tem um trabalho consolidado e que trouxe benefícios para a unidade escolar. Na oportunidade, em resposta às críticas, a Secretaria de Estado Educação informou que o Supremo Tribunal Federal (STF) afirmou que cargo de diretor não é eletivo, portanto o Governo de Sergipe realizou o PSS em quatro etapas para profissionalizar a gestão nas diretorias de escolas. (Milton Alves Júnior)