Brasil classifica as duas seleções de vôlei sentado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 29/08/2019 às 22:19:00

 

O Brasil atingiu sua meta nos Jogos ParaPan-Americanos - Lima 2019, após cinco fases de treinamentos organizadas pela Confederação Brasileira de Voleibol para Deficientes (CBVD). A seleção masculina conquistou o tetracampeonato da competição e a equipe feminina ficou com a medalha de prata.
Com os resultados, as equipes carimbam o passaporte para os Jogos Paralímpicos, que serão realizados em Tóquio 2020. O time masculino venceu por 3x0 os Estados Unidos, com parciais 25/18, 25/22 e 25/12. Já o feminino, apesar de perder por 3x0 dos Estados Unidos, ficou com a vaga para os Jogos no próximo ano, já que as americanas são as atuais campeãs olímpicas.
Para o presidente da CBVD, Ângelo Alves Neto, o objetivo da entidade foi atingido e a vaga para Tóquio garantida. "Realizamos muitos investimentos que deram aos atletas as condições ideias de preparação técnica, física e tática. Foram realizadas cinco fases de treinamentos com ênfase na recuperação muscular e regeneração física, além de termos realizados investimos em tecnologia. Estamos iniciamos a colheita e esperamos subir no pódio também em Tóquio ".
A jogadora da seleção feminina, Adria Jesus foi eleita o melhor bloqueio da competição, e Gizele Costa terminou os Jogos como a melhor Líbero.

O Brasil atingiu sua meta nos Jogos ParaPan-Americanos - Lima 2019, após cinco fases de treinamentos organizadas pela Confederação Brasileira de Voleibol para Deficientes (CBVD). A seleção masculina conquistou o tetracampeonato da competição e a equipe feminina ficou com a medalha de prata.
Com os resultados, as equipes carimbam o passaporte para os Jogos Paralímpicos, que serão realizados em Tóquio 2020. O time masculino venceu por 3x0 os Estados Unidos, com parciais 25/18, 25/22 e 25/12. Já o feminino, apesar de perder por 3x0 dos Estados Unidos, ficou com a vaga para os Jogos no próximo ano, já que as americanas são as atuais campeãs olímpicas.
Para o presidente da CBVD, Ângelo Alves Neto, o objetivo da entidade foi atingido e a vaga para Tóquio garantida. "Realizamos muitos investimentos que deram aos atletas as condições ideias de preparação técnica, física e tática. Foram realizadas cinco fases de treinamentos com ênfase na recuperação muscular e regeneração física, além de termos realizados investimos em tecnologia. Estamos iniciamos a colheita e esperamos subir no pódio também em Tóquio ".
A jogadora da seleção feminina, Adria Jesus foi eleita o melhor bloqueio da competição, e Gizele Costa terminou os Jogos como a melhor Líbero.