O ÓDIO ACIMA DA MORAL

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 29/08/2019 às 00:08:00

 

* Rômulo Rodrigues
Segundo o conceito da professora Eliane Ramos; o ódio é um sentimento de profunda antipatia, desgosto, aversão, raiva, rancor profundo, horror, inimizade ou repulsa contra uma pessoa ou algo, assim como o desejo de evitar, limitar, destruir o seu objetivo. Tanto quanto o amor, o ódio nasce de representação e desejos conscientes e inconscientes.
Martin Luther King chegou um dia a dizer: "tenho visto demasiado ódio para querer odiar".
A palavra "Moral" vem do latim da palavra Mos ou Moris e significa costumes. Nós vivemos em uma sociedade e a sociedade tem normas estabelecidas do que é certo e do que é errado. Em um sentido simples, a noção de moralidade pode estar associada às noções de justiça, ação e dever; a moralidade não se relaciona àquilo que cada um quer para si e sim às formas de agir com o outro.
Dentro de um conceito filosófico da Ética, se pode entender que foi ela que possibilitou alguns aspectos do que é a moralidade. Quer saber mais? Vá no Google, está tudo lá. Não é invenção da esquerda.
No final de semana as mensagens vazadas pelo Site The Intercept, revelaram o quanto os integrantes da quadrilha de Curitiba extrapolaram no ódio e economizaram na moral.
No dia 24 de Janeiro de 2017, Dona Marisa Letícia foi vitimada por um AVC hemorrágico e levada para o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde foi internada.
A partir daí vieram os disparos de ódio acionados pelos Procuradores da Operação do Departamento de Estado dos EUA. Conforme revela o Site a primeira cretinice veio da procuradora Laura Tessler com seu comentário abjeto: "Ridículo dizer que era ridículo associar o AVC a qualquer tensão proveniente da busca e apreensão de equipamentos como o Tablet e celulares de jogos do neto", após uma das mais absurdas demonstração de perseguição política, a serviço de outro País, e ainda afirmando que qualquer porção de carne salgada seria o suficiente para provocar a morte cerebral da Ex-Primeira Dama.
A demonstração do ódio exalado pelos agentes do Tio Sam, continuou nas palavras do Procurador Januário Paludo ao colocar sob suspeição o internamento da paciente e sua morte.
Por sua vez, Deltan Dallagnol, expele toda sua podridão dizendo: "Um amigo de um amigo de uma prima disse que Marisa chegou ao atendimento sem resposta, como vegetal". Ao comentário de Deltan, Paludo responde: "Estão eliminando testemunhas".
No velório da mulher, Lula se despede dizendo: "Eles têm que provar que as mentiras que estão contando são verdades". Então, Marisa, descanse em Paz, porque esse lulinha paz e amor vai continuar brigando muito.
A Procuradora Tessler compartilha as palavras de Lula e Deltan rebate dizendo: "Uma bobagem". "Bobagem total....Ninguém dá ouvido a esse cara".
No dia seguinte o Procurador Antônio Carlos Welter escreve que a morte de Dona Marisa fez uma mártir petista e ainda liberou Lula para a gandaia sem consequência política.
Já a procuradora Thaméa Danelon, da Lava Jato de São Paulo destilou veneno contra a Procuradora Eugênia Augusta Gonzaga, que era chefe da Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos, por ter ido ao velório, dizendo que tal atitude equivaleria a ir ao enterro da "esposa de um líder de uma facção do PCC".
A solidariedade da Procuradora Eugênia foi taxada com uma tomada de posição partidária e uma afronta ao Procurador Geral da República.
Entretanto, aquelas palavras ditas por Lula na despedida da sua muito amada Dona Marisa, estão se revelando proféticas, nas divulgações das conversas dos criminosos nos Chats que vieram a público, com os diálogos dos Canalhas, Canalhas, Canalhas.
Com o Cabaré pegando fogo, vem à tona um vazamento de conversa do Procurador Santos Lima, que se aposentou da Lava Jato e hoje é Consultor de Compliance de grandes empresas, ganhando muito dinheiro vendendo informações e que deixou escapar uma verdade já bem conhecida.
A Operação Lava Jato tinha como candidato a Presidente Jair Messias Bolsonaro e agiu o tempo todo, com afinco, para tirar Lula da disputa e viabilizar a eleição do atual Presidente.
O crime maior da corja, comparado com tudo que fizeram com Lula e com a economia do País, talvez seja, o de terem inoculado em grande parte das massas, o ódio contra os pobres que ascenderam com as políticas públicas de inclusão e de melhoria na qualidade de vida.
Eles zombaram da morte, do velório e do enterro de uma mulher honrada, dona de casa, que demonstrou altivez invejável durante oito anos em que foi Primeira Dama do País, recebida com honrarias por Presidentes e Chefes de Estados das maiores Nações do mundo, para depois se regozijarem dos enterros das notícias não exploradas de 750 Kg de Ouro, dos 39 Kg de Cocaína, dos 117 Fuzis do vizinho do Presidente, da Morte de Marielle e do sumiço do Queiroz.
Do ponto de vista filosófico da Ética e consequentemente da Moral, não passam de Hienas Amorais e Imorais.
* Rômulo Rodrigues é militante político

* Rômulo Rodrigues

Segundo o conceito da professora Eliane Ramos; o ódio é um sentimento de profunda antipatia, desgosto, aversão, raiva, rancor profundo, horror, inimizade ou repulsa contra uma pessoa ou algo, assim como o desejo de evitar, limitar, destruir o seu objetivo. Tanto quanto o amor, o ódio nasce de representação e desejos conscientes e inconscientes.
Martin Luther King chegou um dia a dizer: "tenho visto demasiado ódio para querer odiar".
A palavra "Moral" vem do latim da palavra Mos ou Moris e significa costumes. Nós vivemos em uma sociedade e a sociedade tem normas estabelecidas do que é certo e do que é errado. Em um sentido simples, a noção de moralidade pode estar associada às noções de justiça, ação e dever; a moralidade não se relaciona àquilo que cada um quer para si e sim às formas de agir com o outro.
Dentro de um conceito filosófico da Ética, se pode entender que foi ela que possibilitou alguns aspectos do que é a moralidade. Quer saber mais? Vá no Google, está tudo lá. Não é invenção da esquerda.
No final de semana as mensagens vazadas pelo Site The Intercept, revelaram o quanto os integrantes da quadrilha de Curitiba extrapolaram no ódio e economizaram na moral.
No dia 24 de Janeiro de 2017, Dona Marisa Letícia foi vitimada por um AVC hemorrágico e levada para o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde foi internada.
A partir daí vieram os disparos de ódio acionados pelos Procuradores da Operação do Departamento de Estado dos EUA. Conforme revela o Site a primeira cretinice veio da procuradora Laura Tessler com seu comentário abjeto: "Ridículo dizer que era ridículo associar o AVC a qualquer tensão proveniente da busca e apreensão de equipamentos como o Tablet e celulares de jogos do neto", após uma das mais absurdas demonstração de perseguição política, a serviço de outro País, e ainda afirmando que qualquer porção de carne salgada seria o suficiente para provocar a morte cerebral da Ex-Primeira Dama.
A demonstração do ódio exalado pelos agentes do Tio Sam, continuou nas palavras do Procurador Januário Paludo ao colocar sob suspeição o internamento da paciente e sua morte.
Por sua vez, Deltan Dallagnol, expele toda sua podridão dizendo: "Um amigo de um amigo de uma prima disse que Marisa chegou ao atendimento sem resposta, como vegetal". Ao comentário de Deltan, Paludo responde: "Estão eliminando testemunhas".
No velório da mulher, Lula se despede dizendo: "Eles têm que provar que as mentiras que estão contando são verdades". Então, Marisa, descanse em Paz, porque esse lulinha paz e amor vai continuar brigando muito.
A Procuradora Tessler compartilha as palavras de Lula e Deltan rebate dizendo: "Uma bobagem". "Bobagem total....Ninguém dá ouvido a esse cara".
No dia seguinte o Procurador Antônio Carlos Welter escreve que a morte de Dona Marisa fez uma mártir petista e ainda liberou Lula para a gandaia sem consequência política.
Já a procuradora Thaméa Danelon, da Lava Jato de São Paulo destilou veneno contra a Procuradora Eugênia Augusta Gonzaga, que era chefe da Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos, por ter ido ao velório, dizendo que tal atitude equivaleria a ir ao enterro da "esposa de um líder de uma facção do PCC".
A solidariedade da Procuradora Eugênia foi taxada com uma tomada de posição partidária e uma afronta ao Procurador Geral da República.
Entretanto, aquelas palavras ditas por Lula na despedida da sua muito amada Dona Marisa, estão se revelando proféticas, nas divulgações das conversas dos criminosos nos Chats que vieram a público, com os diálogos dos Canalhas, Canalhas, Canalhas.
Com o Cabaré pegando fogo, vem à tona um vazamento de conversa do Procurador Santos Lima, que se aposentou da Lava Jato e hoje é Consultor de Compliance de grandes empresas, ganhando muito dinheiro vendendo informações e que deixou escapar uma verdade já bem conhecida.
A Operação Lava Jato tinha como candidato a Presidente Jair Messias Bolsonaro e agiu o tempo todo, com afinco, para tirar Lula da disputa e viabilizar a eleição do atual Presidente.
O crime maior da corja, comparado com tudo que fizeram com Lula e com a economia do País, talvez seja, o de terem inoculado em grande parte das massas, o ódio contra os pobres que ascenderam com as políticas públicas de inclusão e de melhoria na qualidade de vida.
Eles zombaram da morte, do velório e do enterro de uma mulher honrada, dona de casa, que demonstrou altivez invejável durante oito anos em que foi Primeira Dama do País, recebida com honrarias por Presidentes e Chefes de Estados das maiores Nações do mundo, para depois se regozijarem dos enterros das notícias não exploradas de 750 Kg de Ouro, dos 39 Kg de Cocaína, dos 117 Fuzis do vizinho do Presidente, da Morte de Marielle e do sumiço do Queiroz.
Do ponto de vista filosófico da Ética e consequentemente da Moral, não passam de Hienas Amorais e Imorais.

* Rômulo Rodrigues é militante político