Trabalhadores do Hospital Amparo de Maria farão paralisação nesta sexta-feira

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 28/08/2019 às 23:45:00

 

Depois da assembleia geral entre a direção do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) com os funcionários do Hospital Amparo de Maria, em Estância, foi deliberada uma paralisação de 24 horas, nesta sexta-feira (30), por conta do atraso salarial de três meses. A assembleia ocorreu, na manhã desta terça-feira, 27, no próprio hospital. Se não for creditado o pagamento dos funcionários até sexta-feira, haverá greve a partir da segunda-feira, 2 de setembro, por tempo indeterminado.
De acordo com informações dos trabalhadores, a gestão do hospital deu início ao pagamento no mês de maio, mas acabou fazendo o pagamento apenas parte do valor integral. Além disso, o descaso com os empregados se estendeu com a falta de pagamentos de junho, julho e ao que tudo indica também em agosto, ou seja, quase 100 dias sem receberem salário.
O hospital ainda tem pendências relativas ao 13º salário de 2018 que não foi pago. E também em relação aos trabalhadores que saíram de férias no mês de maio e ainda não obtiveram o auxílio-férias.
Ofícios - Diante destes impasses, o Sintasa encaminhou ofícios aos órgãos competentes para avisar sobre a paralisação e o indicativo de greve, além de pedir uma reunião em caráter de urgência com a Secretaria de Estado da Saúde, que tem contrato com a gestão do hospital, para analisar junto ao setor jurídico as possíveis formas de solucionar esta questão salarial.
"Esperamos que o Governo e os próprios gestores do Amparo de Maria encontrem um caminho que possa atender as reivindicações dos trabalhadores", disse o presidente do Sintasa, Augusto Couto, que comandou a assembleia geral junto com o gerente Janderson Alves.

Depois da assembleia geral entre a direção do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) com os funcionários do Hospital Amparo de Maria, em Estância, foi deliberada uma paralisação de 24 horas, nesta sexta-feira (30), por conta do atraso salarial de três meses. A assembleia ocorreu, na manhã desta terça-feira, 27, no próprio hospital. Se não for creditado o pagamento dos funcionários até sexta-feira, haverá greve a partir da segunda-feira, 2 de setembro, por tempo indeterminado.
De acordo com informações dos trabalhadores, a gestão do hospital deu início ao pagamento no mês de maio, mas acabou fazendo o pagamento apenas parte do valor integral. Além disso, o descaso com os empregados se estendeu com a falta de pagamentos de junho, julho e ao que tudo indica também em agosto, ou seja, quase 100 dias sem receberem salário.O hospital ainda tem pendências relativas ao 13º salário de 2018 que não foi pago. E também em relação aos trabalhadores que saíram de férias no mês de maio e ainda não obtiveram o auxílio-férias.

Ofícios - Diante destes impasses, o Sintasa encaminhou ofícios aos órgãos competentes para avisar sobre a paralisação e o indicativo de greve, além de pedir uma reunião em caráter de urgência com a Secretaria de Estado da Saúde, que tem contrato com a gestão do hospital, para analisar junto ao setor jurídico as possíveis formas de solucionar esta questão salarial.
"Esperamos que o Governo e os próprios gestores do Amparo de Maria encontrem um caminho que possa atender as reivindicações dos trabalhadores", disse o presidente do Sintasa, Augusto Couto, que comandou a assembleia geral junto com o gerente Janderson Alves.