Suspeito que tentou matar homem era ex-presidiário

Geral


  • Ricardo feriu outro homem, mas acabou morto

 

A Polícia Civil confirmou ontem alguns detalhes sobre a tentativa de assassinato que foi abortada anteontem à tarde, na feira livre do bairro Santos Dumont (zona norte de Aracaju). Segundo o Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), o ex-presidiário Raphael Machado Lima, 24 anos, foi flagrado enquanto tentava executar outro homem, identificado como Antônio Matheus Lima Santos. O atirador chegou a ferir a vítima com quatro tiros, mas acabou morto por agentes que faziam uma investigação na região do Morro da Reação, situado no bairro. 
O delegado André David Caldas Rodrigues, do Cope, explica que os policiais estavam em um carro descaracterizado e agiram ao ver Antônio correndo na rua, sangrando e sendo perseguido por um homem armado. Os policiais dispararam contra o atirador, evitando que ele tentasse concluir o assassinato de Antônio. "Nós percebemos várias pessoas correndo na feira. Em meio a elas, o Matheus também corria, mas já estava ferido. E atrás dele, tinha um homem perseguindo a vítima. Nossa única alternativa foi disparar contra o Raphael, que estava atirando em um cidadão desarmado", defendeu André. 
Após os tiros, soldados do Batalhão de Polícia de Radiopatrulha (BPRp) foram chamados para dar reforço aos agentes do Cope, controlando o tumulto que se seguiu e levando os dois baleados ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). Raphael morreu no pronto-socorro e Antônio ficou internado em estado grave, mas sem risco de morte. De acordo com André David, o motivo do crime ainda será apurado e acrescentado ao inquérito, depois que a vítima se recuperar dos ferimentos. "Não temos saber ainda o motivo. Quando o Matheus foi liberado, vamos ouvi-lo e entender os pormenores do que levou a essa tentativa de homicídio", afirma o delegado. 
O revólver calibre 38 usado pelo agressor foi apreendido, com cinco munições deflagradas. Ficou confirmado ainda que Raphael já respondeu a processos por roubo e tráfico de drogas. Já a identidade de Antônio ainda é averiguada pelos policiais. A princípio, o caso será apurado pelo próprio Cope, mas a depender dos levantamentos, caso haja indícios de participação de outras pessoas no crime, a apuração do crime pode ser encaminhada ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). (Gabriel Damásio)

A Polícia Civil confirmou ontem alguns detalhes sobre a tentativa de assassinato que foi abortada anteontem à tarde, na feira livre do bairro Santos Dumont (zona norte de Aracaju). Segundo o Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), o ex-presidiário Raphael Machado Lima, 24 anos, foi flagrado enquanto tentava executar outro homem, identificado como Antônio Matheus Lima Santos. O atirador chegou a ferir a vítima com quatro tiros, mas acabou morto por agentes que faziam uma investigação na região do Morro da Reação, situado no bairro. 
O delegado André David Caldas Rodrigues, do Cope, explica que os policiais estavam em um carro descaracterizado e agiram ao ver Antônio correndo na rua, sangrando e sendo perseguido por um homem armado. Os policiais dispararam contra o atirador, evitando que ele tentasse concluir o assassinato de Antônio. "Nós percebemos várias pessoas correndo na feira. Em meio a elas, o Matheus também corria, mas já estava ferido. E atrás dele, tinha um homem perseguindo a vítima. Nossa única alternativa foi disparar contra o Raphael, que estava atirando em um cidadão desarmado", defendeu André. 
Após os tiros, soldados do Batalhão de Polícia de Radiopatrulha (BPRp) foram chamados para dar reforço aos agentes do Cope, controlando o tumulto que se seguiu e levando os dois baleados ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). Raphael morreu no pronto-socorro e Antônio ficou internado em estado grave, mas sem risco de morte. De acordo com André David, o motivo do crime ainda será apurado e acrescentado ao inquérito, depois que a vítima se recuperar dos ferimentos. "Não temos saber ainda o motivo. Quando o Matheus foi liberado, vamos ouvi-lo e entender os pormenores do que levou a essa tentativa de homicídio", afirma o delegado. 
O revólver calibre 38 usado pelo agressor foi apreendido, com cinco munições deflagradas. Ficou confirmado ainda que Raphael já respondeu a processos por roubo e tráfico de drogas. Já a identidade de Antônio ainda é averiguada pelos policiais. A princípio, o caso será apurado pelo próprio Cope, mas a depender dos levantamentos, caso haja indícios de participação de outras pessoas no crime, a apuração do crime pode ser encaminhada ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). (Gabriel Damásio)

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS