O assunto da semana

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O filho do deputado estadual Garibalde Mendonça (MDB), Breno Mendonça, é o novo presidente da Comissão Provisória do DEM em Aracaju. O martelo foi batido ontem após uma conversa de Garibalde - que só espera a janela partidária para deixar o MDB -  com o p
O filho do deputado estadual Garibalde Mendonça (MDB), Breno Mendonça, é o novo presidente da Comissão Provisória do DEM em Aracaju. O martelo foi batido ontem após uma conversa de Garibalde - que só espera a janela partidária para deixar o MDB - com o p

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 22/08/2019 às 22:55:00

 

Hoje completa cinco dias da decisão do 
pleno do TRE/SE (Tribunal Regional 
Eleitoral) pela cassação do mandato do governador Belivaldo Chagas (PSD) e da vice Eliane Aquino (PT) por abuso de poder político. Os membros do tribunal ainda estenderam a Belivaldo a inelegibilidade por oito anos. 
Apesar do fato ter ocorrido na última segunda-feira o assunto mais comentado nas rodas políticas ainda é esse.  Falam de tudo. Os que são contra acham que o pleno do TRE não levou em consideração que as ordens de serviços que foram questionadas foram assinadas tão logo Belivaldo assumiu o mandato de governador, após renuncia de Jackson Barreto (MDB), quando precisava mostrar serviço até o início da campanha eleitoral. Há um entendimento, também, de que o Ministério Público Eleitoral e o TRE não levaram em conta o princípio da reeleição, que é permitido por lei.
Já os que são contra, colocam que houve mesmo abuso de poder político com as dezenas de ordens de serviços assinadas pelo próprio governador em vários municípios em tão pouco tempo. E que isso influenciou, em muito, a favor dele, que foi para a reeleição, prejudicando os demais candidatos. Já comemoram que o TSE vai cassar o seu mandato e que haverá nova eleição. 
Publicamente, Belivaldo não contou com um apoio significativo dos aliados. Da bancada federal, só o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) se manifestou solidário ao governador pelas redes sociais. Da bancada estadual, os que foram na sua defesa foram, pela ordem, o deputado Francisco Gualberto (PT) na terça-feira, o presidente da Assembleia Legislativa Luciano Bispo (MDB) na quarta-feira e ontem o deputado Adailton Martins (PSD).
Adailton declarou que respeitava a decisão do colegiado do TRE/SE, mas confiava na inocência do chefe de estado. Ressaltou que acredita que em Brasília a decisão do TSE será revertida, favorecendo ao governador, por entender que não infringiu a Lei Eleitoral. "A campanha foi realizada com lisura e Belivaldo conseguirá reverter à situação, pois foi o povo quem o escolheu", declarou o parlamentar.
Um deputado estadual da base governista avalia que o placar elástico do TRE (6x1) pela cassação do governador, uma quase unanimidade, pode ser uma demonstração de "insatisfação" do Judiciário com o governo Belivaldo Chagas. E que o fato de poucos parlamentares aliados saírem publicamente em sua defesa, também é uma demonstração de contrariedade com o seu "modo" de governar.
Em sendo assim, Belivaldo precisa colocar as barbas de molho...

Hoje completa cinco dias da decisão do  pleno do TRE/SE (Tribunal Regional  Eleitoral) pela cassação do mandato do governador Belivaldo Chagas (PSD) e da vice Eliane Aquino (PT) por abuso de poder político. Os membros do tribunal ainda estenderam a Belivaldo a inelegibilidade por oito anos. 
Apesar do fato ter ocorrido na última segunda-feira o assunto mais comentado nas rodas políticas ainda é esse.  Falam de tudo. Os que são contra acham que o pleno do TRE não levou em consideração que as ordens de serviços que foram questionadas foram assinadas tão logo Belivaldo assumiu o mandato de governador, após renuncia de Jackson Barreto (MDB), quando precisava mostrar serviço até o início da campanha eleitoral. Há um entendimento, também, de que o Ministério Público Eleitoral e o TRE não levaram em conta o princípio da reeleição, que é permitido por lei.
Já os que são contra, colocam que houve mesmo abuso de poder político com as dezenas de ordens de serviços assinadas pelo próprio governador em vários municípios em tão pouco tempo. E que isso influenciou, em muito, a favor dele, que foi para a reeleição, prejudicando os demais candidatos. Já comemoram que o TSE vai cassar o seu mandato e que haverá nova eleição. 
Publicamente, Belivaldo não contou com um apoio significativo dos aliados. Da bancada federal, só o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) se manifestou solidário ao governador pelas redes sociais. Da bancada estadual, os que foram na sua defesa foram, pela ordem, o deputado Francisco Gualberto (PT) na terça-feira, o presidente da Assembleia Legislativa Luciano Bispo (MDB) na quarta-feira e ontem o deputado Adailton Martins (PSD).
Adailton declarou que respeitava a decisão do colegiado do TRE/SE, mas confiava na inocência do chefe de estado. Ressaltou que acredita que em Brasília a decisão do TSE será revertida, favorecendo ao governador, por entender que não infringiu a Lei Eleitoral. "A campanha foi realizada com lisura e Belivaldo conseguirá reverter à situação, pois foi o povo quem o escolheu", declarou o parlamentar.
Um deputado estadual da base governista avalia que o placar elástico do TRE (6x1) pela cassação do governador, uma quase unanimidade, pode ser uma demonstração de "insatisfação" do Judiciário com o governo Belivaldo Chagas. E que o fato de poucos parlamentares aliados saírem publicamente em sua defesa, também é uma demonstração de contrariedade com o seu "modo" de governar.
Em sendo assim, Belivaldo precisa colocar as barbas de molho...

Até Eunice

A coluna recebeu informações de que até a procuradora regional eleitoral, Eunice Dantas, que pediu a cassação do mandato de Belivaldo Chagas (PSD) e Eliane Aquino (PT) por abuso de poder político e econômico, chegou a ficar surpresa com o placar da condenação do governador e da vice no TRE/SE (Tribunal Regional Eleitoral): 6 x 1.

É fogo

Nas redes sociais muito se comentou sobre a publicação, no Diário Oficial do dia 21 de agosto, de mais uma pensão para o ex-senador Antônio Carlos Valadares (PSB): agora a de deputado estadual. É que ele já recebe a pensão de ex-governador e ex-senador. Não tem previdência que suporte!

Contra privatizações

Durante reunião do Consórcio Nordeste, realizada anteontem em Teresina (PI), os governadores da região assinaram uma carta externando preocupação com as privatizações de estatais anunciadas pelo governo Bolsonaro, entre elas, a dos Correios. Avaliam que sem estudos técnicos sobre os impactos das vendas elas poderão trazer consequências negativas para a soberania nacional e um possível retrocesso à integração regional.  

Ainda bem

Para resolver temporariamente a crise econômica que afeta o país, estados e municípios alguns governadores e prefeitos cogitam a redução da jornada e dos salários de servidores. Isso caiu por terra ontem, quando a maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) votou pela inconstitucionalidade. O julgamento só não foi concluído nessa quinta-feira, após dez votos, em razão da suspensão da sessão para aguardar o último voto, o do ministro Celso de Mello, que não estava presente por motivos de saúde.  A nova data do julgamento não foi definida.

A novela PSL 1

Em conversa ontem com a coluna, João Tarantella (PSL) reafirmou que o deputado estadual Rodrigo Valadares (PTB) não comandará o seu partido em Sergipe, em hipótese alguma. "Esse rapaz não está no comando do partido porque está inapto, não existe, está desativado por falta de prestação de contas". 

A novela PSL 2

Ressalta: "Na política tudo na vida tem limites e esse rapaz está ultrapassando a barreira do limite. Vou reagir, não porque quero o PSL por querer. É porque tenho história nesse projeto e não vou abrir mão em respeito às pessoas que votaram em Bolsonaro e a tudo que pode existir na ética da política. Em Aracaju, Bolsonaro teve 140 mil votos e no estado quase 500 mil. Não tem como esse rapaz continuar representando. Eu posso garantir que nesses 15 dias vamos fazer algo em Brasília que vai mudar essa situação. Pode ter certeza disso".

A novela PSL 3

Prossegue Tarantella, que respondia pelo PSL em Aracaju: "Vou viajar na próxima semana para desmontar esse mal entendido. O presidente nacional do partido não sabe o que acontece na política em Sergipe. Pode ter certeza de uma coisa: só saiu do Brasília quando conversar com os dois presidentes: Bivar, para tentar reverter essa situação, e com Jair Bolsonaro". 

A novela PSL 4

Finaliza: "Eu estou sendo muito cobrado pelo eleitor de Bolsonaro em Aracaju e Sergipe pra que a gente reaja. É inadmissível que o cidadão que comanda um partido político queira invadir o outro, para desmontar não só o projeto de João Tarantella como o do partido porque quer usar o PSL como se fosse um puxadinho. Quer usar a estrutura partidária, que hoje é a legenda com maior tempo de televisão, e já tá de olho no dinheiro que naturalmente acha que vai pegar do PSL. Essa turma faz uma política baixa e pode ter certeza que vou reagir. Só sairei de Brasília quando resolver a questão".

Sarapatel de coruja 1

O presidente nacional do DEM, ACM Neto, saiu com nota oficial dizendo que não participou de nenhuma conversa sobre fusão partidária com o PSDB e PSD. "A prioridade absoluta dos Democratas é consolidar o seu caminho de crescimento, se mantendo como um partido que vai conduzir a agenda de construção de um novo país". 

Sarapatel de coruja 2

Na nota, ACM Neto lamenta que existam tantas especulações infundadas na imprensa sobre esse tema. E diz que gostaria de saber a quem interessa essas "especulações descabidas". Com isso, ele descarta a possibilidade de estarem em um mesmo partido em Sergipe o governador Belivaldo Chagas/ deputado federal Fábio Mitidieri, ambos do PSD; o ex-senador Eduardo Amorim (PSDB); a senadora Maria do Carmo Alves/ex-vice-prefeito José Carlos Machado, ambos do DEM.  

CPI das Queimadas

O Movimento Acredito, que no Congresso Nacional é representado pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), pela deputada Tabata Amaral (PDT-SP) e pelo deputado Felipe Rigoni  (PSB-ES), está propondo nas redes sociais a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o avanço das queimadas na Amazônia. O movimento compartilhou até um abaixo-assinado para defender a criação da CPI das Queimadas e o documento, que será levado ao Congresso na próxima semana, já recebeu mais de 1,8 milhão de assinaturas na internet.

CPI Lava Toga 1

Os 25 senadores que já assinaram pedido de instalação de CPI Lava Toga, a ser proposta, pela terceira vez, pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE): Eduardo Girão (Podemos), Marcos do Val (Podemos), Jorge Kajuru (Patriota), Oriovisto Guimarães (Podemos), Styvenson Valentim (Podemos), Plínio Valério (PSDB), Carlos Viana (PSD), Juíza Selma Arruda (PSL), Reguffe (sem partido), Leila Barros (PSB), Randolfe Rodrigues (Rede), Major Olímpio (PSL), Lasier Martins (Podemos), Alvaro Dias (Podemos), Fabiano Contarato (Rede), Espiridião Amin (PP), Jarbas V asconcelos (MDB), Luis Carlos Heinze (PP), Soraya Thronicke (PSL), Rodrigo Cunha (PSDB), Arolde de Oliveira (PSD), Flávio Arns (Rede), Izalci Lucas (PSDB) e Jorginho Mello (PL).

CPI Lava Toga 2

Só faltam duas assinaturas para Alessandro poder protocolar no Senado o terceiro requerimento propondo a instalação da CPI Lava Toga, que visa  investigar condutas ímprobas, desvios operacionais e violações éticas por parte de membros do Supremo Tribunal Federal e de tribunais superiores do país. Os outros dois pedidos de CPI foram arquivados pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM/AP). Essa CPI 3 foca na "escalada de autoritaris mo e franco desrespeito às leis e à Constituição"  por parte do presidente do STF, ministro Dias Toffoli. 

Curtas

Em Brasília, o prefeito Edvaldo Nogueira se reuniu com os três senadores de Sergipe para buscar o apoio para o financiamento de R$ 300 milhões que está viabilizando junto ao Banco Interamericano do Desenvolvimento.  Estava acompanhado do deputado federal Fábio Mitidieri.

Do deputado Fábio Henrique: "O Brasil exige que homens públicos saiam da inércia. O Brasil reprova a insanidade dos detentores do poder. A Amazônia não é de direita nem de esquerda. A floresta é do Brasil, chega de intolerância, de ganância e insanidade. Vamos salvar a Amazônia. Acorda Jair Bolsonaro". 

Do ex-vereador, o médico Antônio Samarone, sobre as queimadas na Amazônia: "A história se repete: Nero tocou fogo em Roma e culpou os cristãos. Bolsonaro pôs a culpa nos ambientalistas!".

Uma parte do telhado do prédio da PGE desabou ontem, no final da manhã. O expediente foi suspenso imediatamente.  Parte das telhas chegou a cair na sala de um procurador, assim que ele acabou de sair.  Por pouco não aconteceu uma tragédia. Não haverá expediente hoje.