Polícia investiga homem que conseguiu cinco CPFs diferentes

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/08/2019 às 22:36:00

 

A Polícia Federal deflagrou ontem, em Aracaju, a 'Operação Stellio', que investiga possíveis crimes de uso de documento falso, falsidade ideológica e estelionato. O suspeito investigado é um homem de 60 anos de idade, que segundo a polícia, conseguiu obter cinco documentos distintos de CPF (Cadastro de Pessoa Física), junto à Receita Federal. O objetivo do acusado era obter financiamentos em instituições oficiais, e vantagem econômica em detrimento de terceiros.
As equipes da PF cumpriram dois mandados de busca e apreensão expedidos pela 3ª Vara da Justiça Federal de Sergipe (JFSE). Os agentes estiveram em dois endereços vinculados ao investigado, onde apreenderam RG's, CPF, talonários de cheques, contratos sociais de pessoas jurídicas, computadores e um veículo. Também foram achadas com o investigado duas licenças para condução de veículos automotores emitidas pelo Estado da Flórida, nos Estados Unidos, além de um IRS (Internal Revenue Service), documento americano equivalente ao CPF brasileiro. A suspeita é de que esses documentos estrangeiros também teriam sido adquiridos mediante uso de documento falso. 
O homem envolvido não teve o nome revelado, mas responderá, em liberdade, pelos crimes de falsidade ideológica, uso de documento falso e estelionato. A PF brasileira segue com o inquérito e poderá pedir a colaboração do FBI (Federal Bureau of Investigation), a polícia judiciária federal americana. O nome da operação, Stellio, vem do latim e remete ao pequeno lagarto que se camufla e se adapta ao meio ambiente, objetivando atacar suas presas.

A Polícia Federal deflagrou ontem, em Aracaju, a 'Operação Stellio', que investiga possíveis crimes de uso de documento falso, falsidade ideológica e estelionato. O suspeito investigado é um homem de 60 anos de idade, que segundo a polícia, conseguiu obter cinco documentos distintos de CPF (Cadastro de Pessoa Física), junto à Receita Federal. O objetivo do acusado era obter financiamentos em instituições oficiais, e vantagem econômica em detrimento de terceiros.
As equipes da PF cumpriram dois mandados de busca e apreensão expedidos pela 3ª Vara da Justiça Federal de Sergipe (JFSE). Os agentes estiveram em dois endereços vinculados ao investigado, onde apreenderam RG's, CPF, talonários de cheques, contratos sociais de pessoas jurídicas, computadores e um veículo. Também foram achadas com o investigado duas licenças para condução de veículos automotores emitidas pelo Estado da Flórida, nos Estados Unidos, além de um IRS (Internal Revenue Service), documento americano equivalente ao CPF brasileiro. A suspeita é de que esses documentos estrangeiros também teriam sido adquiridos mediante uso de documento falso. 
O homem envolvido não teve o nome revelado, mas responderá, em liberdade, pelos crimes de falsidade ideológica, uso de documento falso e estelionato. A PF brasileira segue com o inquérito e poderá pedir a colaboração do FBI (Federal Bureau of Investigation), a polícia judiciária federal americana. O nome da operação, Stellio, vem do latim e remete ao pequeno lagarto que se camufla e se adapta ao meio ambiente, objetivando atacar suas presas.