Deputado pede inclusão de programador de computadores na grade curricular

Política

 

O deputado federal Fábio Reis (MDB/SE), vice-líder do partido na Câmara Federal, apresentou ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, indicação para inserir a disciplina de Programação de Computadores na grade curricular das redes de ensino fundamental e médio, nas escolas públicas e privadas do Brasil. 
Fábio Reis pontuou que o mundo vive atualmente o que os especialistas em tecnologia chamam de a 4ª Revolução, ou seja, a Revolução Digital. "O Brasil é ainda uma nação de matriz agrícola, o que não é necessariamente ruim, mas precisamos adentrar de uma vez por todas no mundo tecnológico, e para isso precisamos começar com as nossas crianças já no ensino fundamental", disse o deputado. 
De acordo com Reis, o país não pode cometer os mesmos erros do passado, quando a política educacional levou a nação a ser apenas um exportador de matéria prima ao mesmo tempo que recebia de volta, como importador, tecnologia de ponta a preços absurdos.
"Para construir esse futuro tecnológico precisamos preparar crianças e jovens para serem atores nesse cenário promissor. Se a linguagem de programação é importante, então nossas crianças têm que ter acesso amplo, irrestrito e imediato", concluiu o parlamentar.

O deputado federal Fábio Reis (MDB/SE), vice-líder do partido na Câmara Federal, apresentou ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, indicação para inserir a disciplina de Programação de Computadores na grade curricular das redes de ensino fundamental e médio, nas escolas públicas e privadas do Brasil. 
Fábio Reis pontuou que o mundo vive atualmente o que os especialistas em tecnologia chamam de a 4ª Revolução, ou seja, a Revolução Digital. "O Brasil é ainda uma nação de matriz agrícola, o que não é necessariamente ruim, mas precisamos adentrar de uma vez por todas no mundo tecnológico, e para isso precisamos começar com as nossas crianças já no ensino fundamental", disse o deputado. 
De acordo com Reis, o país não pode cometer os mesmos erros do passado, quando a política educacional levou a nação a ser apenas um exportador de matéria prima ao mesmo tempo que recebia de volta, como importador, tecnologia de ponta a preços absurdos.
"Para construir esse futuro tecnológico precisamos preparar crianças e jovens para serem atores nesse cenário promissor. Se a linguagem de programação é importante, então nossas crianças têm que ter acesso amplo, irrestrito e imediato", concluiu o parlamentar.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS