Operação do MP fiscaliza o comércio de carne em Aquidabã

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Promotores durante a fiscalização da venda de carnes na feira de Aquidavã
Promotores durante a fiscalização da venda de carnes na feira de Aquidavã

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 25/07/2019 às 00:13:00

 

O Ministério Público de 
Sergipe, por intermé
dio da Coordenadoria Geral, dos Centros de Apoio Operacional dos Direitos Humanos e do Meio Ambiente e da Promotoria de Justiça local, realizou ações de fiscalização na feira livre e nos açougues do município de Aquidabã, localizado a 93 km de Aracaju. A iniciativa é desdobramento da operação que interditou os matadouros públicos - pelas inadequadas condições de funcionamento - e tem o objetivo de apurar a procedência da carne comercializada no Estado.
Também participaram as Vigilâncias Sanitárias Estadual e Municipal, a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (EMDAGRO), a Administração Estadual do Meio Ambiente (ADEMA), o Comando de Operações Especiais (COE) da Polícia Militar, a Polícia Rodoviária Federal e a Secretaria de Estado da Fazenda. As equipes se deslocaram no início da madrugada e vistoriaram todos os pontos de venda.
"Ainda estamos trabalhando o caráter pedagógico das operações, divulgando-as com antecedência. Mas pretendemos, em breve, atuar com o fator surpresa para constatar se, realmente, a situação está regularizada", disse a promotora de Justiça Cláudia Calmon, Assessora da Coordenadoria Geral do MP, que fez uma avaliação positiva do que encontrou em Aquidabã. 
Para o diretor do Centro de Apoio Operacional de Defesa dos Direitos Humanos, promotor de Justiça Francisco Ferreira de Lima Júnior, as impressões foram melhores do que as observadas durante a primeira operação [em Nossa Senhora de Lourdes e Itabi - clique e confira] . "O pessoal foi comunicado a respeito da fiscalização, a Vigilância Sanitária Estadual esteve aqui na semana passada, deu orientações aos comerciantes e não encontramos nenhuma irregularidade hoje", completou. 
"Estamos felizes pelo que encontramos. Já percebemos a evolução dos feirantes em relação às normas sanitárias e, com certeza, foi um grande passo para a melhoria da qualidade", comentou o promotor de Justiça Iúri Marcel Menezes Borges, diretor do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente.
Já o promotor de Justiça de Aquidabã, Waltemberg Lima de Sá, disse que a cidade "ajuda a dar mais um passo no planejamento do Ministério Público, com os demais órgãos, na busca pela qualidade da alimentação do povo sergipano". Ele também ressaltou que as fiscalizações serão permanentes e que eventuais condutas inadequadas serão punidas.

O Ministério Público de  Sergipe, por intermé dio da Coordenadoria Geral, dos Centros de Apoio Operacional dos Direitos Humanos e do Meio Ambiente e da Promotoria de Justiça local, realizou ações de fiscalização na feira livre e nos açougues do município de Aquidabã, localizado a 93 km de Aracaju. A iniciativa é desdobramento da operação que interditou os matadouros públicos - pelas inadequadas condições de funcionamento - e tem o objetivo de apurar a procedência da carne comercializada no Estado.
Também participaram as Vigilâncias Sanitárias Estadual e Municipal, a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (EMDAGRO), a Administração Estadual do Meio Ambiente (ADEMA), o Comando de Operações Especiais (COE) da Polícia Militar, a Polícia Rodoviária Federal e a Secretaria de Estado da Fazenda. As equipes se deslocaram no início da madrugada e vistoriaram todos os pontos de venda.
"Ainda estamos trabalhando o caráter pedagógico das operações, divulgando-as com antecedência. Mas pretendemos, em breve, atuar com o fator surpresa para constatar se, realmente, a situação está regularizada", disse a promotora de Justiça Cláudia Calmon, Assessora da Coordenadoria Geral do MP, que fez uma avaliação positiva do que encontrou em Aquidabã. 
Para o diretor do Centro de Apoio Operacional de Defesa dos Direitos Humanos, promotor de Justiça Francisco Ferreira de Lima Júnior, as impressões foram melhores do que as observadas durante a primeira operação [em Nossa Senhora de Lourdes e Itabi - clique e confira] . "O pessoal foi comunicado a respeito da fiscalização, a Vigilância Sanitária Estadual esteve aqui na semana passada, deu orientações aos comerciantes e não encontramos nenhuma irregularidade hoje", completou. 
"Estamos felizes pelo que encontramos. Já percebemos a evolução dos feirantes em relação às normas sanitárias e, com certeza, foi um grande passo para a melhoria da qualidade", comentou o promotor de Justiça Iúri Marcel Menezes Borges, diretor do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente.
Já o promotor de Justiça de Aquidabã, Waltemberg Lima de Sá, disse que a cidade "ajuda a dar mais um passo no planejamento do Ministério Público, com os demais órgãos, na busca pela qualidade da alimentação do povo sergipano". Ele também ressaltou que as fiscalizações serão permanentes e que eventuais condutas inadequadas serão punidas.