João Alves melhora e médicos diminuem medicação

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Boletim médico divulgado ontem à tarde pela equipe do hospital Santa Luzia
Boletim médico divulgado ontem à tarde pela equipe do hospital Santa Luzia

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 18/07/2019 às 00:16:00

 

Gabriel Damásio
O estado de saúde 
do ex-governador 
João Alves Filho, 78 anos, melhorou ao longo do dia de ontem, mas ele permanece internado na UTI do Hospital Santa Luzia, em Brasília (DF). A unidade de saúde divulgou ontem à tarde o primeiro boletim médico sobre o paciente, confirmando que ele deu entrada, na última segunda-feira, "com quadro grave de sepse pulmonar". Conforme o boletim, João "foi colocado em ventilação mecânica invasiva sob uso de sedativos e em uso de medicações para estabilizar a pressão arterial".
Na terça-feira, familiares do ex-governador informaram que o funcionamento dos rins chegou a ser prejudicado, mas voltou ao normal após a estabilização de suas funções, oque levou os médicos a diminuírem a medicação, apesarem de manterem a respiração por aparelhos. Até o fechamento desta edição, o ex-governador continuava "em ventilação mecânica invasiva, com redução da quantidade de medicações para pressão arterial e com suspensão dos sedativos". O quadro de saúde de João é considerado grave, mas estável. 
O líder político foi internado na segunda-feira, depois de uma prolongada sequencia de tosses, que começou depois de ele ter se engasgado com um alimento. Ele ainda se recuperava de uma queda no banheiro, ocorrida em maio, que lhe causou um profundo corte na cabeça e perda de sangue. João Alves faz há três anos, em Brasília, um tratamento para minimizar as consequências do mal de Alzheimer - doença que paralisa gradualmente as funções cerebrais, corporais e neurológicas. 

Gabriel Damásio

O estado de saúde  do ex-governador  João Alves Filho, 78 anos, melhorou ao longo do dia de ontem, mas ele permanece internado na UTI do Hospital Santa Luzia, em Brasília (DF). A unidade de saúde divulgou ontem à tarde o primeiro boletim médico sobre o paciente, confirmando que ele deu entrada, na última segunda-feira, "com quadro grave de sepse pulmonar". Conforme o boletim, João "foi colocado em ventilação mecânica invasiva sob uso de sedativos e em uso de medicações para estabilizar a pressão arterial".
Na terça-feira, familiares do ex-governador informaram que o funcionamento dos rins chegou a ser prejudicado, mas voltou ao normal após a estabilização de suas funções, oque levou os médicos a diminuírem a medicação, apesarem de manterem a respiração por aparelhos. Até o fechamento desta edição, o ex-governador continuava "em ventilação mecânica invasiva, com redução da quantidade de medicações para pressão arterial e com suspensão dos sedativos". O quadro de saúde de João é considerado grave, mas estável. 
O líder político foi internado na segunda-feira, depois de uma prolongada sequencia de tosses, que começou depois de ele ter se engasgado com um alimento. Ele ainda se recuperava de uma queda no banheiro, ocorrida em maio, que lhe causou um profundo corte na cabeça e perda de sangue. João Alves faz há três anos, em Brasília, um tratamento para minimizar as consequências do mal de Alzheimer - doença que paralisa gradualmente as funções cerebrais, corporais e neurológicas.