Motoristas querem área para transporte escolar

Cidades

 

De volta do período de férias, membros da Associação dos Trabalhadores do Transporte Escolar de Aracaju se mobilizam para pressionar a Prefeitura de Aracaju para que se instalem placas de sinalização específica para o transporte, nas portas das instituições educacionais. Essa medida, de acordo com os associados, serve para minimizar a ação apontada por eles como clandestina por parte de condutores de veículos sem a devida autorização especial concedida exclusivamente pela Superintendência Municipal de Tranporte e Trânsito (SMTT). A categoria denuncia que motoristas de plicativos e taxistas estão livremente realizando o serviço de forma irregular.
Para o presidente da associação, Tio Neném, é preciso que a direção executiva municipal fortaleça as fiscalizações e abordagens a fim de fazer valer a Lei Ordinária 2328, datada inicialmente em 1995, a qual disciplina o transporte escolar no município de Aracaju. Os trabalhadores citam ainda a Lei Ordinária 3377, de 2006, que exige autorização específica para realização do transporte de estudantes. De acordo com os trabalhadores, entre as medidas iniciais para solucionar o problema está a intalação de placas indicando o local para parada destes veículos, bem como pinturas florecentes no chão.
 "Isso, claro, com a presença sempre constante de agentes da Superintendência Municipal de Tranporte e Trânsito. Infelizmente clandestinos, aplicativos e taxistas estão realizando de forma irregular o transporte escolar. Por diversas vezes já protocolamos relatórios indicando que ainda hoje as escolas infelizmente não possuem pontos de parada e isso também tem contribuido diretamente para que o serviço clandestino permaneça sendo realizado como se fosse normal", declarou o presidente. De acordo com a lei municipal, caso o motorista sem o devido alvará seja flagrado pelos agentes municipais, este pode receber uma multa de R$ 1.480. (Milton Alves Júnior)

De volta do período de férias, membros da Associação dos Trabalhadores do Transporte Escolar de Aracaju se mobilizam para pressionar a Prefeitura de Aracaju para que se instalem placas de sinalização específica para o transporte, nas portas das instituições educacionais. Essa medida, de acordo com os associados, serve para minimizar a ação apontada por eles como clandestina por parte de condutores de veículos sem a devida autorização especial concedida exclusivamente pela Superintendência Municipal de Tranporte e Trânsito (SMTT). A categoria denuncia que motoristas de plicativos e taxistas estão livremente realizando o serviço de forma irregular.
Para o presidente da associação, Tio Neném, é preciso que a direção executiva municipal fortaleça as fiscalizações e abordagens a fim de fazer valer a Lei Ordinária 2328, datada inicialmente em 1995, a qual disciplina o transporte escolar no município de Aracaju. Os trabalhadores citam ainda a Lei Ordinária 3377, de 2006, que exige autorização específica para realização do transporte de estudantes. De acordo com os trabalhadores, entre as medidas iniciais para solucionar o problema está a intalação de placas indicando o local para parada destes veículos, bem como pinturas florecentes no chão.
 "Isso, claro, com a presença sempre constante de agentes da Superintendência Municipal de Tranporte e Trânsito. Infelizmente clandestinos, aplicativos e taxistas estão realizando de forma irregular o transporte escolar. Por diversas vezes já protocolamos relatórios indicando que ainda hoje as escolas infelizmente não possuem pontos de parada e isso também tem contribuido diretamente para que o serviço clandestino permaneça sendo realizado como se fosse normal", declarou o presidente. De acordo com a lei municipal, caso o motorista sem o devido alvará seja flagrado pelos agentes municipais, este pode receber uma multa de R$ 1.480. (Milton Alves Júnior)

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS