Sergipanos presos em Goiás chegam escoltados a Aracaju

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Os acusados foram escoltados até Aracaju
Os acusados foram escoltados até Aracaju

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 18/07/2019 às 00:06:00

 

O Departamento de Narcóticos (Denarc) escoltou, na madrugada de ontem, os irmãos sergipanos Aduilson Góis Oliveira, o "Galego"; e Ademir Góis Oliveira, o "Demir" ou "Galeguinho", acusados de liderar uma organização criminosa em Goiás. Eles foram trazidos de Goiânia (GO), após terem sido presos na cidade de Senador Canedo. A prisão é resultado da operação conjunta entre as polícias civis de Sergipe e Goiás, que cumpriram os mandados de prisão emitidos pelo judiciário sergipano.  
Os suspeitos, que estavam foragidos, se estabeleceram no estado de Goiás com o objetivo de traficar armas e drogas para o Nordeste. "Em Goiás, eles mantinham a base operacional para comprar os produtos ilícitos no Mato Grosso do Sul e enviar para outros estados do Nordeste, bem como Sergipe. Eles forneciam esses armamentos para esses grupos criminosos que estavam, roubando cargas e bancos, por exemplo.", explica o delegado Osvaldo Resende responsável pela operação. 
Resende reiterou que 'Galego' e 'Galeguinho' já têm diversas passagens pela polícia, sendo remanescentes na 'Operação Valquíria' realizada em 2013 pela SSP contra uma quadrilha que agia na região de Itabaiana (Agreste). "Eles são indivíduos com diversas passagens, diversos mandados de prisão, com histórico de violência. Lembrando que na Operação Valquíria foram apreendidas armas de grosso calibre como fuzis, e uma metralhadora .50", completa o delegado.
Além dos dois sergipanos, também foi preso, em flagrante, o goiano Lucialdo Fernandes da Silva, que participava da organização criminosa fazendo a guarda e a logística das remessas de cocaína e maconha em uma de suas residências em Goiás. Lucialdo foi preso pelo Denarc de Goiás e responderá pela Justiça deste estado. 
Já os dois irmãos respondem por diversos crimes em Sergipe, como homicídio e tráfico de drogas, sendo que Adulíson responde por três mandados de prisões e Aldemir por dois.  Os irmãos já foram encaminhados para o Complexo Penitenciário Antônio Jacinto Filho (Compajaf) e aguardam a tomada de medidas cabíveis. O delegado Osvaldo Resende ainda reforça que as investigações prosseguem para a descoberta de novos suspeitos relacionados com as ações desta organização criminosa. 

O Departamento de Narcóticos (Denarc) escoltou, na madrugada de ontem, os irmãos sergipanos Aduilson Góis Oliveira, o "Galego"; e Ademir Góis Oliveira, o "Demir" ou "Galeguinho", acusados de liderar uma organização criminosa em Goiás. Eles foram trazidos de Goiânia (GO), após terem sido presos na cidade de Senador Canedo. A prisão é resultado da operação conjunta entre as polícias civis de Sergipe e Goiás, que cumpriram os mandados de prisão emitidos pelo judiciário sergipano.  
Os suspeitos, que estavam foragidos, se estabeleceram no estado de Goiás com o objetivo de traficar armas e drogas para o Nordeste. "Em Goiás, eles mantinham a base operacional para comprar os produtos ilícitos no Mato Grosso do Sul e enviar para outros estados do Nordeste, bem como Sergipe. Eles forneciam esses armamentos para esses grupos criminosos que estavam, roubando cargas e bancos, por exemplo.", explica o delegado Osvaldo Resende responsável pela operação. 
Resende reiterou que 'Galego' e 'Galeguinho' já têm diversas passagens pela polícia, sendo remanescentes na 'Operação Valquíria' realizada em 2013 pela SSP contra uma quadrilha que agia na região de Itabaiana (Agreste). "Eles são indivíduos com diversas passagens, diversos mandados de prisão, com histórico de violência. Lembrando que na Operação Valquíria foram apreendidas armas de grosso calibre como fuzis, e uma metralhadora .50", completa o delegado.
Além dos dois sergipanos, também foi preso, em flagrante, o goiano Lucialdo Fernandes da Silva, que participava da organização criminosa fazendo a guarda e a logística das remessas de cocaína e maconha em uma de suas residências em Goiás. Lucialdo foi preso pelo Denarc de Goiás e responderá pela Justiça deste estado. 
Já os dois irmãos respondem por diversos crimes em Sergipe, como homicídio e tráfico de drogas, sendo que Adulíson responde por três mandados de prisões e Aldemir por dois.  Os irmãos já foram encaminhados para o Complexo Penitenciário Antônio Jacinto Filho (Compajaf) e aguardam a tomada de medidas cabíveis. O delegado Osvaldo Resende ainda reforça que as investigações prosseguem para a descoberta de novos suspeitos relacionados com as ações desta organização criminosa.