Ponte de Riachuelo já está sendo recuperada

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
ONTEM, O GOVERNADOR BELIVALDO CHAGAS E SECRETÁRIOS ESTIVERAM EM RIACHUELO, UM DOS MUNICÍPIOS MAIS ATINGIDOS DO ESTADO
ONTEM, O GOVERNADOR BELIVALDO CHAGAS E SECRETÁRIOS ESTIVERAM EM RIACHUELO, UM DOS MUNICÍPIOS MAIS ATINGIDOS DO ESTADO

As obras de recuperação da ponte de Riachuelo já começaram
As obras de recuperação da ponte de Riachuelo já começaram

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 15/07/2019 às 23:08:00

 

Milton Alves Júnior
Equipes do Departamento de Estradas e Rodagens (DER) devem concluir até a noite de hoje o reparo na ponte que interliga os municípios sergipanos de Riachuelo e Divina Pastora, região Leste do estado. Em decorrência da forte chuva registrada durante toda a semana passada, no último sábado, 13, por volta das 9h, parte da cabeceira colapsou e necessitou ser interditada para o fluxo de veículos. A força das águas do Rio Sergipe também ajudou a destruir a estrutura inicial da ponte. No domingo, após vistoria técnica, operários do DER deram início ao serviço de recuperação. Sem chuvas contínuas, o trabalho tem sido realizado conforme previsto no cronograma operacional.
Apesar de ter desmoronado durante o final de semana, desde a quinta-feira, 11, o local já estava parcialmente interditado, onde apenas pedestres e motociclistas empurrando as respectivas motos estavam autorizados a transitar paulatinamente em pequenos grupos. De acordo com a direção do Departamento de Estradas e Rodagens, até que o serviço seja concluído e haja a garantia de segurança no local, quem quiser se deslocar até as cidades de Malhador e Santa Rosa de Lima, o único meio recomendado é a BR 235 até Itabaiana. A fim de evitar acidentes em outras partes da ponte, análises paralelas estão sendo realizadas. Esse prazo pode ser ampliado caso os peritos identifiquem outros pontos de vulnerabilidade.
Sem previsão - Na manhã de ontem, desta vez no Povoado Canudos em Porto da Folha, região do sertão de Sergipe, a Defesa Civil municipal decidiu interditar a ponte depois que ela desabou parcialmente no último domingo. Os motoristas e motociclistas estão sendo orientados a utilizar rotas alternativas até que o serviço de reparo seja realizado e posteriormente liberado para fluxo. De acordo com José Vieira Lima, coordenador da Defesa Civil de Porto da Folha, desde o início da semana passada rachaduras indicando instabilidade estrutural estavam sendo analisadas. Mesmo após a passagem das chuvas torrenciais, a ponte continuou cedendo ao ponto de desabar parcialmente.
 "O nível da água baixou, mas percebemos que, com o desabamento de dois pilares, outras rachaduras as quais geram preocupação, foram aparecendo. Também por este motivo, foi preciso interditar. A orientação para todos que necessitam entrar ou sair da cidade, é que busquem utilizar rotas alternativas. Diante do atual cenário fica terminantemente inviável manter o trânsito sob a ponte", declarou José Vieira que concluiu enaltecendo: "o perigo aqui é eminente até para as pessoas que se arriscam em passar pela ponte ou perto dela. Por medidas de segurança em geral, essa via deve ser evitada até que seja reformada e novamente revistada pela Defesa Civil."
Enquanto profissionais da Defesa Civil seguiam bloqueando e monitorando a ponte, também em Porto da Folha equipes do Corpo de Bombeiros Militar resgataram o corpo de Antônio Jorge Cerqueira de Souza, um jovem de 18 anos que estava desaparecido desde a semana passada. Segundo informações apresentadas pelo tenente Messias, com a redução do nível da água, por volta das 14h de ontem o corpo do jovem foi avistado enganchado em galhos de árvores pelo próprio pai, Antônio José de Souza, o qual acionou a equipe de mergulhadores. Relatos de populares indicam que Jorge Cerqueira tentava ultrapassar um riacho na Região dos Espetinhos quando foi arrastado pelas águas. A família não informou sobre o sepultamento.

Milton Alves Júnior

Equipes do Departamento de Estradas e Rodagens (DER) devem concluir até a noite de hoje o reparo na ponte que interliga os municípios sergipanos de Riachuelo e Divina Pastora, região Leste do estado. Em decorrência da forte chuva registrada durante toda a semana passada, no último sábado, 13, por volta das 9h, parte da cabeceira colapsou e necessitou ser interditada para o fluxo de veículos. A força das águas do Rio Sergipe também ajudou a destruir a estrutura inicial da ponte. No domingo, após vistoria técnica, operários do DER deram início ao serviço de recuperação. Sem chuvas contínuas, o trabalho tem sido realizado conforme previsto no cronograma operacional.
Apesar de ter desmoronado durante o final de semana, desde a quinta-feira, 11, o local já estava parcialmente interditado, onde apenas pedestres e motociclistas empurrando as respectivas motos estavam autorizados a transitar paulatinamente em pequenos grupos. De acordo com a direção do Departamento de Estradas e Rodagens, até que o serviço seja concluído e haja a garantia de segurança no local, quem quiser se deslocar até as cidades de Malhador e Santa Rosa de Lima, o único meio recomendado é a BR 235 até Itabaiana. A fim de evitar acidentes em outras partes da ponte, análises paralelas estão sendo realizadas. Esse prazo pode ser ampliado caso os peritos identifiquem outros pontos de vulnerabilidade.

Sem previsão - Na manhã de ontem, desta vez no Povoado Canudos em Porto da Folha, região do sertão de Sergipe, a Defesa Civil municipal decidiu interditar a ponte depois que ela desabou parcialmente no último domingo. Os motoristas e motociclistas estão sendo orientados a utilizar rotas alternativas até que o serviço de reparo seja realizado e posteriormente liberado para fluxo. De acordo com José Vieira Lima, coordenador da Defesa Civil de Porto da Folha, desde o início da semana passada rachaduras indicando instabilidade estrutural estavam sendo analisadas. Mesmo após a passagem das chuvas torrenciais, a ponte continuou cedendo ao ponto de desabar parcialmente.
 "O nível da água baixou, mas percebemos que, com o desabamento de dois pilares, outras rachaduras as quais geram preocupação, foram aparecendo. Também por este motivo, foi preciso interditar. A orientação para todos que necessitam entrar ou sair da cidade, é que busquem utilizar rotas alternativas. Diante do atual cenário fica terminantemente inviável manter o trânsito sob a ponte", declarou José Vieira que concluiu enaltecendo: "o perigo aqui é eminente até para as pessoas que se arriscam em passar pela ponte ou perto dela. Por medidas de segurança em geral, essa via deve ser evitada até que seja reformada e novamente revistada pela Defesa Civil."
Enquanto profissionais da Defesa Civil seguiam bloqueando e monitorando a ponte, também em Porto da Folha equipes do Corpo de Bombeiros Militar resgataram o corpo de Antônio Jorge Cerqueira de Souza, um jovem de 18 anos que estava desaparecido desde a semana passada. Segundo informações apresentadas pelo tenente Messias, com a redução do nível da água, por volta das 14h de ontem o corpo do jovem foi avistado enganchado em galhos de árvores pelo próprio pai, Antônio José de Souza, o qual acionou a equipe de mergulhadores. Relatos de populares indicam que Jorge Cerqueira tentava ultrapassar um riacho na Região dos Espetinhos quando foi arrastado pelas águas. A família não informou sobre o sepultamento.