Mutirão tenta reduzir focos do mosquito da dengue no Santa Maria

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Agentes de endemias visitam casas no bairro Santa Maria
Agentes de endemias visitam casas no bairro Santa Maria

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 13/07/2019 às 14:46:00

 

Milton Alves Júnior
No primeiro dia de sol 
na região Sul de Ara-
caju, após cinco dias seguidos de chuvas torrenciais e fortes rajadas de vento, o trabalho de combate a dengue foi intensificado por meio de mutirão popular no bairro Santa Maria. Sob a coordenação da Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), a ação teve como princípio básico identificar possíveis pontos apropriados para a proliferação do mosquito Aedes aegypti, eliminar esses focos, bem como conscientizar os moradores a realizar vistorias periódicas dentro de casa e nos locais de trabalho a fim de diminuir o impacto já causado esse ano contra a saúde das pessoas.
Apesar de o bairro não ter sido o primeiro a receber essa intensificação operacional dos agentes de combate às endemias, o Santa Maria, de acordo com o último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), aparece como um dos 43 bairros da capital sergipana, onde se deve ampliar o monitoramento. Nessa região foi possível identificar os dois tipos do vírus, sendo o tipo '1', considerado o mais comum; e o '2', o mais temido, apontado pelos médicos especialistas como o responsável por gerar as mortes. Ciente do cenário negativo, a secretária Waneska Barboza destacou a importância dos mutirões, mas também chamou a atenção dos moradores.
 "O trabalho base começa conosco, repassando informações e adotando as medidas necessárias quando nos deparamos com focos, mas não adianta a gente realizar um movimento que nem esse nos bairros, reunir a população, e, assim que os agentes deixam o local, os próprios moradores não seguem protegendo suas casas e famílias. Para que nós consigamos vencer essa luta contra o mosquito transmissor da dengue, por exemplo, inevitavelmente esse trabalho deve ser contínuo, diário e por todos", disse. No geral, até o momento 139 aracajuanos buscaram atendimento médico se queixando da doença, sendo 89 casos confirmados e outros 39 ainda em fase de investigação.
No ranking de notificações surgem os bairros: Santa Maria (104); Santos Dumont (48); São Conrado (44); Farolândia (39); Olaria (38); 17 de Março (36) e Cidade Nova (24). Cinco óbitos com suspeita de Dengue foram registrados este ano. Desse total, dois casos foram negados, outros dois confirmados, e, um, segue em análise. Ainda de acordo com os dados do LIRAa, referentes aos meses de abril, maio e junho deste ano, o bairro 17 de Março também possui registro dos dois vírus. O receio por parte dos gestores municipais está, agora, na mudança de clima favorável à proliferação dos mosquitos.
 "Choveu muito, água limpa e empoçada. Agora vem o sol e isso forma as condições necessárias para que o mosquito se multiplique e possa interferir na vida de muitas outras pessoas. Por esse motivo nunca é demais destacar a necessidade de todos nós, onde quer que a gente vá, sejamos fiscalizadores. Devemos seguir somando esforços para que logo em breve a gente consiga diminuir esses casos e livrar a população da dengue", afirmou Waneska Barboza, que concluiu dizendo: "todos os bairros estão em alerta; uns mais e outros menos, mas estamos todos em alerta. O Santa Maria recebe esse mutirão e até o próximo mês outras regiões também receberão."
Agenda - Na próxima sexta-feira, dia 20, o mutirão será realizado no bairro Olaria; dia 27 no bairro José Conrado de Araújo; já no dia 03 de agosto será a vez de o bairro Santo Antônio receber a equipe da SMS; dia 10, bairro Industrial; dia 17 o bairro Dom Luciano, e no dia 24 de agosto o bairro Pereira Lobo. 
No comparativo entre o primeiro LIRAa desse ano, com o último balanço apresentado na tarde dessa sexta-feira (12), foi registrado uma elevação real de 44% no índice de infestação. Dados negativos, mas que ainda não representam epidemia da doença. Fator que, para o morador Antônio Lúcio dos Santos, serve de parâmetro para continuar intensificando as ações.
Intensificação - Presente no mutirão deste final de semana no Santa Maria, o prefeito Edvaldo Nogueira informou que desde o final do mês passado, com base no fluxo de atendimentos nas unidades básicas de saúde, decidiu intensificar as ações. "Há 15 decidimos ampliar nossas ações e agora todas as semanas teremos mutirões como esse nos bairros fazendo visitas domiciliar, conversando com as pessoas e limpando e desobstruindo os focos de dengue existentes. Estamos nessa operação com a população, com funcionários da Torre, agentes de combate às endemias e da Emsurb realizando o serviço de 'cata treco'. Juntos venceremos a dengue", disse.

Milton Alves Júnior

No primeiro dia de sol  na região Sul de Ara- caju, após cinco dias seguidos de chuvas torrenciais e fortes rajadas de vento, o trabalho de combate a dengue foi intensificado por meio de mutirão popular no bairro Santa Maria. Sob a coordenação da Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), a ação teve como princípio básico identificar possíveis pontos apropriados para a proliferação do mosquito Aedes aegypti, eliminar esses focos, bem como conscientizar os moradores a realizar vistorias periódicas dentro de casa e nos locais de trabalho a fim de diminuir o impacto já causado esse ano contra a saúde das pessoas.
Apesar de o bairro não ter sido o primeiro a receber essa intensificação operacional dos agentes de combate às endemias, o Santa Maria, de acordo com o último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), aparece como um dos 43 bairros da capital sergipana, onde se deve ampliar o monitoramento. Nessa região foi possível identificar os dois tipos do vírus, sendo o tipo '1', considerado o mais comum; e o '2', o mais temido, apontado pelos médicos especialistas como o responsável por gerar as mortes. Ciente do cenário negativo, a secretária Waneska Barboza destacou a importância dos mutirões, mas também chamou a atenção dos moradores.
 "O trabalho base começa conosco, repassando informações e adotando as medidas necessárias quando nos deparamos com focos, mas não adianta a gente realizar um movimento que nem esse nos bairros, reunir a população, e, assim que os agentes deixam o local, os próprios moradores não seguem protegendo suas casas e famílias. Para que nós consigamos vencer essa luta contra o mosquito transmissor da dengue, por exemplo, inevitavelmente esse trabalho deve ser contínuo, diário e por todos", disse. No geral, até o momento 139 aracajuanos buscaram atendimento médico se queixando da doença, sendo 89 casos confirmados e outros 39 ainda em fase de investigação.
No ranking de notificações surgem os bairros: Santa Maria (104); Santos Dumont (48); São Conrado (44); Farolândia (39); Olaria (38); 17 de Março (36) e Cidade Nova (24). Cinco óbitos com suspeita de Dengue foram registrados este ano. Desse total, dois casos foram negados, outros dois confirmados, e, um, segue em análise. Ainda de acordo com os dados do LIRAa, referentes aos meses de abril, maio e junho deste ano, o bairro 17 de Março também possui registro dos dois vírus. O receio por parte dos gestores municipais está, agora, na mudança de clima favorável à proliferação dos mosquitos.
 "Choveu muito, água limpa e empoçada. Agora vem o sol e isso forma as condições necessárias para que o mosquito se multiplique e possa interferir na vida de muitas outras pessoas. Por esse motivo nunca é demais destacar a necessidade de todos nós, onde quer que a gente vá, sejamos fiscalizadores. Devemos seguir somando esforços para que logo em breve a gente consiga diminuir esses casos e livrar a população da dengue", afirmou Waneska Barboza, que concluiu dizendo: "todos os bairros estão em alerta; uns mais e outros menos, mas estamos todos em alerta. O Santa Maria recebe esse mutirão e até o próximo mês outras regiões também receberão."

Agenda - Na próxima sexta-feira, dia 20, o mutirão será realizado no bairro Olaria; dia 27 no bairro José Conrado de Araújo; já no dia 03 de agosto será a vez de o bairro Santo Antônio receber a equipe da SMS; dia 10, bairro Industrial; dia 17 o bairro Dom Luciano, e no dia 24 de agosto o bairro Pereira Lobo. 
No comparativo entre o primeiro LIRAa desse ano, com o último balanço apresentado na tarde dessa sexta-feira (12), foi registrado uma elevação real de 44% no índice de infestação. Dados negativos, mas que ainda não representam epidemia da doença. Fator que, para o morador Antônio Lúcio dos Santos, serve de parâmetro para continuar intensificando as ações.

Intensificação - Presente no mutirão deste final de semana no Santa Maria, o prefeito Edvaldo Nogueira informou que desde o final do mês passado, com base no fluxo de atendimentos nas unidades básicas de saúde, decidiu intensificar as ações. "Há 15 decidimos ampliar nossas ações e agora todas as semanas teremos mutirões como esse nos bairros fazendo visitas domiciliar, conversando com as pessoas e limpando e desobstruindo os focos de dengue existentes. Estamos nessa operação com a população, com funcionários da Torre, agentes de combate às endemias e da Emsurb realizando o serviço de 'cata treco'. Juntos venceremos a dengue", disse.