Especialistas apontam os benefícios da dança para crianças e adolescentes

Variedades


 

Dançar é definitivamente muito mais do que puro divertimento. A execução de passos coreografados, repetidos dentro de um método e com orientação profissional, proporciona diversos benefícios para a saúde física e mental, o que é confirmado por especialistas.
A influencer digital mirim e participante do The Voice Kids 2019 Luisa Ferrari é um exemplo claro dos reais benefícios da dança para crianças. É o que revela Vanessa Ferrari, mãe da cantora infantil: "a dança foi fundamental para ajudar a Luisa a trabalhar expressão corporal, performance de palco e até mesmo respiração. Ela ensaia com a coreógrafa Laura Cauchioli três vezes na semana durante 45 minutos já há algum tempo e os resultados tem sido incríveis".
Tainá Grando, uma das principais coreógrafas do Brasil na atualidade, reafirma os benefícios da dança para crianças: "qualquer atividade física é ótima para crianças, independente de ser dança ou não. É possível começar a dançar e frequentar aulas de danças com 3 ou 4 anos. A dança ajuda na disciplina, coordenação motora e a desenvolver as habilidades da criança, aprendizado esse que será estendido para toda a vida. No início do aprendizado de dança explora-se os movimentos naturais de cada criança, seu ritmo próprio, sua expressão, respeitando as condições físicas e psíquicas de cada idade, as necessidades globais e as aspirações de cada um".
O educador físico e escritor Marcelo Santana reforça que é importante que os pais incentivem os filhos a se envolverem em atividades: "A expressão através da dança é algo muito peculiar, e por esse motivo os pais devem sempre estar alertas e incentivar seus filhos sempre com foco nos benefícios. Através da dança podemos auxiliar na redução de peso, mantendo o fluxo sanguíneo positivo, proporcionando condicionamento físico para a faixa etária, trabalho cognitivo e comportamental através dos ritmos e inclusão por trabalhar em determinados momentos em grupos. Se tratando de crianças e adolescentes, as aulas tem que ter um caráter mais lúdico e descontraído, pois assim ela vai se exercitar e suar e nem sequer perceber. Nessa faixa etária as atividades físicas não pode ser monótonas".

Dançar é definitivamente muito mais do que puro divertimento. A execução de passos coreografados, repetidos dentro de um método e com orientação profissional, proporciona diversos benefícios para a saúde física e mental, o que é confirmado por especialistas.
A influencer digital mirim e participante do The Voice Kids 2019 Luisa Ferrari é um exemplo claro dos reais benefícios da dança para crianças. É o que revela Vanessa Ferrari, mãe da cantora infantil: "a dança foi fundamental para ajudar a Luisa a trabalhar expressão corporal, performance de palco e até mesmo respiração. Ela ensaia com a coreógrafa Laura Cauchioli três vezes na semana durante 45 minutos já há algum tempo e os resultados tem sido incríveis".
Tainá Grando, uma das principais coreógrafas do Brasil na atualidade, reafirma os benefícios da dança para crianças: "qualquer atividade física é ótima para crianças, independente de ser dança ou não. É possível começar a dançar e frequentar aulas de danças com 3 ou 4 anos. A dança ajuda na disciplina, coordenação motora e a desenvolver as habilidades da criança, aprendizado esse que será estendido para toda a vida. No início do aprendizado de dança explora-se os movimentos naturais de cada criança, seu ritmo próprio, sua expressão, respeitando as condições físicas e psíquicas de cada idade, as necessidades globais e as aspirações de cada um".
O educador físico e escritor Marcelo Santana reforça que é importante que os pais incentivem os filhos a se envolverem em atividades: "A expressão através da dança é algo muito peculiar, e por esse motivo os pais devem sempre estar alertas e incentivar seus filhos sempre com foco nos benefícios. Através da dança podemos auxiliar na redução de peso, mantendo o fluxo sanguíneo positivo, proporcionando condicionamento físico para a faixa etária, trabalho cognitivo e comportamental através dos ritmos e inclusão por trabalhar em determinados momentos em grupos. Se tratando de crianças e adolescentes, as aulas tem que ter um caráter mais lúdico e descontraído, pois assim ela vai se exercitar e suar e nem sequer perceber. Nessa faixa etária as atividades físicas não pode ser monótonas".

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS