Chuva propicia aumento dos casos de leptospirose

Cidades

 

Além de todo o transtorno que as chuvas têm causado na capital sergipana, é nessa época que aparece outra preocupação: a leptospirose, doença infecciosa transmitida pela urina do rato e que pode levar à morte. A médica Nathalie Serejo, residente da Infectologia do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), filial da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), esclarece alguns fatos relacionados à patologia.
"Os principais sintomas começam a aparecer depois de uma exposição à água da chuva, que pode estar contaminada com um esgoto que não é tratado e nem acondicionado de forma correta, ou contaminada com lixo, enfim, com tudo que atraia rato, pois a urina dele é a principal condutora da bactéria responsável pela doença", afirma.
De acordo com ela, chuvas de modo geral, as enchentes, são eventos muito propícios à disseminação da doença. "A pessoa pode começar sentindo dores no corpo, principalmente nas panturrilhas, febre, ter manchas pelo corpo, icterícia, sintomas que podem ser confundidos com outras doenças, mas que nessa fase de chuva intensa devem chamar a atenção para a possibilidade de leptospirose", alerta.
Nathalie orienta que ao perceber os sintomas, a pessoa deve imediatamente procurar atendimento médico, pois a leptospirose tem tratamento, mas pode evoluir de forma rápida, chegando a acometer rins e pulmões e até mesmo levar à morte.
"Nessa época de chuva, muitas doenças infecciosas aparecem, muita gente vai procurar o atendimento médico com queixa de febre, por isso é preciso ter um olhar clínico muito bom para fazer o diagnóstico correto. O diagnóstico pode ser feito pelo teste de aglutinação microscópica", informa.

Além de todo o transtorno que as chuvas têm causado na capital sergipana, é nessa época que aparece outra preocupação: a leptospirose, doença infecciosa transmitida pela urina do rato e que pode levar à morte. A médica Nathalie Serejo, residente da Infectologia do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), filial da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), esclarece alguns fatos relacionados à patologia.
"Os principais sintomas começam a aparecer depois de uma exposição à água da chuva, que pode estar contaminada com um esgoto que não é tratado e nem acondicionado de forma correta, ou contaminada com lixo, enfim, com tudo que atraia rato, pois a urina dele é a principal condutora da bactéria responsável pela doença", afirma.
De acordo com ela, chuvas de modo geral, as enchentes, são eventos muito propícios à disseminação da doença. "A pessoa pode começar sentindo dores no corpo, principalmente nas panturrilhas, febre, ter manchas pelo corpo, icterícia, sintomas que podem ser confundidos com outras doenças, mas que nessa fase de chuva intensa devem chamar a atenção para a possibilidade de leptospirose", alerta.
Nathalie orienta que ao perceber os sintomas, a pessoa deve imediatamente procurar atendimento médico, pois a leptospirose tem tratamento, mas pode evoluir de forma rápida, chegando a acometer rins e pulmões e até mesmo levar à morte.
"Nessa época de chuva, muitas doenças infecciosas aparecem, muita gente vai procurar o atendimento médico com queixa de febre, por isso é preciso ter um olhar clínico muito bom para fazer o diagnóstico correto. O diagnóstico pode ser feito pelo teste de aglutinação microscópica", informa.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS