Camarote da Acessibilidade atinge recorde de público nas primeiras noites do Forró Caju 2019

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Camarote da Acessibilidade, em frente ao palco principal do Forró Caju
Camarote da Acessibilidade, em frente ao palco principal do Forró Caju

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 26/06/2019 às 06:55:00

 

Além de ser o maior festejo junino da capital, o Forró Caju é também sinônimo de inclusão social. Em mais uma edição da festa, a Prefeitura de Aracaju proporciona a sergipanos e turistas com deficiência ou mobilidade reduzida o Camarote da Acessibilidade, um espaço privilegiado para esse público, adaptado às normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas e à  Lei Brasileira de Inclusão.
Na véspera e na noite do dia de São João, dias 23 e 24, o Camarote da Acessibilidade do Forró Caju, cuja capacidade foi ampliada este ano, registrou recorde de público, ao receber uma média de 78 pessoas por dia, dado que confirma o sucesso do evento. O Forró Caju 2019 é uma realização da Prefeitura de Aracaju com patrocínio do Minsitério do Turismo e faz parte do Planejamento Estratégico da atual gestão.
Coordenado pela Secretaria Municipal da Assistência Social e montado em uma área privilegiada da praça Hilton Lopes, o Camarote da Acessibilidade conta com rampa de acesso, piso emborrachado, banheiros químicos adaptados e também uma decoração especial alusiva aos festejos juninos, com direito à comidas e bebidas típicas. Além disso, o público que acompanha os shows a partir desse espaço, conta com apoio da equipe técnica da Assistência Social.
Na última edição da festa, o Camarote teve capacidade para receber 65 pessoas. Neste ano, com sua ampliação, o espaço comporta até 80 pessoas. Este ano, apenas nas duas primeiras noites do evento, o Camarote da Acessibilidade recebeu 156 pessoas, um recorde de público.
As inscrições para acesso ao local foram feitas no Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CMDPcD) de Aracaju. Ao todo, foram inscritas 60 pessoas para os quatro dias da festa. As 20 vagas restantes ficam à disposição para ocupação na hora da festa, para os interessados que se enquadram no perfil.
Segundo o secretário municipal da Assistência Social, Antônio Bittencourt, o sucesso do número de participantes se deve, principalmente, à parceria feita com os conselhos municipais e estaduais. 
"Nós entendemos que o Forró Caju só faz sentido se conseguirmos incluir todas as pessoas, independente da sua condição. O Camarote da Acessibilidade é sinônimo de respeito e, acima de tudo, é uma garantia de direitos a essa parcela da população. No primeiro dia recebemos 76 pessoas e no segundo 80. Isso mostra que foi um verdadeiro sucesso e tenho que agradecer aos conselhos tanto os municipais da pessoa com deficiência e da pessoa idosa, como também ao conselho estadual da pessoa idosa que esteve junto conosco fazendo toda a mobilização da turma", destaca Bittencourt.
Para o presidente do CMDPcD e representante da Associação dos Deficientes Visuais de Sergipe (Adevise), Roque Hudson Fonseca Hora, a lotação do camarote proporciona a melhoria na autoestima dos participantes e a efetivação das políticas públicas de inclusão social por parte da gestão municipal.
"Tudo foi uma perfeição. Se compararmos com as últimas edições do Forró Caju, tivemos um aumento muito significativo. O local estava cheio de pessoas felizes, dançando um verdadeiro forró, sentindo-se incluídas nos festejos da cidade, enfim, foi tudo maravilhoso. Todos da Prefeitura, em especial da Assistência, estão de parabéns por toda a organização e parceria com os conselhos", reforçou. 
Pela primeira vez, o camarote deu acesso às pessoas com mobilidade reduzida, a exemplo de idosos e gestantes. Para a presidente do Conselho da Pessoa com Deficiência de Aracaju, Maria José da Silva, foi um momento muito significativo. "Tudo estava uma perfeição. Desde a chegada com a acolhida dos profissionais até a saída com todo cuidado da coordenação. Esse olhar humano da gestão é algo muito plausível. Ver os idosos, as pessoas com deficiência curtindo o melhor do São João de Aracaju foi muito emocionante", disse.

Além de ser o maior festejo junino da capital, o Forró Caju é também sinônimo de inclusão social. Em mais uma edição da festa, a Prefeitura de Aracaju proporciona a sergipanos e turistas com deficiência ou mobilidade reduzida o Camarote da Acessibilidade, um espaço privilegiado para esse público, adaptado às normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas e à  Lei Brasileira de Inclusão.
Na véspera e na noite do dia de São João, dias 23 e 24, o Camarote da Acessibilidade do Forró Caju, cuja capacidade foi ampliada este ano, registrou recorde de público, ao receber uma média de 78 pessoas por dia, dado que confirma o sucesso do evento. O Forró Caju 2019 é uma realização da Prefeitura de Aracaju com patrocínio do Minsitério do Turismo e faz parte do Planejamento Estratégico da atual gestão.
Coordenado pela Secretaria Municipal da Assistência Social e montado em uma área privilegiada da praça Hilton Lopes, o Camarote da Acessibilidade conta com rampa de acesso, piso emborrachado, banheiros químicos adaptados e também uma decoração especial alusiva aos festejos juninos, com direito à comidas e bebidas típicas. Além disso, o público que acompanha os shows a partir desse espaço, conta com apoio da equipe técnica da Assistência Social.
Na última edição da festa, o Camarote teve capacidade para receber 65 pessoas. Neste ano, com sua ampliação, o espaço comporta até 80 pessoas. Este ano, apenas nas duas primeiras noites do evento, o Camarote da Acessibilidade recebeu 156 pessoas, um recorde de público.
As inscrições para acesso ao local foram feitas no Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CMDPcD) de Aracaju. Ao todo, foram inscritas 60 pessoas para os quatro dias da festa. As 20 vagas restantes ficam à disposição para ocupação na hora da festa, para os interessados que se enquadram no perfil.
Segundo o secretário municipal da Assistência Social, Antônio Bittencourt, o sucesso do número de participantes se deve, principalmente, à parceria feita com os conselhos municipais e estaduais. 
"Nós entendemos que o Forró Caju só faz sentido se conseguirmos incluir todas as pessoas, independente da sua condição. O Camarote da Acessibilidade é sinônimo de respeito e, acima de tudo, é uma garantia de direitos a essa parcela da população. No primeiro dia recebemos 76 pessoas e no segundo 80. Isso mostra que foi um verdadeiro sucesso e tenho que agradecer aos conselhos tanto os municipais da pessoa com deficiência e da pessoa idosa, como também ao conselho estadual da pessoa idosa que esteve junto conosco fazendo toda a mobilização da turma", destaca Bittencourt.
Para o presidente do CMDPcD e representante da Associação dos Deficientes Visuais de Sergipe (Adevise), Roque Hudson Fonseca Hora, a lotação do camarote proporciona a melhoria na autoestima dos participantes e a efetivação das políticas públicas de inclusão social por parte da gestão municipal.
"Tudo foi uma perfeição. Se compararmos com as últimas edições do Forró Caju, tivemos um aumento muito significativo. O local estava cheio de pessoas felizes, dançando um verdadeiro forró, sentindo-se incluídas nos festejos da cidade, enfim, foi tudo maravilhoso. Todos da Prefeitura, em especial da Assistência, estão de parabéns por toda a organização e parceria com os conselhos", reforçou. 
Pela primeira vez, o camarote deu acesso às pessoas com mobilidade reduzida, a exemplo de idosos e gestantes. Para a presidente do Conselho da Pessoa com Deficiência de Aracaju, Maria José da Silva, foi um momento muito significativo. "Tudo estava uma perfeição. Desde a chegada com a acolhida dos profissionais até a saída com todo cuidado da coordenação. Esse olhar humano da gestão é algo muito plausível. Ver os idosos, as pessoas com deficiência curtindo o melhor do São João de Aracaju foi muito emocionante", disse.