Colégio de Ribeirópolis se destaca em primeiro do ranking entre escolas públicas no Enem 2018

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 19/06/2019 às 23:30:00

 

Com um trabalho peda
gógico focado no pro
tagonismo do aluno, interação em equipe e persistência em resultados, os professores e alunos do Colégio Estadual João XXIII, localizado em Ribeirópolis, região agreste de Sergipe, se destacaram em primeiro lugar entre as escolas estaduais no Exame Nacional do Ensino Médio 2018. O ranking baseado em dados do Ministério da Educação divulgados pela Folha de São Paulo na terça-feira (18), leva em consideração o porte da escola, se está localizada em zona rural ou urbana, além do perfil socioeconômico dos alunos. A tabulação também leva em conta as redes públicas federal, estaduais, municipais e privada.
Em segundo lugar ficou o Centro de Excelência Atheneu Sergipense, seguido do Colégio Estadual Tobias Barreto (3º - Aracaju), Colégio Estadual Gov. Djenal Tavares de Queirós (4º - Aracaju), Colégio Estadual Augusto César Leite (5º - Aracaju), Colégio Estadual 24 de Outubro (6º - Aracaju), Centro de Excelência Manoel Messias Feitosa (7º - Nossa Senhora da Glória), Centro de Excelência Maria Ivanda de Carvalho Nascimento (8º - Aracaju), Colégio Professor Nestor Carvalho Lima (9º - Aracaju) e Colégio Estadual Barão de Mauá (10º - Aracaju).
Contando com 547 alunos matriculados, o Colégio Estadual João XXIII também aparece na 17ª colocação geral quando filtrado o perfil entre as escolas das redes públicas e particulares acima de 61 a 90 alunos e acima de 91 alunos, ou seja, entre as maiores escolas de Sergipe.
Ana Mary Costa, diretora do "João XXIII" aposta os bons resultados no trabalho de equipe e no compromisso dos alunos, além do acompanhamento dos pais.  Sessenta e três alunos conseguiram aprovação no Enem 2018. "Temos professores preparados que vão além do pedagógico. Fazemos periodicamente reunião de pais e acompanhamento dos resultados", avalia.
O ReviJoão é uma ação da escola também pontuada pela direção da unidade como um dos diferenciais. Os alunos do ensino médio focam em revisões durante duas semanas, trabalhando conteúdos por áreas. "É um projeto que vem dando certo, porque não deixamos acumular conteúdos", afirma.
O foco em um trabalho de excelência acadêmica do aluno e a construção coletiva têm pontuado o Colégio Atheneu Sergipense como o primeiro da capital, Aracaju, e o segundo do ranking Folha de São Paulo entre as escolas estaduais. Por seis anos consecutivos o colégio segue a tradição de se manter entre as primeiras colocações do ranking.  "Durante os últimos cinco anos o Atheneu foi o primeiro. A continuação dos bons índices não é somente a preparação para o Enem, mas um trabalho voltado para o projeto de vida e perfil em que o próprio aluno enxerga, quer dar à escola e faz atingir. A partir disso, temos um trabalho de equipe, de acompanhamento, de tutores, de pactuação com os resultados de excelência", elenca Daniel Lemos, diretor.
No Colégio Estadual Tobias Barreto, em Aracaju, dos 120 candidatos que prestaram o Enem 2018, 70 ingressaram no ensino superior.

Com um trabalho peda gógico focado no pro tagonismo do aluno, interação em equipe e persistência em resultados, os professores e alunos do Colégio Estadual João XXIII, localizado em Ribeirópolis, região agreste de Sergipe, se destacaram em primeiro lugar entre as escolas estaduais no Exame Nacional do Ensino Médio 2018. O ranking baseado em dados do Ministério da Educação divulgados pela Folha de São Paulo na terça-feira (18), leva em consideração o porte da escola, se está localizada em zona rural ou urbana, além do perfil socioeconômico dos alunos. A tabulação também leva em conta as redes públicas federal, estaduais, municipais e privada.
Em segundo lugar ficou o Centro de Excelência Atheneu Sergipense, seguido do Colégio Estadual Tobias Barreto (3º - Aracaju), Colégio Estadual Gov. Djenal Tavares de Queirós (4º - Aracaju), Colégio Estadual Augusto César Leite (5º - Aracaju), Colégio Estadual 24 de Outubro (6º - Aracaju), Centro de Excelência Manoel Messias Feitosa (7º - Nossa Senhora da Glória), Centro de Excelência Maria Ivanda de Carvalho Nascimento (8º - Aracaju), Colégio Professor Nestor Carvalho Lima (9º - Aracaju) e Colégio Estadual Barão de Mauá (10º - Aracaju).
Contando com 547 alunos matriculados, o Colégio Estadual João XXIII também aparece na 17ª colocação geral quando filtrado o perfil entre as escolas das redes públicas e particulares acima de 61 a 90 alunos e acima de 91 alunos, ou seja, entre as maiores escolas de Sergipe.
Ana Mary Costa, diretora do "João XXIII" aposta os bons resultados no trabalho de equipe e no compromisso dos alunos, além do acompanhamento dos pais.  Sessenta e três alunos conseguiram aprovação no Enem 2018. "Temos professores preparados que vão além do pedagógico. Fazemos periodicamente reunião de pais e acompanhamento dos resultados", avalia.
O ReviJoão é uma ação da escola também pontuada pela direção da unidade como um dos diferenciais. Os alunos do ensino médio focam em revisões durante duas semanas, trabalhando conteúdos por áreas. "É um projeto que vem dando certo, porque não deixamos acumular conteúdos", afirma.
O foco em um trabalho de excelência acadêmica do aluno e a construção coletiva têm pontuado o Colégio Atheneu Sergipense como o primeiro da capital, Aracaju, e o segundo do ranking Folha de São Paulo entre as escolas estaduais. Por seis anos consecutivos o colégio segue a tradição de se manter entre as primeiras colocações do ranking.  "Durante os últimos cinco anos o Atheneu foi o primeiro. A continuação dos bons índices não é somente a preparação para o Enem, mas um trabalho voltado para o projeto de vida e perfil em que o próprio aluno enxerga, quer dar à escola e faz atingir. A partir disso, temos um trabalho de equipe, de acompanhamento, de tutores, de pactuação com os resultados de excelência", elenca Daniel Lemos, diretor.
No Colégio Estadual Tobias Barreto, em Aracaju, dos 120 candidatos que prestaram o Enem 2018, 70 ingressaram no ensino superior.