Quadrilha é apontada por mais de 50 roubos de veículos na Grande Aracaju

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 06/06/2019 às 23:13:00

 

A Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV) apresentou ontem os detalhes sobre a 'Operação Contagem Regressiva", que resultou na desarticulação de uma organização criminosa responsável pelo roubo de mais de 50 veículos na Grande Aracaju. Ao todo, 13 pessoas foram presas por envolvimento em crimes como assalto, receptação e desmanche de veículos. Um dos presos foi Adilson Vieira Machado, o 'Baiacu', apontado como um dos principais líderes de quadrilhas especializadas em roubos e desmanches de veículos em Aracaju - e que já foi preso em 2010, durante outra operação da Polícia Civil.
A DRFV realizou levantamentos em cerca de 10 meses de investigação, conseguindo um alto número de provas contra os indivíduos, que foram retirados de circulação. Na ação, quatro comerciantes de peças, que têm lojas na avenida Euclides Figueiredo, no Olaria (zona oeste), foram presos, pois compravam os carros roubados, desmanchavam e dividiam as peças. Outros três investigados morreram na última segunda-feira, depois de entrarem em confronto com agentes do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), em Laranjeiras. Este incidente fez com que a polícia adiantasse o cumprimento dos mandados de prisão, que estava prevista inicialmente para a semana que vem.  
A quadrilha roubava a média de quatro a cinco veículos por semana. A maioria das vítimas eram mulheres, taxistas e motoristas de aplicativos, pessoas numa situação vulnerável. "As mulheres que chegavam em sua casas, eram surpreendidas pelos indivíduos ao estacionar os carros, e motoristas de aplicativos e taxistas eram chamados para uma corrida e eram surpreendidos no final com uma arma de fogo", explanou o delegado Hugo Leonardo Medlo, responsável pelo caso.
Cerca de R$ 15 mil em espécie e mais de R$ 200 mil em cheques foram apreendidos, além de veículos e até um jet-ski avaliado em cerca de R$ 40 mil. Foi solicitado ainda o bloqueio das contas bancárias e bens adquiridos pelos presos, incluindo imóveis. "A gente vai atuar na questão patrimonial desses indivíduos, pois os bens e objetos foram adquiridos por eles com dinheiro levantado desses crimes. São diversos crimes de roubo, receptação, organização criminosa e lavagem de dinheiro, e isso vai ser apurado", falou o delegado. 
Além dos responsáveis pelo roubo e furto de veículos, havia quatro investigados que intermediaram o contato entre os ladrões e os comerciantes. Os intermediários como Adilson 'Baiacu' participava dos assaltos e também tinha o núcleo do tráfico de drogas. "Adilson era o principal corretor desses carros roubados, fazia o tráfico de drogas e financiava o tráfico, ele adquiria as drogas com Cristian Leobino [detido na ação], que é um traficante conhecido e foi preso diversas vezes pela prática do mesmo crime", explicou o delegado Hugo Leonardo, responsável pela operação.
As investigações continuam, pois os carros eram enviados para o interior de Sergipe e para outros estados. Os veículos eram direcionados, em sua maioria, para cidades da região de Feira de Santana (BA). Diante dos fatos, o delegado Hugo Leonardo mantém contato com a Delegacia Regional de Roubos e Furtos, em Feira de Santana, para apurar a ligação dos roubos dos veículos e envio para o estado do vizinho.
A polícia solicita que quem foi vítima da organização criminosa ou tem informações sobre veículos roubados denuncie e ajude a Polícia Civil, por meio do Disque Denúncia, 181, pois a ligação é gratuita e sua identidade não será revelada.

A Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV) apresentou ontem os detalhes sobre a 'Operação Contagem Regressiva", que resultou na desarticulação de uma organização criminosa responsável pelo roubo de mais de 50 veículos na Grande Aracaju. Ao todo, 13 pessoas foram presas por envolvimento em crimes como assalto, receptação e desmanche de veículos. Um dos presos foi Adilson Vieira Machado, o 'Baiacu', apontado como um dos principais líderes de quadrilhas especializadas em roubos e desmanches de veículos em Aracaju - e que já foi preso em 2010, durante outra operação da Polícia Civil.
A DRFV realizou levantamentos em cerca de 10 meses de investigação, conseguindo um alto número de provas contra os indivíduos, que foram retirados de circulação. Na ação, quatro comerciantes de peças, que têm lojas na avenida Euclides Figueiredo, no Olaria (zona oeste), foram presos, pois compravam os carros roubados, desmanchavam e dividiam as peças. Outros três investigados morreram na última segunda-feira, depois de entrarem em confronto com agentes do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), em Laranjeiras. Este incidente fez com que a polícia adiantasse o cumprimento dos mandados de prisão, que estava prevista inicialmente para a semana que vem.  
A quadrilha roubava a média de quatro a cinco veículos por semana. A maioria das vítimas eram mulheres, taxistas e motoristas de aplicativos, pessoas numa situação vulnerável. "As mulheres que chegavam em sua casas, eram surpreendidas pelos indivíduos ao estacionar os carros, e motoristas de aplicativos e taxistas eram chamados para uma corrida e eram surpreendidos no final com uma arma de fogo", explanou o delegado Hugo Leonardo Medlo, responsável pelo caso.
Cerca de R$ 15 mil em espécie e mais de R$ 200 mil em cheques foram apreendidos, além de veículos e até um jet-ski avaliado em cerca de R$ 40 mil. Foi solicitado ainda o bloqueio das contas bancárias e bens adquiridos pelos presos, incluindo imóveis. "A gente vai atuar na questão patrimonial desses indivíduos, pois os bens e objetos foram adquiridos por eles com dinheiro levantado desses crimes. São diversos crimes de roubo, receptação, organização criminosa e lavagem de dinheiro, e isso vai ser apurado", falou o delegado. 
Além dos responsáveis pelo roubo e furto de veículos, havia quatro investigados que intermediaram o contato entre os ladrões e os comerciantes. Os intermediários como Adilson 'Baiacu' participava dos assaltos e também tinha o núcleo do tráfico de drogas. "Adilson era o principal corretor desses carros roubados, fazia o tráfico de drogas e financiava o tráfico, ele adquiria as drogas com Cristian Leobino [detido na ação], que é um traficante conhecido e foi preso diversas vezes pela prática do mesmo crime", explicou o delegado Hugo Leonardo, responsável pela operação.
As investigações continuam, pois os carros eram enviados para o interior de Sergipe e para outros estados. Os veículos eram direcionados, em sua maioria, para cidades da região de Feira de Santana (BA). Diante dos fatos, o delegado Hugo Leonardo mantém contato com a Delegacia Regional de Roubos e Furtos, em Feira de Santana, para apurar a ligação dos roubos dos veículos e envio para o estado do vizinho.
A polícia solicita que quem foi vítima da organização criminosa ou tem informações sobre veículos roubados denuncie e ajude a Polícia Civil, por meio do Disque Denúncia, 181, pois a ligação é gratuita e sua identidade não será revelada.